Como dizia Rubem Braga, a poesia é necessária

###
SE EU QUISER FALAR COM DEUS

Reynaldo Jardim

Se eu quiser falar
com Deus,
tenho que abaixar a crista,
tenho que seguir à risca
o que o Gil me ensinou.
Tenho que aguardar na lista
minha vez, minha
audiência.
Uma vaca de paciência,
ruminando meus pecados.
Quando chegar a minha vez,
tenho que soltar o grito.
Pois daqui ao infinito,
Deus não vai me escutar.
Ele está ficando surdo,
já não enxerga direito,
constrangido e contrafeito
com o mundo que criou.
Antes de falar com Deus,
eu arrumo um pistolão.
Pode ser Antonio ou João,
qualquer santo de prestígio.
Tenho que levar presentes,
minha alma, meu delírio,
a luz acesa de um círio
que ele está na escuridão.
Se eu quiser, mas eu não quero,
que esse Deus é prepotente.
Ele é onipresente,
só não está onde eu estou.
Se quiser falar comigo,
não atendo ao celular.
Não deixo a mesa do bar,
que esse chope está demais.
Eu só vou falar com Deus,
quando ele matar a fome
dessa criança sem nome,
que não pára de chorar.
Quando ele descer do céu
e vir que cada menino,
sem presente, sem destino,
precisa de um beijo seu.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *