Complexa reflexão sobre a política internacional

Milton Temer

Mali, Argélia, em ebulição. Iraque, destruído. Líbia entregue a quadrilhas tribais. Siria levada a uma guerra civil que pode esquartejar o país até então, a despeito de ressalvas, considerado o mais organizado e progressista governo laico da região. O círculo se fecha levando a uma complexa reflexão.

 Mali invadido pela França

Sim, porque a França do socialdemocrata François Hollande interveio militarmente, de forma solitária, no Mali, para derrotar rebeldes jihadistas, cujos parceiros são apoiados pela mesma França na invasão mercenária da Síria. E reconhecidos como o governo “legítimo”.

Vale lembrar que, há duas décadas, um ilusionista do Pentágono anunciava o “fim da história” com a autodecomposição da União Soviética. Que a paz se instalaria a partir da afirmação do regime capitalista como alternativa única para a humanidade. Bin Laden era então herói desse processo. Havia sido preparado, e intensamente ajudado pela CIA, para enfrentar o exército soviético que tentava resgatar um governo comunista em queda livre no Afeganistão.

Pois bem; o escorpião jihadista que o imperlalismo carregou nas costas para liquidar os movimentos revolucionários marxistas, no Oriente Médio, agora se vira contra o criador. Valeria o dito do “quem pariu mateus…” não fosse a imensa quantidade de civis inocentes assassinados por essas intervenções neocoloniais.

O presente da hegemonia absoluta das potências capitalistas, longe de consolidar a paz de cemitérios, abre espaço para imensas dúvidas sobre o futuro do planeta. Que um outro mundo possível se imponha à barbárie crescentemente imposta pelo grande capital predador, na busca do lucro incessante com a indústria da guerra

(artigo enviado por MárioAssis)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *