Comunicao do governo com a sociedade depende de fatos concretos

Resultado de imagem para temer se comunicando charges

Charge do Sid, reproduo do Arquivo Google

Pedro do Coutto

O jornalista Eduardo Oinegue – reportagem de Marina Dias, Folha de So Paulo de sexta-feira – entregou ao presidente Michel Temer a proposta de um plano de comunicao do governo destinado opinio pblica brasileira. Seria um novo plano? No. Seria o primeiro a ser colocado mesa do Palcio do Planalto, pois at agora na realidade no existe plano algum.

Eduardo Oinegue, experiente profissional da imprensa, projetou uma unidade de pronunciamentos a ser observada pelos ministros, a fim de evitar as vacilaes que tm ocorrido, marcadas por avanos e recuos, alm de inclurem opinies conflitantes.

Perfeito. Mas acima de tudo um sistema eficiente de comunicao exige a precedncia de fatos concretos de interesse da populao, remetidos s redaes de forma jornalstica, o que equivale a dizer de forma clara e substantiva. Sem fatos, qualquer comunicao torna-se frgil.

SEM PROPAGANDA – E no adianta recorrer publicidade, pois esta s funciona na esfera comercial. No no universo poltico, econmico e social. A publicidade encanta pela fantasia que coloca no mercado de consumo. Prope financiamentos sem juros, o que impossvel na inflao, destaca a qualidade dos produtos toda prova, em prazos sedutoramente eternizantes, e por a vai.

Na onda dos juros zero, no se revela estarem as verdadeiras taxas embutida previamente nos preos. H at uma empresa que patrocina o JN da Globo, horrio de grande audincia, e acena com emprstimos at para inadimplentes, titulares de crditos negativados.

A comunicao jornalstica , para incio de conversa, gratuita e representa um teorema. Teorema o que tem de ser comprovado na prtica. Nesta altura, peo opinio de especialistas em matemtica, como o caso de Flvio Jos Bortolotto e Wagner Pires. E se a informao poltica um teorema em sua essncia, ela requer fatos concretos, por parte do governo, para transport-los ao endereo da opinio pblica. E, neste ponto, comeamos a medir as reaes que a comunicao desperta no povo.

EXEMPLO DE JK – O presidente Juscelino Kubitschek, sem recorrer a marqueteiros de planto, e de forma absolutamente jornalstica, alcanou a melhor comunicao brasileira de todos os tempos. Criou, como definiu o deputado Paulo Pinheiro Chagas, a filosofia do desenvolvimento, tornando-se acrescentou, recorrendo poesia um contemporneo do futuro.

Por isso, com base nesse exemplo de JK, sugiro a Eduardo Oinegue que se inspire no processo de informao jornalstica de 31 de janeiro de 56 a 31 de janeiro de 61. E no tente minimizar a oposio.

A oposio, outro princpio de JK, indispensvel a todos os governos democrticos. Nenhum presidente pode se limitar a ouvir somente seus aliados. Eles os conduzem ilha da fantasia, elogios em cima de elogios.

indispensvel ouvir os contrrios para estabelecer o princpio tese, anttese e sntese. Alm de tudo, a oposiao que alerta para os erros inevitveis do poder e, no fundo, estimula o desafio de governar para o povo brasileiro, sem distino de classes sociais e alm das fronteiras partidrias.

5 thoughts on “Comunicao do governo com a sociedade depende de fatos concretos

  1. O grande e experiente Jornalista Sr. PEDRO DO COUTTO ao tratar da Comunicao do Governo com a Sociedade, diz que: Publicidade/Propaganda do Governo um Axioma (ex. A soma dos ngulos internos de qualquer tringulo 180). No requer comprovao. J a Comunicao do Governo um Teorema, requer comprovao, sempre terminada com Q.E.D. (Quod Erat Demonstrandum). Ex. Teorema de PITGORAS ( O quadrado da Hipotenusa igual a soma dos quadrados dos Catetos).
    Cita como exemplo a se inspirar o dinmico Presidente JUSCELINO KUBITSCHEK ( PSD-MG), a quem eu LACERDISTA( UDN-DF) perdoo tudo, tudo.
    JK foi um gnio da Administrao Pblica/Comunicaes.
    Como Prefeito de Belo Horizonte-MG construiu num Fim de Semana, uma Avenida de 6 Km de comprimento. Simplesmente dividiu os 6.000 m em 150 sub-Empreitadas de 40m cada, e entre Sexta-Feira a noite, Sbado e Domingo, a Obra foi feita, correndo o trfego j Segunda cedo. Fez isso para mostrar que se um Prefeito pode fazer uma Avenida de 6 Km em um Fim de Semana, pode fazer tudo o mais que a Capital necessitava.
    No Governo do grande Estado de Minas Gerais usou como Axioma de sua Administrao o Binmio ” ENERGIA & TRANSPORTES” e como Teorema um “Plano de Metas”. Na Presidncia da Repblica inverteu o Axioma Estadual, agora ficando ” TRANSPORTES & ENERGIA), e como Teorema: um Plano de Metas de 30 Metas, acrescentando a Meta-Sntese: Construo de Braslia em 4 anos, ( e a, a meu ver, extradulou financeiramente), e os cumpriu plenamente, demostrando cabalmente o seu Teorema.
    Mas a meu ver, LACERDA lhe era superior, como demonstrou em seu Governo do Estado da Guanabara (1960-1965), porque era um JK , COM OS PS NO CHO.

    O Presidente MICHEL TEMER (75) PMDB, deveria se inspirar nesses dois grandes Administradores Pblicos, e na sua Comunicao com a Sociedade, usar o Axioma: “VOLTA DO CRESCIMENTO ECONMICO” e como Teorema, um Mini-PLANO DE METAS at 31 Dez 2018, entre o que, propusesse na Indstria da Construo Civil, vender 550.000 Aps/Casa/ano, atual 350.000, e pico em 2010 700.000;
    Na Indstria Automobilstica vender 3.200.000 Automveis/ano, atual 2.350.000, e pico em 2010, 4.000.000. E assim por diante.
    E PODE deve fazer rpido.

    • So grandes e boas idias, mas, com tantos carrapatos no governo e no congresso, torna-se sonhos. Para mim, esse ser um governo, como diz o ditado popular, “ser levado com a barriga”. Demitir um ministro por querer reaver para o governo onze bilhes de reais, e depois alega que preciso vender ativos para repor no tesouro. Qual o profissional de comunicao vai convencer o povo que o governo t certo.

  2. Essa gente quer FAZER LAVGEM CEREBRAL NO POVO. Todos corruptos a servio de uma elite comprometida com o capital internacional. Tendo como desiderato avassalar o Brasil. Eles j mostraram a que vieram. Venderam 90% de um gasoduto da Petrobrs. Tudo o que esto fazendo e pretendem fazer deveria ser primeiro consultado ao povo.
    i

  3. Rebimboca da parafuseta

    Parte I – No pas com mais de 206 milhes de pessoas, 144 milhes possuem titulo de eleitor, +/- 25 milhes so menores de 16 anos e 37 milhes esto “perdidos” por a, sem leno nem documento.
    144 milhes de eleitores igual a 144 milhes de cnpj e apenas 28 milhes entregaram a declarao de IR, privilegiados porque 116 milhes esto isentos pois recebem menos de 2.160 reais por ms.

    Parte II – “quase metade dos brasileiros sobrevive com AT um salrio mnimo”
    So 103 milhes se ferrando como desempregados, subempregados, formais e informais.

    Parte III – Rebimboca a droga da rebimboca
    O produto do sonho de cada brasileiro impossvel de realizar porque ele muito caro, ficou muito caro. Faz parte do custo um tropel de tributos e benefcios alm da matria prima e mo de obra, todos inclusos no preo:
    ICMS
    IPI
    IR
    PIS
    Cofins
    ISS
    Adicional de suprfluo
    PLR
    Frias
    1/3 de frias
    13 salrio
    DSR
    Vale refeio
    Vale transporte
    Outros vales
    INSS
    Sistema S
    FGTS
    40% de multa FGTS
    10% de casquinha da multa do FGTS para o gobierno de bostia
    Matria prima
    + Um tiquinho de salrio

    Parte IV – Privada acima e estatal abaixo
    No tem dono, vale tudo, super povoada com indicados, concursados, super salrios, superfaturamentos, propinas, baixa produtividade, nunca vai ter fim porque um conto do vigrio muito convincente como ter 10 vigaristas em torno do otrio torcendo para que ele acerte onde esta a bolinha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.