Como a honestidade tornou-se rara, Joaquim Barbosa é uma esperança em 2018

Resultado de imagem para JOAQUIM BARBOSA

Barbosa ainda não deu resposta ao convite do PSB

Pedro do Coutto

Reportagem de Raymundo Costa, no Valor desta segunda-feira, revela que Joaquim Barbosa, ex-presidente do STF, pediu um tempo para decidir se aceita ou não ser o candidato do PSB às eleições presidenciais de 2018. Joaquim Barbosa recebeu o convite de Carlos Siqueira, presidente do Partido, na semana passada, em encontro público realizado em Brasília. O ex-ministro condicionou o encontro a que ele fosse em um lugar aberto, uma vez que tem por hábito não manter conversações reservadas.

O encontro deu-se numa grande confeitaria na capital, presenciado por várias pessoas. Carlos Siqueira lembrou a Joaquim Barbosa o resultado de recente pesquisa do Datafolha que o apontou cm 11% das intenções de voto. Barbosa vai dar sua resposta até o final de janeiro do ano que vem. Mas se aceitar, acrescentará um motivo capaz de entusiasmar eleitores e eleitoras insatisfeitos com as opções até agora colocadas.

VIROU DEFEITO – A importância maior de uma candidatura de Joaquim Barbosa é a de que a sociedade brasileira poderá rechaçar com seu apoio, uma realidade que infelizmente se consolidou no país, especialmente de 2003 para cá: a certeza de que a honestidade passou de ser qualidade para ser defeito na ocupação de cargos públicos. Consequência de a corrupção ter se estruturado de modo profundo, a partir do escândalo do mensalão.

Pode se citar também o roubo praticado em conjunto com a JBS de Joesley Batista no BNDES, assim como o petrolão, que atingiu em cheio a Petrobrás e irradiou-se pelo país a fora, ao ponto de Aldemir Bendine, ex-presidente do Banco do Brasil e ex-presidente da Petrobrás, ter reivindicado uma cota de suborno junto à Odebrecht.

INÚMEROS CASOS – Bendine não foi um exemplo isolado, a inúmeros casos. O apartamento dos 51 milhões de reais de Salvador é um emblema irrespondível dos assaltos praticados contra o dinheiro público e, portanto, contra a população. Dois ex-ministros do governo Michel Temer encontram-se presos: Geddel Vieira Lima e Henrique Eduardo Alves. São muitas as acusações também contra a equipe do Palácio do Planalto, começando pelo próprio presidente da República.

Há uma necessidade urgente de resposta para evitar que o Brasil afunde ainda mais, tragado pelo redemoinho da roubalheira.  Joaquim Barbosa poderá se tornar um caminho para redenção do país. Ele pode até não vencer a eleição, porém sua presença nas urnas constituirá um fato saneador.

TEMER E GUANAES – Em sua coluna domingo de O Globo, Lauro Jardim informou que o presidente Michel Temer encontrou-se com o publicitário Nizan Guanaes em busca de orientação para melhorar a imagem pública do governo. Michel Temer precisava saber, antes de mais nada, quais fatos concretos pode apresentar de caráter construtivo à opinião pública brasileira. Publicidade não faz milagre, ela parte de fatos palpáveis que sejam importantes de destacar.  Publicidade, da mesma forma que o jornalismo, tem que refletir o interesse legítimo. Fantasias não funcionam. Um governo não é uma loja de departamentos. Lojas de departamentos são procuradas pelos que desejam adquirir seus produtos. A população brasileira busca mais empregos e melhores salários. Algo completamente diferente do que os apelos para venda de bens de consumo.

ELETROBRAS – O governo Michel Temer, matéria de  Cláudia Safatle e Daniel Ritner, no Valor também, decidiu privatizar a Eletrobrás através de projeto de lei ao Congresso Nacional. O ministro Fernando Coelho Filho, de Minas e Energia, anuncia esperar uma receita para a União de apenas 12,2 bilhões de reais. Esta parte, no seu modo de ver será de apenas 1/3 do que for apurado. 1/3 vai para a conta de desenvolvimento energético e o terço final para um fundo destinado a manter as tarifas equilibradas. Solução difícil.

14 thoughts on “Como a honestidade tornou-se rara, Joaquim Barbosa é uma esperança em 2018

  1. O Bananão é a solução? Fugiu na hora mais importante e quando mais precisávamos dele abrindo espaço para mais um ministro bandido. Não, o Joaquim está longe de ser a solução.

  2. Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, com Democracia Direta, é a Mega-Solução, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, porque o resto é apenas só mais dos me$mo$, mas enganação, mais perda de tempo e mais frustração após a eleição. Urge quebrarmos os queixos do mercado, do estado e da máquina pública, seus vícios e seus marajás, libertá-los das amarrações que lhes foram impostas e que levaram a república e o consumidor-contribuiente à ruína, sem o qual, sadio, não há república que pare de pé.

  3. Joaquim Barbosa deixou mais de 50 mil desempregados em MG. Havia e ainda há designações anuais para professores de ensino fundamental e outros cargos. Havia professores designados chegando à aposentadoria, porque todos os anos se inscreviam para designação. Há esse processo em outros Estados da União. Então o governador do Estado (de Minas e outros Estados) resolveu efetivá-los, muito merecidamente, pois experiência de dar aulas, tinham. Ai Vem o Joaquim Barbosa, Presidente do STF e demite todo mundo, alegando que não eram concursados. A prática não pesou nada. Ele poderia ter oferecido uma solução, como concurso interno, terceirização ou outras. Minha filha está até hoje desempregada (3 anos, fazendo parte dos 13 milhões de desempregados).Foi uma atitude desumana. Só um desempregado pode avaliar o que seja amanhecer o dia e não precisar sair para trabalhar.

  4. Esse aí,nunca terá meu voto.
    quando o país mas dele precisou,na época do mensalão,ele renunciou abrindo brecha para outro petista de carteirinha assumir.
    Com certeza é o pior candidato e no fundo,mas no fundo mesmo,é petista incubado.
    Foi de um covardia impar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *