Confirmado: foi o próprio Lula quem autorizou Rose a fazer 24 viagens internacionais com ele, na ausência da primeira-dama Marisa Letícia

Carlos Newton

Sobre a Operação Porto Seguro e o romance secreto envolvendo o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a chefe do Gabinete da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Nóvoa Noronha, surge uma pergunta que exige resposta: Quem determinou que Rose fosse convocada para integrar a comitiva presidencial em 24 viagens oficiais ao exterior, justamente quando (por mera coincidência, é claro) a primeira-dama Marisa Letícia não se encontrava a bordo do AeroLula?

Fui convidada pelo cerimonial”

Como se sabe, desde que o escândalo aflorou, a ex-chefe do Gabinete da Presidência (que já nem existe mais, foi extinto pela presidente Dilma Rousseff) está escondida pelo comando do PT, para evitar que jornalistas tenham acesso a ela.

Na intenção de disfarçar esse desaparecimento da ex-chefe de Gabinete e evitar a impressão de que ela se encontra foragida, a cúpula petista e a direção do Instituto Lula, por sugestão do ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, decidiu soltar uma nota oficial assinada pela própria Rosemary, que inadvertidamente tomou a iniciativa de explicar quem a autorizou a viajar 24 vezes com Lula para o exterior, em visita a 32 países, inclusive a China.

###
A NOTA OFICIAL

Em um dos trechos da nota oficial, Rose afirma o seguinte: “Quero dizer que todas as viagens que fiz ao exterior foram por solicitação do cerimonial da PR, em decorrência de meu cargo e função e, para isso, fiz curso no Itamaraty, não havendo, portanto, nada de irregular ou estranho neste fato”.

Quando ela fala em “cerimonial da PR” (Presidência da República), é preciso traduzir, para que não se pense que Rose está se referindo ao Ministério das Relações Exteriores (Itamaraty), que deveria ser responsável pela organização das viagens presidenciais ao exterior, por óbvio, mas não é.

No caso, quando Rose fala em “cerimonial da PR”, isso significa Gabinete Pessoal do Presidente da República, ao qual o cerimonial é subordinado diretamente, e não envolve Ministério das Relações Exteriores ou a Casa Civil.

Portanto, essa pergunta sobre quem determinou a convocação de Rosemary para viajar no AeroLula acabou sendo respondida por ela própria. Agora, sabemos que quem tomou essa iniciativa foi o Gabinete Pessoal da Presidência, que controla do cerimonial. Ou seja, a autorização partiu mesmo do então presidente Lula, porque não é concebível que um funcionário (ou funcionária) seja escalado para 24 viagens internacionais, em menos de três anos,  sem conhecimento do chefe do governo.

O assunto é apaixonante, em todos os sentidos, e logo voltaremos a ele, com  mais detalhes exclusivos e sensacionais.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *