Combater a Violência

Cel. Diógenes Pereira da Silva

A violência é um fenômeno que vem sendo estudado por organizações, sociólogos e especialistas como “acumuladora de conhecimento”. Com as novas ferramentas tecnológicas de apoio e com a transformação organizacional dos aparelhos de defesa do estado, verifica-se, que houve avanços significativos, ratificadores do aprimoramento da segurança da sociedade. Neste sentido, as novas perspectivas, indicam compromissos que gerarão bons frutos quanto à postura desenvolvida como força pública defensora dos direitos humanos e como gerente e administrador, tanto de pessoas como do conhecimento.

O tema violência urbana e da criminalidade e como combatê-las, têm provocado discussões salutares em nível nacional. O envolvimento da sociedade civil tem sido um marco regulatório da expressão pelo clamor social no sentido de exigir, dos nossos governantes e dos diversos órgãos corresponsáveis pela Segurança Pública, o resgate do difícil quadro de aumento dos atos de violência e criminalidade. Com foco nesse fenômeno, estão sendo desenvolvidos estudos prospectivos e ações pelos órgãos de defesa do estado, na busca de contraporem-se aos problemas, muitas vezes, sustentados pela distinção de políticas públicas voltadas para a “condição social” do indivíduo que abarca uma gama de características que contribuem para a violência, tais como: renda escassa ou nula (oportunidade de trabalho); desigualdade social – distribuição de rendas, educação e outros.

A violência teve sim suas acrescidas sustentadas pelo surgimento da globalização, do tráfico de drogas e da afluência populacional. Este fator tem exigido o refinamento técnico-profissional dos integrantes das forças de segurança pública em todo o país, voltado para a GESTÃO de PESSOAS e tem revelado resultados positivos pelas constantes atualizações e habilitações no gerenciamento de pessoas e das situações, as mais diversas, com que se deparam o profissional de segurança pública, muitas vezes, complexo e delicado exercício funcional.

É nesse sentido, que convoco a sociedade parceira para assumir responsabilidades, não no sentido figurativo de correr riscos perante a combativa do crime, mas em sustentação do art. 144 CF 88, “Segurança Pública dever do estado, direito e responsabilidade de todos” – e não se esqueçam: a violência pode, sim, ser controlada, combatida com eficiência e dentro do patamar de aceitação social, mas extingui-la por completo, ou baixar os índices criminais na sua totalidade, é querer acreditar em algo dificílimo. Olhe só o combate a “dengue”, quantos milhões de brasileiros estão se mobilizando contra o mosquito transmissor! Não pode ser diferente com a segurança pública.

Diógenes Pereira da Silva, Policial Militar da PMMG,
é graduado em Segurança Pública e Privada
 pelo Centro Universitário do Triângulo – UNITRI

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *