Cometendo infinitos

Jacques Gruman

Quem viu, não esquece. Um símio se aproxima da ossada de um animal. No início, apenas observa a massa calcificada e inerte. Aos poucos, num misto de assombro e excitação, descobre a utilidade de um dos ossos: destruir os demais ossos, com golpes sucessivos. Estava ali o embrião da primeira arma, usada em seguida na luta contra um bando inimigo. Após matar o macho alfa que o enfrenta, destruindo-lhe o crânio com várias pancadas, nosso calouro nas artes da guerra grita de alegria e arremessa para o alto o osso da vitória. O movimento giratório vai aos poucos cedendo lugar a uma imagem escura, onde se destaca uma nave espacial que simula a gravidade com movimentos igualmente giratórios. Já sabem do que se trata ? Bingo ! São as primeiras cenas do antológico 2001: um odisseia no espaço.

No final dos anos 60, Stanley Kubrick resumia o enorme salto da Humanidade, dos antropoides que engatinhavam na observação da natureza à conquista do espaço. Como já poetizou alguém, é verdade que a Terra é o nosso berço, mas quem é que disse que não chega a hora de sair do berço ? Especulação, imaginação, sonho, delírio, superstição, censura, arrojo, tortura, experiência, fogueira, genialidade. Coquetel que nos tirou das cavernas – embora, alguém observará com razão, o espírito das cavernas ainda habite amplos setores da humanidade. Não me canso de admirar a capacidade humana de se propor e vencer desafios, vencendo a lava conservadora de cada época. Foram Galileus e Giordanos Brunos, e não seus algozes, os que permaneceram memória coletiva.

Inevitáveis essas lembranças quando li a notícia que mais me encantou nos últimos tempos: o pouso do módulo Philae na superfície do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko. Um objeto com o tamanho parecido com o de uma máquina de lavar viajou 6,5 bilhões de quilômetros (!), durante dez anos, para se encontrar com um fóssil da formação do Sistema Solar, há cerca de 4,6 bilhões de anos. Depois desta jornada épica, pousou no corpo celeste com forma de pato de borracha, de dimensões nanicas.

Mal comparando, foi o encontro improvável de um cisco com um grão de arroz, ambos em movimento e em grandes velocidades. As informações enviadas à Terra viajam mais de meio bilhão de quilômetros. Fiquei imaginando, mas minha imaginação é precária para a tarefa, o volume de informações, a capacidade analítica e a complexidade científica para se calcular o ponto exato de encontro de dois corpos no espaço sideral, com dez anos de antecedência. É, realmente estamos muito distantes dos nossos ancestrais que manejavam ossos e idolatravam fogo e trovões.

PARA QUE TANTO ESFORÇO?

Os cometas não são apenas pedras com gostam de passear. Como resquícios da formação do Sistema Solar, carregam no ventre pistas importantes sobre o desenvolvimento deste processo e, no limite, a chave para se entender a formação da Terra. Os cientistas acreditam, também, que eles podem ter sido os responsáveis, quando se chocaram com a superfície da jovem Terra, por trazer até metade da água dos oceanos. Vão além: sugerem que esses choques podem ter alimentado a superfície terrestre com os elementos básicos para o surgimento da vida.

Na linha do que disse o físico Marcelo Gleiser: “Sabemos que, em torno de 3,8 bilhões de anos atrás, a vida surgiu aqui na Terra, composta de restos de estrelas que explodiram em nossa vizinhança cósmica”. Somos, pois, uma cadeia complexa de células, que teve na origem uma poeira de estrelas. Aquela máquina de lavar cheia de chips e tecnologia pode ajudar a comprovar essa hipótese.

A dança do conhecimento é o alicerce da ciência. Ainda Marcelo Gleiser: “Quando paramos de perguntar, estagnamos: o círculo do conhecimento passa a nos apertar. Se paramos de perguntar, o desconhecido deixa de ser um desafio e transforma-se num monstro. Talvez nunca saibamos todas as respostas, mas, ao tentar, permaneceremos livres”.

DIGITAL EUROPEIA

Levando isso em conta, não terá sido apenas uma coincidência o fato dessa caça à origem da vida ter impressão digital europeia. Nos Estados Unidos, a doutrina criacionista tem raiz funda. Pela constituição do Tennesse, um cidadão não pode concorrer a cargo público se não acreditar em Deus. Quase metade da população acredita no criacionismo. Igual proporção não votaria num ateu para presidente. Um magnata acaba de anunciar a criação de um museu dedicado à Bíblia, a um custo estimado em US$ 850 milhões. A ideia é proporcionar aos visitantes um encontro com a “realidade bíblica”. Como, por exemplo, telas em 3D para simular a “experiência da Arca de Noé”. Um mito que não sobrevive a três milésimos de segundo de exame elementar.

Este magnata afirmou que os Estados Unidos “estão em perigo por sua ignorância sobre o que Deus nos ensinou”. Não é muito diferente do que falou um deputado recentemente eleito em São Paulo. Para ele, a estiagem prolongada no estado é fruto do castigo divino para um grave pecado: a grande parada gay anualmente realizada na capital paulista. O obscurantismo de matriz religiosa não faz bem aos neurônios.

NO CÉU, OS COMETAS

Durante séculos, a imagem dos cometas, com suas caudas misteriosas, apavorou os povos. A ignorância atribuía a eles grandes hecatombes. Como escreveu o saudoso astrônomo Ronaldo Rogério de Freitas Mourão, uma das primeiras representações do cometa Halley encontra-se numa tapeçaria de 70 metros de comprimento, do século XI. Nela, o rei Haroldo olha o cometa com apreensão. Mais tarde, atribuiu-se ao cometa a derrota e morte de Haroldo na batalha de Hastings. Nada a ver, ora pois, com o maior poder bélico dos normandos …

Ao mesmo cometa, foram atribuídas as mortes, em 1910, do rei Eduardo VII, de Joaquim Nabuco e de Mark Twain. Muitos atribuíam um poder letal à cauda dos cometas, o que explicava parte do pavor. Hoje se sabe que ela é gerada pela evaporação de gelo e gases congelados da superfície dos cometas quando sua órbita os aproxima do Sol.

A imprensa carioca registrou lances de bom humor depois da passagem do Halley, em 1910. No dia 21 de maio, o Correio da Manhã publicou o seguinte anúncio da Fábrica Brasil: “Os effeitos do Cometa!!! Passou e não se morreu, e devido a tudo isso vamos queimar todos os nossos artigos a preços resumidíssimos”.

Já o Jornal do Brasil do dia seguinte faz uma bela gozação na matéria “Peor que os cometas …”. Eis a lista do que era peor: a política prepotente do “vae ou racha”, a frequente falta d’água, o assalto a mão armada por falta de policiamento, o boato ou os mensageiros do mal, os mordedores ou as “machinas de caçar nickeis”. Atenção: apesar das aparências em contrário, o ano era 1910.

ORIGENS DA VIDA

De mensageiros da Morte, os cometas se transformaram, graças ao feito do Philae, em inauguração de uma etapa da busca pelas origens da Vida. Monumental dialética na viagem do homem pelos tempos. O extraordinário êxito científico contrasta com dados abjetos sobre as condições de vida nesta bola azul enlouquecida que nos abriga. De acordo com a ONU, dois milhões de toneladas de resíduos humanos são jogados diariamente em mananciais d’água. Quase 900 milhões de pessoas em todo o mundo não têm acesso a condições sanitárias satisfatórias. A cada vinte segundos, uma criança morre vítima de doenças causadas pela falta de saneamento básico.

Somos capazes de acertar um alvo a 500 milhões de quilômetros de distância, mas construímos sociedades apodrecidas, insensíveis, hedonistas, concentradoras de poder e riqueza. No filme A dança dos vampiros, Polanski inspirado, um caçador de vampiros trapalhão tenta exterminar o foco dos chupadores de sangue. Tudo dá errado. No final, ele acaba sendo o vetor para transmitir a praga pelo planeta. A partir daqui, volto ao planeta-berço. Será que vale mesmo a pena espalhar o sêmen humano pelas galáxias? O que o Homem tem a oferecer para os ETs ? Ai, meu são Flash Gordon, protegei-os!

16 thoughts on “Cometendo infinitos

  1. Caro Jornalista,

    “Somos capazes de acertar um alvo a 500 milhões de quilômetros de distância, mas construímos sociedades apodrecidas, insensíveis, hedonistas, concentradoras de poder e riqueza. ”

    Os seres humanos não evoluem na mesma velocidade, em todos os lugares do mundo. Desde a antiguidade já se despontava na sociedade pessoas mais evoluídas do que as outras, tanto INTELECTUALMENTE, quanto “ESPIRITUALMENTE”, e que tentaram guiar a manada de seres humanos das TREVAS DA IGNORÂNCIA rumo à LUZ DO CONHECIMENTO. A história está cheia de pessoas que procuravam amparar e a refugiar as pessoas mais próximas.

    -Imagine Jesus dizendo que todos somos irmãos e que devemos amar aos outros como a si mesmo num lugar onde até hoje os ditos “civilizados” ainda se matam!
    -Imagine o que o grego Eratóstenes sofreu ao dizer que conseguiu calcular a circunferência da Terra a um bando de ignorantes analfabetos e no tempo em que se acreditava que a terra fosse chata!
    -Imagine o quanto deve ter sido zombado o Pitágoras, ao tentar ensinar os seus teoremas, coisa que até hoje a maioria da população do planeta desconhece!
    -Imagine o Buda dizendo que para se superar a “dor” deve-se antes livrar-se dela e da ignorância pelo pensamento e modo de vida corretos!

    Graças a esses “iluminados” é que hoje temos maior expectativa de vida, chuveiro elétrico, internet, vacinas, aviões, telefones, remédios, cirurgias, automóveis e até mesmo cirurgia plástica. Hoje temos pessoas capazes de ajudar até mesmo desconhecidos com doações, inclusive de sangue. Tudo bem que os altruístas AINDA sejam uma minoria na Terra e que o grupo que ROUBA DINHEIRO PÚBLICO, mata, saqueia os mais fracos e acumula o que não poderá levar para o tumulo ainda seja muito grande, mas antigamente eles formavam a totalidade da humanidade! Tudo bem que em alguns lugares ainda impere a barbárie, a LEI DO MAIS FORTE e o desprezo pela vida! É que a evolução leva tempo e atinge alguns povos antes dos outros!

    TENHO CERTEZA QUE ESSES SENHORES, QUE SE DEDICARAM TOTALMENTE À REALIZAÇÃO DESSE FEITO, NÃO SÃO APODRECIDOS, INSENSÍVEIS, HEDONISTAS E, CONCENTRADORES DE PODER E RIQUEZA como sugere o autor do texto. Creio que façam parte da minoria que não ver fronteiras entre os países e que deseja a humanidade integralmente evoluída.
    Infelizmente o mundo é não governado por esse tipo de gente, de espírito empreendedor e inteligência construtiva, mas pelos políticos, pessoas geralmente escolhidas entre os poderosos, ou por estes cooptadas, para manter a situação da maneira que ela esteja.

    A evolução leva tempo!

    Abraços.

  2. Bom artigo do Sr. Jacques Gruman. Quem lê o antigo testamente ao pé da letra,
    sem subterfúgios, vai encontrar um monte de contradições, história absurdas, em que se falava com Deus com a maior facilidade e seguiam suas ordens.
    Sou de filosofia espírita, não viemos a Terra por mera coincidência, há uma razão.
    nada acontece por acaso. Acredito que no futuro, o espiritismo, será estudado como
    ciência. As principais religiões que aí estão, tem como finalidade colocar o antolhos
    nos fieis, o enriquecimento e a dominação das massas.

  3. Na 1ª narração da Criação de HomeMulher é destacada a Imagem e Semelhança:
    “26. Então Deus disse: Façamos o homem à nossa imagem e semelhança. Que ele reine sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos e sobre toda a terra, e sobre todos os répteis que se arrastem sobre a terra. 27. Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher. 28. Deus os abençoou: Frutificai, disse ele, e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a. Dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra. 29. Deus disse: Eis que eu vos dou toda a erva que dá semente sobre a terra, e todas as árvores frutíferas que contêm em si mesmas a sua semente, para que vos sirvam de alimento. 30. E a todos os animais da terra, a todas as aves dos céus, a tudo o que se arrasta sobre a terra, e em que haja sopro de vida, eu dou toda erva verde por alimento. E assim se fez. 31. Deus contemplou toda a sua obra, e viu que tudo era muito bom. Sobreveio a tarde e depois a manhã: foi o sexto dia”. (Gn 1)

    Na 2ª narração fica bem clara a origem MATERIAL:
    “1. Assim foram acabados os céus, a terra e todo seu exército. 2. Tendo Deus terminado no sétimo dia a obra que tinha feito, descansou do seu trabalho. 3. Ele abençoou o sétimo dia e o consagrou, porque nesse dia repousara de toda a obra da Criação. 4. Tal é a história da criação dos céus e da terra. 5. No tempo em que o Senhor Deus fez a terra e os céus, não existia ainda sobre a terra nenhum arbusto nos campos, e nenhuma erva havia ainda brotado nos campos, porque o Senhor Deus não tinha feito chover sobre a terra, nem havia homem que a cultivasse; 6. mas subia da terra um vapor que regava toda a sua superfície. 7. O Senhor Deus formou, pois, o homem do barro da terra, e inspirou-lhe nas narinas um sopro de vida e o homem se tornou um ser vivente. 8. Ora, o Senhor Deus tinha plantado um jardim no Éden, do lado do oriente, e colocou nele o homem que havia criado. 9. O Senhor Deus fez brotar da terra toda sorte de árvores, de aspecto agradável, e de frutos bons para comer; e a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore da ciência do bem e do mal. (Gn 2)

  4. “Os cientistas acreditam, também, que eles podem ter sido os responsáveis, quando se chocaram com a superfície da jovem Terra, por trazer até metade da água dos oceanos. Vão além: sugerem que esses choques podem ter alimentado a superfície terrestre com os elementos básicos para o surgimento da vida. … Muitos atribuíam um poder letal à cauda dos cometas, o que explicava parte do pavor. Hoje se sabe que ela é gerada pela evaporação de gelo e gases congelados da superfície dos cometas quando sua órbita os aproxima do Sol. … a frequente falta d’água … De mensageiros da Morte, os cometas se transformaram, graças ao feito do Philae, em inauguração de uma etapa da busca pelas origens da Vida. Monumental dialética na viagem do homem pelos tempos. O extraordinário êxito científico contrasta com dados abjetos sobre as condições de vida nesta bola azul enlouquecida que nos abriga. De acordo com a ONU, dois milhões de toneladas de resíduos humanos são jogados diariamente em mananciais d’água. Quase 900 milhões de pessoas em todo o mundo não têm acesso a condições sanitárias satisfatórias. A cada vinte segundos, uma criança morre vítima de doenças causadas pela falta de saneamento básico.”
    … … …
    Em seu texto, Jacques Gruman realça a importância da ÁGUA!!!
    … … …
    Comparar com: “5. No tempo em que o Senhor Deus fez a terra e os céus, não existia ainda sobre a terra nenhum arbusto nos campos, e nenhuma erva havia ainda brotado nos campos, porque o Senhor Deus não tinha feito chover sobre a terra, nem havia homem que a cultivasse; 6. mas subia da terra um vapor que regava toda a sua superfície.”
    … … …
    Tanto Gruman, quanto Gênesis são concordes que sem água … nadica de VIDA!!!

  5. No entanto, há os que acham que é Baal quem faz chover … vamos conferir???

    “Elias, o tesbita, um habitante de Galaad, veio dizer a Acab: Pela vida do Senhor, Deus de Israel, a quem sirvo, não haverá nestes anos orvalho nem chuva, senão quando eu o disser”. (1Rs 17,1)

    “Passado muito tempo, foi a palavra de Deus dirigida a Elias no terceiro ano, nestes termos: Vai apresentar-te diante de Acab, eu vou fazer chover sobre a terra”. (1Rs 18,1) … “Elias partiu e foi apresentar-se a Acab. A fome devastava violentamente a Samaria”. (1Rs 18,2) … “Elias respondeu-lhe: Pela vida do Senhor dos Exércitos a quem sirvo, hoje mesmo me apresentarei diante de Acab”. (1Rs 18,15) … “Ao vê-lo, Acab lhe disse: Eis-te aqui, o perturbador de Israel!” (1Rs 18,17) … “Não sou eu o perturbador de Israel, respondeu Elias, mas tu, sim, e a casa de teu pai, porque abandonastes os preceitos do Senhor e tu seguiste aos Baal”. (1Rs 18,18) … … … “Elias, aproximando-se de todo o povo, disse: Até quando claudicareis dos dois pés? Se o Senhor é Deus, segui-o, mas se é Baal, segui a Baal! O povo nada respondeu”. (1Rs 18,21) … “Elias continuou: Eu sou o único dos profetas do Senhor que fiquei, enquanto os de Baal são quatrocentos e cinqüenta”. (1Rs 18,22) … “Então Elias disse a Acab: Vai, come e bebe, porque já ouço o ruído de uma grande chuva”. (1Rs 18,41) … “Voltou Acab para comer e beber, enquanto Elias subiu ao cimo do monte Carmelo, onde se encurvou por terra, pondo a cabeça entre os joelhos”. (1Rs 18,42) … “Disse ao seu servo: Sobe um pouco, e olha para as bandas do mar. Ele subiu, olhou (o horizonte) e disse: Nada. Por sete vezes, Elias disse-lhe: Volta e (olha)”. (1Rs 18,43)

    “Na sétima vez o servo respondeu: Eis que, sobe do mar uma pequena nuvem, do tamanho da palma da mão. Elias disse-lhe: Vai dizer a Acab que prepare o seu carro e desça, para que a chuva não o detenha”. (1Rs 18,44)
    … … …
    Papá disse que ia fazer chover … Elias acreditou … rezou por 7 vezes … … … CHOVEU!!! !!! !!!

  6. E a falta de chuva no Brasil??? Pesquisemos … com intuito de ajudar!!!

    1 – Em seu PREÂMBULO … Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte … , promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. … Brasília, 5 de outubro de 1988. Ulysses Guimarães , Presidente

    2 – Em (http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc1110200520.htm) temos: “São Paulo, terça-feira, 11 de outubro de 2005 … ESCÂNDALO DO “MENSALÃO”/ O PRESIDENTE … Presidente diz que opositores torcem para “as coisas não darem certo” e que não tomará “atitudes populistas” por conta das eleições de 2006 … Lula reclama de “urucubaca” contra o governo … PEDRO SOARES … DA SUCURSAL DO RIO … O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou ontem opositores que, segundo ele, torcem contra seu governo: “Vocês não sabem o que é urucubaca! É gente torcendo para que as coisas não dêem certo”. Lula disse que não tomará “atitudes populistas” e “irresponsáveis” em 2006, influenciado pelo processo eleitoral.”
    3 – Está lá (http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc1102200605.htm): “São Paulo, sábado, 11 de fevereiro de 2006 … Presidente diz que sai de ritual “mais leve” … ENVIADO ESPECIAL A OUIDAH … Com o Portal do Não Retorno ao fundo, no vilarejo praiano de Ouidah, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ganhou ontem uma ajuda contra a “urucubaca” que diz atrapalhar o seu governo. Esteve num ritual de vodu e afirmou que ficou “mais leve”. “Vocês participaram junto comigo, vocês viram que… até vocês estão mais leves”, afirmou. Segundo o dicionário “Aurélio”, o vodu é um “culto de origem jeje-daomeana, praticado nas Antilhas, principalmente no Haiti, e que combina elementos de possessão e magia com influências cristãs, apresentando semelhanças com o candomblé afro-brasileiro”. Em Benin, cerca de 60% da população é adepta do culto. … Logo em seguida, Lula assistiu ao ritual de vodu. Na cerimônia, homens ficam sob uma espécie de cabana de palha e dançam. Segundo uma moradora explicou ao presidente por meio de uma intérprete, os espíritos podem se transformar em qualquer coisa para se proteger. Lula ficou interessado. E brincou se podia “abrir para ver o que tem dentro” das cabanas, provocando risadas. … (PDL)

    4 – Sabem de alguém que tenha rezado ao DEUS CONSTITUCIONAL para confirmar a proteção … ou de alguma reparação por o ritual ter sido em terras não brasileiras??? em especial a CNBB??? ??? ???

  7. 5 – (https://padrepauloricardo.org/blog/por-muitos-ou-por-todos-a-resposta-certa-e-a-primeira) tem um histórico muito interessante … segue a íntegra: “04/05/2012 21:00 | Categoria: Liturgia
    “Por muitos” ou “por todos”? A resposta certa é a primeira.
    Mas Bento XVI claramente deseja ver esta questão resolvida. Sem imposições, mas instando os bispos a preparar o clero e os fiéis, com uma catequese apropriada, para uma mudança que deve ocorrer inevitavelmente.
    As Igrejas de várias nações do mundo estão restaurando na Missa, uma após a outra, as palavras da consagração do cálice tiradas literalmente dos Evangelhos e usadas por séculos mas, nas últimas décadas, substituídas por uma tradução diferente.
    Enquanto o texto tradicional na versão latina original ainda diz: “Hic est enim calix sanguinis mei […] qui pro vobis et pro multis effundetur,” as novas fórmulas pós-conciliares leram no “pro multis” um imaginário “pro omnibus”. E, ao invés de “por muitos”, traduziram por “por todos”.
    Ainda no último período do pontificado de João Paulo II, algumas autoridades vaticanas, incluindo Joseph Ratzinger, tentaram renovar a fidelidade nas traduções ao “pro multis”. Mas sem sucesso. Bento XVI resolveu cuidar disso pessoalmente. Prova disso está na carta que ele escreveu no último dia 14 de abril aos bispos da Alemanha.
    O link para o texto completo da carta segue abaixo. Nela, Bento XVI resume as questões principais da controvérsia para melhor fundamentar sua decisão de restaurar a correta tradução do “pro multis”. Mas, para melhor compreender o contexto, vale lembrar aqui de alguns elementos.
    Em primeiro lugar, ao dirigir sua carta aos bispos da Alemanha, Bento XVI também deseja alcançar os bispos de outras regiões de língua alemã: Áustria, os Cantões Alemães na Suíça e o Tirol do Sul, na Itália.
    De fato, se na Alemanha, apesar da forte resistência, a conferência episcopal optou recentemente pela tradução do “pro multis” não mais com o “für alle”, por todos, mas com o “für viele”, por muitos, este não é o caso da Áustria.
    Tampouco é o caso da Itália. Em novembro de 2010, por votação, dos 187 bispos votantes, somente 11 escolheram o “per molti”. Uma maioria esmagadora votou a favor do “per tutti”, indiferentes às instruções do Vaticano. Um pouco antes, as conferências episcopais de 16 regiões italianas, com exceção da Ligúria, se pronunciaram pela retenção da fórmula “per tutti”.
    Em outras partes do mundo, estão retornando ao uso do “por muitos”: na América Latina, na Espanha, na Hungria, nos Estados Unidos. Frequentemente com desacordo e desobediência. Mas Bento XVI claramente deseja ver esta questão resolvida. Sem imposições, mas instando os bispos a preparar o clero e os fiéis, com uma catequese apropriada, para uma mudança que deve ocorrer inevitavelmente.
    Depois desta carta, fica fácil prever que o “per molti” também será restaurado nas Missas celebradas na Itália, apesar do voto contrário dos bispos em 2010. A nova versão do missal, aprovada pela conferência episcopal italiana, está atualmente sob o exame da Congregação para o Culto Divino. E, neste ponto, certamente será corrigida de acordo com as instruções papais.
    Um Segundo ponto diz respeito aos contínuos obstáculos encontrados pela tradução do “por muitos”. Até 2001, os proponentes de traduções mais “livres” dos textos litúrgicos apelavam a um documento de 1969 do “Consilium ad exsequendam Constitutionem de Sacra Liturgia”, cujo secretário era monsenhor Annibale Bugnini, um documento sem assinatura, estranhamente escrito [originalmente] em francês, comumente referido por suas primeiras palavras: “Comme le prévoit”.
    Em 2001, a Congregação para o Culto Divino publicou uma instrução, “Liturgiam Authenticam” para a correta implementação da reforma litúrgica conciliar. O texto, datado de 28 de março, foi assinado pelo cardeal prefeito Jorge Arturo Medina Estevez e pelo arcebispo secretário Francesco Pio Tamburrino, e foi aprovado pelo papa João Paulo II numa audiência concedida oito dias antes ao cardeal secretário de estado Ângelo Sodano.
    Lembrando que o rito romano “tem seu próprio estilo e estrutura que devem ser respeitados o máximo possível na tradução”, a instrução recomendava a tradução de textos litúrgicos que fossem “não tanto um trabalho de invenção criativa, senão um [trabalho] de fidelidade e exatidão na transcrição dos textos latinos para a língua vernácula”. Boas traduções – prescrevia o documento – “devem ser livres de uma dependência exagerada dos modos modernos de expressão e, de modo geral, livres de uma linguagem psicologizante”. A instrução “Liturgiam Authenticam” sequer citava o “Comme le prévoit”.
    E era uma omissão voluntária, para privar o texto definitivamente de uma autoridade e de uma oficialidade que ele jamais havia tido. Mas, apesar disso, a instrução encontrou uma enorme e fortíssima resistência, mesmo dentro da Cúria romana, tanto que foi ignorada e contradita por dois documentos pontifícios subseqüentes.
    O primeiro foi a encíclica “Ecclesia de Eucharistia” de João Paulo II em 2003. No segundo parágrafo, onde lembra as palavras de Jesus para a consagração do vinho, afirma:
    “Tomai, todos, e bebei: Este é o cálice do meu Sangue, o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos para remissão dos pecados” (cf. Mateus 14,24; Lucas 22,20 e 1Cor 11,25). O “por todos” ali presente é uma variação que não tem base alguma nos textos bíblicos citados, evidentemente introduzido a partir das traduções presentes nos missais pós-conciliares.
    O segundo documento é a última das cartas que João Paulo II costumeiramente endereçava aos padres toda Quinta-feira Santa. Tinha a data remetente de 13 de março de 2005, escrita no Hospital Gemelli, e afirmava no 4º parágrafo que:
    “‘Hoc est enim corpus meum quod pro vobis tradetur’. O corpo e o sangue de Cristo são dados pela salvação do homem, da totalidade do homem e por todos os homens. Esta salvação é integral e ao mesmo tempo universal, pois ninguém, ao menos que livremente o escolha, é excluído do poder salvífico do sangue de Cristo: ‘qui pro vobis et pro multis effundetur’. É um sacrifício oferecido por “muitos” como diz o texto bíblico (Mc 14,24; Mt 26,28; Is 53, 11-12); esta expressão tipicamente semítica se refere à multidão que é salva por Cristo, o único Redentor, e, ao mesmo tempo, infere a totalidade dos seres humanos a quem a salvação é oferecida: o sangue do Senhor é “derramado por vós e por todos”, como algumas traduções legitimamente explicitam. O corpo de Cristo é verdadeiramente oferecido ‘pela vida do mundo’ ( Jo 6, 51; 1 Jo 2,2).”
    João Paulo II estava com a vida por um fio, estaria morto 20 dias depois. E foi um papa nestas condições, que sequer tinha forças para ler, a quem obrigaram assinar um documento em favor do “por todos”.
    Na Congregação para a Doutrina da Fé, que não tinha recebido o texto antecipadamente, a questão foi recebida com desapontamento. Tanto que, alguns dias mais tarde, no dia 21 de março, segunda-feira da Semana Santa, numa reunião tumultuada entre os chefes de alguns dicastérios da Cúria, o Cardeal Ratzinger registrou seu protesto. E menos de um mês depois, Ratzinger foi eleito papa. Anunciado ao mundo com visível satisfação pelo cardeal protodiácono Medina, o mesmo que havia assinado a instrução “Liturgiam Authenticam”.
    Com Bento XVI como papa, a restauração da tradução correta do “pro multis” imediatamente se tornou um objetivo de sua “reforma da reforma” na arena litúrgica. Ele sabia que encontraria uma oposição ferrenha. Mas nesta arena ele nunca teve medo de tomar decisões difíceis, como o provou o motu proprio “Summorum Pontificum” pela liberação da Missa no rito antigo.
    Um fato bem interessante é o modo com o qual Bento XVI quer implementar suas decisões. Não somente com ordens peremptórias, mas através da persuasão. Três meses depois de sua eleição a papa, ele fez com que a Congregação para o Culto Divino, liderada então pelo cardeal Francis Arinze, conduzisse uma pesquisa entre as conferências episcopais para descobrir suas opiniões a respeito da tradução do “pro multis” pelo “por muitos”.
    Tendo reunido tais opiniões, no dia 17 de outubro de 2006, sob a instrução do papa, o cardeal Arinze enviou uma carta circular a todas as conferências episcopais, elencando seis motivos em favor do “por muitos” e encojarando-os – sempre que a formula “por todos” estivesse sendo usada – a “realizar a catequese necessária dos fiéis” em face da mudança.
    É esta catequese que Bento XVI sugere que seja feita na Alemanha particularmente, numa carta enviada aos bispos alemães no último dia 14 de abril. Nela, ele aponta que não lhe parece que esta iniciativa pastoral sugerida com autoridade há seis anos atrás tenha sido jamais realizada.
    Por Sandro Magister | Tradução: Fratres in Unum

  8. A verdade é que ninguém sabe a origem da vida na terra com toda a sua biodiversidade.
    Claro que a Terra foi a mãe parideira que deu origem a toda vida.
    Os cientistas dizem que o homem teve origem na África e dali espalhou-se mundo afora.
    O ser humano não é nômade por natureza, pode até sair do local onde nasceu, mas acaba voltando, quem vai para o exílio, ainda que seja num país muito melhor que o seu, sonha em voltar, Então, sair da África, clima tropical para ir viver em climas frios, onde a vida é mais difícil, não dá para entender. Não seria mais lógico, plausível, que da mesma forma
    que o ser humano surgiu na África, surgiu também na América do Sul (no coração da Amazônia
    impenetrável), na América do Norte, no Japão, Ásia, Europa etc., assim também como a flora e a
    fauna. Ilhas vulcânicas distantes de continentes, possuem flora e fauna exclusiva, que só existem
    ali, não veio de lugar algum, foi a Terra que pariu e desenvolveu.
    A história contada pela bíblia, sobre Adão e Eva e a vida na terra, foi escrita por um homem para
    encobrir um fato (a vida no planeta) que não se conhecia e não se conhece.

  9. 6 – Até hoje no Brasil a CNBB continua com o “por todos”!!!

    7 – (http://tribunadainternet.com.br/o-derrotado-ja-tem-nome/#comment-182222) tem algo que meditei em 15/5/2012: “Segue a Parte 14 … (https://groups.yahoo.com/neo/groups/profecias/conversations/messages/7094)
    “7094 … Do m3 ao (m3)3 – Parte 14 – FIM … lioncorf … May 15, 2012″ com: … Não adianta ficar esperando ofensas à Eucaristia, fuga do Papa e outros males … há coisa pior que mudar os ensinamentos de Jesus??? ??? ??? “Que permaneça em vós o que tendes ouvido desde o princípio. Se permanecer em vós o que ouvistes desde o princípio, permanecereis também vós no Filho e no Pai. (I São João 2,24)” … há pior ofensa que mudar por muitos para por todos??? ??? ??? e feita exatamente pelos MINISTROS DE JESUS??? ??? ??? os que possuem a autoridade do ligar desligar??? … Ao se fazer a experiência da dupla fenda no escuro, chegará aos ouvidos a radiação do som …. porém, há os que colocam protetor auricular para não ouvirem … e são os que Jesus falava: tem ouvidos e não ouvem; como é o caso manifesto da CNBB – e assim os crimes da CNBB permanecem!!! !!! !!!”
    … … …
    Já se vão 2,5 anos do alerta!!! !!! !!! 2015 é o ano da decisão!!! quem faz chover é Papá do Céu ou é vodu???
    quem faz sair água em vez de petróleo??? ??? ???
    … … …
    … … …
    … … …
    SHALOM!!! !!! !!!

  10. Gostei demais do artigo, muito interessante, com exceção do último parágrafo, em que o senhor Jacques Gruman aterrissa com a sua nave, pilotada nada menos por Flash Gordon.

    Aliás, não fui o único… o senhor Francisco Vieira-Brasília, também implicou com a velocidade com que as coisas acontecem, e com o fecho, com argumentos que eu concordo.

    Por sua vez, o senhor Lionço levanta com propriedade bíblica, o assustador fenômeno da falta de chuvas, me lembrando que a presidente reeleita, quando montar o seu ministério, terá de escolher com bastante cuidado o novo ministro de Minas e Energia, ao qual ficará afeto, entre outros problemas, o hídrico… bola da vez depois da economia.

    No tocante a quem é quem nesse mundo de todos, permaneço com a minha premissa de acreditar no Deus que fez o homem, e não no Deus que os homens fizeram…

  11. Bem.. aos poucos chegaremos lá! Aos poucos a humanidade chegará lá (pelo menos parte dela).
    Aos poucos irá aumentando a quantidade de pessoas boas no mundo, até que um dia serão maioria. E esses LADRÕES DO BEM COMUM serão nivelados ao mesmo nível intelectual dos DINOSSAUROS.

    O tempo passa e quando penso que em cem anos não estarei mais por aqui, procuro sonhar que a geração dessa época será melhor do que a nossa…
    Queiramos ou não, dentro de alguns anos seremos nada mais que FÓSSEIS…

  12. PREZADO NÉLIO,

    Perdoe-me pela intromissão:

    “A verdade é que ninguém sabe a origem da vida na terra com toda a sua biodiversidade. Claro que a Terra foi a mãe parideira que deu origem a toda vida.”
    -Você está certo. Mas o melhor da ciência é que ela não aceita uma resposta que não esteja fundamentada em teorias racionalmente lógicas. A ciência não aceita a explicação do tipo “foi fulano que fez” e depois vai dormir, sossegadamente. Ela procura EVIDÊNCIAS, mesmo que não as encontre agora! O senhor não vê a PROCURA MARAVILHOSA que os astrônomos e físicos estão fazendo para saber o que são a MATÉRIA e a ENERGIA ESCURAS? Não é muito mais interessante procurar do que aceitar uma explicação qualquer e se espreguiçar em uma rede?

    “Os cientistas dizem que o homem teve origem na África e dali espalhou-se mundo afora.”
    -Essa conclusão está baseada em fósseis, em datação radioativa e em exames de DNA, principalmente o DNA mitocondrial, passado apenas de mulher para mulher, e não em uma opinião. Os restos humanos mais antigos foram encontrados na África, portanto, deve ter sido lá que os humanos surgiram. Mas se surgirem novos achados, tudo pode ser mudado. A CIÊNCIA NÃO TEM DOGMA.

    “O ser humano não é nômade por natureza, pode até sair do local onde nasceu, mas acaba voltando, quem vai para o exílio, ainda que seja num país muito melhor que o seu, sonha em voltar. Então, sair da África, clima tropical para ir viver em climas frios, onde a vida é mais difícil, não dá para entender.”
    -É bom lembrar que os demais continentes estavam despovoados de seres humanos e que o maior deslocamento (e crescimento) da humanidade se deu entre o trópico de câncer e o a linha do equador, rumo ao oriente (conforme fósseis encontrados nesse percurso), onde o clima era mais ameno. Não se esqueça que o homem só se fixou à terra com o advento da agricultura. Antes, como não plantava, quando acabava a comida, mudava-se de “mala e cuia” para outro lugar.

    “Não seria mais lógico, plausível, que da mesma forma que o ser humano surgiu na África, surgiu também na América do Sul (no coração da Amazônia impenetrável), na América do Norte, no Japão, Ásia, Europa etc., assim também como a flora e a fauna?”
    -Caro Nélio. Não seria mais plausível! A existência humana é um milagre imensamente maior do que ganhar na megassena repetidas vezes seguida. Por isso as evidências fósseis apontam que a vida surgiu uma única vez e foi evoluindo, lentamente; por isso A VIDA É UMA COISA MARAVILHOSA e que deveria ser preservada e admirada por todos aqueles minimamente evoluídos! Aquele exame de DNA que mostra a paternidade no Programa do Ratinho também mostra a nossa proximidade genética com todos os animais da terra. Somos todos irmãos: o homem que você vê no espelho, o pardal que passa pela janela e a árvore que você vê na rua. Todos estamos no mesmo BERÇO. O Exame de DNA veio para confirmar o que o Charles Darwin teorizava.

    “Ilhas vulcânicas distantes de continentes, possuem flora e fauna exclusiva, que só existem ali, não veio de lugar algum, foi a Terra que pariu e desenvolveu.”
    -Não, Nélio. As ilhas que hoje estão distantes têm fauna e flora diferenciadas simplesmente porque nelas ocorreu o chamado ISOLAMENTO GEOGRÁFICO, impossibilitando o cruzamento com os serem do continente mais próximo. Quem já criou animais em sítios sabe como fazer a SELEÇÃO ARTIFICIAL de maneira a preservar a características que se gosta. Também não podemos esquecer que os continentes se movem, flutuam, sobre a parte inferior da crosta, que é semilíquida, e é esse movimento que isola dos continentes! Se o senhor olhar lá no chifre da África, verá que lá a terra está rachando e que, brevemente (em termos geológicos) ali surgirá um mar comprido semelhante ao Mar Vermelho.

    “A história contada pela bíblia, sobre Adão e Eva e a vida na terra, foi escrita por um homem para encobrir um fato (a vida no planeta) que não se conhecia e não se conhece.”
    -O SENHOR ESTÁ CERTO! Mas o que é mais plausível? Como explicar a existência de animais em todos os continentes se a Arca de Noé encalhou no Oriente Médio? Como as vicunhas e as alpacas vieram até os Andes? Nadando?

    Abraços.

  13. Caro Francisco Vieira, muito bom seu comentário, baseando-se na ciência.
    Os restos humanos mais antigos foram achados na África, “portanto deve ter
    sido” lá que os humanos surgiram, mas se surgirem novos achados, tudo pode
    mudar. O planeta é muito grande, e sempre haverá novas descobertas, como tem
    ocorrido ao longo dos séculos. Geralmente o nômade sai de um local para outro
    ate´que a natureza se recomponha, depois volta. Que condições teria o ser humano primitivo,
    sem recurso de defesa a atravessar áreas inóspita, o Estreito de Bering, Atravessar toda a America, a floresta amazônica, até a Patagônia a procura de um lugar melhor para viver. Os demais continentes estavam despovoados de ser humano, e dos outros animais estavam povoado? Não só o ser humano, a flora e a fauna devem ter surgido em um determinado período conjuntamente, não acredito que só na Africa surgiram o ser humano, com sua flora e fauna e no resto do mundo somente a flora e a fauna.
    Tomando por base a ciência, você tem toda razão. PS. : Não tenho dados, mas acredito que a população das Américas na época do descobrimento fosse superior as da Europa ou da Africa.
    Um forte abraço, amigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *