Combinação entre fim da CPI e manifestações de rua pode ser ‘explosiva’ para este governo

cpi da covid | Partido dos Trabalhadores

CPI da Covid parou por uma semana, mas volta com toda força

Eliane Cantanhêde
Estadão

A proximidade do fim da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid com as manifestações de rua convocadas por opositores ao governo pode ser “explosiva” para o presidente Jair Bolsonaro.

Antes disso, no entanto, após uma semana “fora do ar”, a CPI “volta com tudo” na próxima terça-feira, dia 14, com foco nos lobistas da vacina, as distribuidoras e suas “negociatas muito mal contadas”.

ENFIM, TOLENTINO – O primeiro a ser ouvido, na terça-feira, 14, será o empresário Marco Tolentino, apontado pela comissão como “sócio oculto da FIB Bank”, empresa que ofereceu garantia financeira de R$ 80,7 milhões em um contrato firmado entre a Precisa Medicamentos e o Ministério da Saúde.

Tolentino está driblando a CPI há várias e deverá ficar calado na maioria das perguntas, para não se incriminar, pois é um dos principais envolvido nas negociatas.

Na quarta-feira, 15, o advogado Marconny Albernaz é aguardado para depor. Segundo a cúpula da CPI, ele é “um personagem-chave” para as investigações, por conta de seu encontro com outro lobista, José Ricardo Santana, na casa da advogada do presidente Bolsonaro, Karina Kufa. Os dois juntos fizeram uma espécie de manual de como fraudar licitações no Ministério da Saúde, e a investigação sobre eles extrapola a questão das vacinas e inclui a aquisição de outros medicamentos pelo Ministério da Saúde. Tanto Tolentino quanto Albernaz já usaram atestados médicos para não comparecer diante dos senadores da CPI.

DIRETOR DA PRECISA – Na quinta-feira, dia 16, a previsão é que o diretor da Precisa, Danilo Trento, fale à comissão.  Segundo relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), ele fez movimentações de valores incompatíveis com o seu faturamento mensal e de sua empresa, chegando a receber R$ 2 milhões mensais. “Tudo muito estranho”, dizem os membros da CPI.

O depoimento da próxima sexta-feira, dia 17, ainda é incerto, mas o vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), “insiste muito” para que seja a advogada Karina Kufa, que, nas palavras do parlamentar, “faz festinhas reunindo lobistas que têm negócios com o governo federal”.

9 thoughts on “Combinação entre fim da CPI e manifestações de rua pode ser ‘explosiva’ para este governo

  1. Como todas as CPIs, fez bastante barulho, expôs muitos podres e mazelas mas não resolve nada.
    Sempre fui contra CPIs. É perda de tempo. É palanque gratuito. É um detalhamento de tudo que já se sabe.

  2. Eu apoiei a criação da CPI e acompanhei integralmente, contribuindo, inclusive, com alguns dados e sugestões encaminhadas pessoalmente aos três senadores da cúpula.
    Acho que era indispensável a sua criação, pois embora saibamos que qualquer atividade parlamentar corre o risco de virar palanque ou circo, era vital escancarar a realidade dos crimes de lesa pátria cometidos por negligência ou incompetência nalguns casos, e dolosamente, por motivos vis, pelo governo federal, com o protagonismo e responsabilidade que seu cargo e atitude autoritária oneram seu principal titular.
    Do dito nos depoimentos e, principalmente, do não dito, ficaram cristalinos os comportamentos, atitudes e responsabilidades dos personagens dessa tragédia macabra, inédita até então na nossa história, nunca se assassinaram , culposa ou dolosamente, tantos compatriotas.
    Se o relatório terá ou não consequências penais, é difícil prognosticar sendo o dona da Ação Penal, o desclassificado PGR atual, mas a verdade ficará pairando qual um urubu sobrevoando a carniça formada pelos cúmplices por ação ou omissão.
    Num futuro próximo, poderemos olhar para o Mito, seus apoiadores e justificadores e, tal como Napoleão, dizer, “desta Praça dos Três Poderes, seiscentos mil cadáveres vos contemplam”

  3. Comentário correto e oportuno.

    Somente bolsonaristas, cúmplices eternos e 8btegrais das atrocidades do mito e seus comandados , acham a foi uma perda de tempo ou palhaçada, cono já ouvi de ex amigos.

    Com exceção de pequenas derrapadas, apesar da pressão e de figuras de v8da pública tenebrosa como Renan, ( mas de boa atuação no geral are aqui) mostrou sim o descalabro, as negociatas, o genocídio programado e o absoluto desgoverno de bozo e das dúzias de militares de alto coturno encasteladis no MS.

    Parabéns s a CPI e os que a apoiaram.

    Chega de repetir baboseiras recebidas da central de relacionamento de jegues robotizados

  4. “Eliane Cantanhêde
    Estadão.
    A proximidade do fim da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid com as manifestações de rua convocadas por opositores ao governo pode ser “explosiva” para o presidente Jair Bolsonaro.”

    Os baluartes da cpi da Covid passam a ideia que são mais respeitáveis que os Varões de Plutarco, somados ao que a Catanhede afirma da manifestação só me resta fugir dessa explosão.
    medonha.
    Meu medo é a judicialização pela oposição e algum juiz exigir que eu explique em 24 horas meu medo de ser explodido.
    Já tenho a resposta pronta, excelentíssimo senhor juiz confesso diante dessa corte que sempre professei a crença de ter a certeza que não vou conseguir sair vivo desse mundo. Hehehhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *