Como dizia o genial jornalista e cronista Rubem Braga, “a poesia é necessária”

A dor do amor tem de repente uma... Rubem BragaPaulo Peres
Poemas & Canções

Considerado o maior cronista brasileiro desde Machado de Assis, o capixaba Rubem Braga (1913–1990), sempre afirmou que “a poesia é necessária”, título de uma seção que mantinha na Manchete e na Revista Nacional, iniciativa que nos inspirou a manter este espaço na Tribuna da Internet. O genial Rubem Braga, com quem trabalhamos eu e Carlos Newton, escreveu vários poemas, entre eles, este belo “Soneto”, que descreve o caminhar de um casal após um encontro amoroso, cuja despedida uma doce mágoa originou.

SONETO
Rubem Braga

E quando nós saímos era a Lua,
Era o vento caído e o mar sereno
Azul e cinza-azul anoitecendo
A tarde ruiva das amendoeiras.

E respiramos, livres das ardências
Do sol, que nos levara à sombra cauta
Tangidos pelo canto das cigarras
Dentro e fora de nós exasperadas.

Andamos em silêncio pela praia.
Nos corpos leves e lavados ia
O sentimento do prazer cumprido.

Se mágoa me ficou na despedida
Não fez mal que ficasse, nem doesse –
Era bem doce, perto das antigas

 

3 thoughts on “Como dizia o genial jornalista e cronista Rubem Braga, “a poesia é necessária”

  1. Não sei se há, no território nacional, um município para servir de berço às tantas personalidades do âmbito artístico-intelectual como Cachoeiro do Itapemirim-ES. Torrão do rei Roberto Carlos, Gilberto Lemos, Rubem Braga, Raul Sampaio, Newton Braga, Sérgio Sampaio, Carlos Imperial e tantos outros…..

  2. Grande Rubem Braga !
    Além de ser um dos maiores cronistas de todos os tempos, ainda nos presenteava com belos poemas…
    Que sensibilidade sensacional ele deixa transparecer neste poema magistral …
    Simplesmente belo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *