Confirmando não ter “reputação ilibada”, Moraes mentiu perante os senadores  

Dida Sampaio/Estadão

Moraes pisca o olho para Lobão, seu parceiro na sabatina

Carlos Newton

Embora tenha sido aprovado por larga margem na Comissão de Constituição e Justiça, a sabatina de Alexandre de Moraes deixou claro que se trata de um advogado muito longe de ostentar “reputação ilibada” – conceito que identifica cidadãos realmente acima de qualquer suspeita. No caso específico de Moraes, muito pelo contrário, pois não se pode atribuir reputação ilibada a um professor de Direito que joga na lata do lixo sua tese de doutorado, conforme já demonstrou aqui na Tribuna da Internet o jurista Jorge Béja.

MENTIRAS E VÍDEO-TAPE – Da mesma forma, não pode ostentar reputação ilibada um ministro que teve a audácia de inventar uma mentira numa entrevista coletiva sobre a rebelião no presídio de Roraima, algumas semanas atrás, e agora acaba de repetir a dose, ao também mentir ao ser sabatinado pelos senadores, e está tudo gravado em vídeo-tape, não há como negar.

Nunca antes, na História deste país, foi nomeado um ministro do Supremo sob suspeita no próprio tribunal. Conforme publicaram nesta terça-feira os excelentes repórteres Rubens Valente e Mario Cesar Carvalho, da Folha, tramita no Supremo a petição da Polícia Federal para investigar um pagamento total de R$ 4 milhões, feito ao escritório de advocacia do futuro ministro pela JHSF, importante grupo empresarial de São Paulo, entre 2010 e 2014.

UMA COINCIDÊNCIA –  Os generosos pagamentos ocorreram logo após Moraes ter sido secretário de Transportes do prefeito Gilberto Kassab, quando estiveram sob sua gestão direta várias questões de interesse da poderosa JHSF, como compensações viárias que a corporação deveria fazer no shopping Tucuruvi, por exemplo.

A petição da Polícia Federal tramitou em sigilo, decretado pelo Superior Tribunal de Justiça e mantido em setembro do ano passado por Luiz Fux, ministro do Supremo. Mas em 7 de outubro a Folha revelou a existência da petição sobre Moraes, que passara a tramitar na Suprema Corte em 14 de setembro. No dia da reportagem, o então ministro da Justiça declarou, por meio de sua assessoria, que Fux já havia determinado o arquivamento do caso. A Folha então apurou que o ministro do STF realmente tomara essa decisão, mas de forma monocrática, sem encaminhar a questão ao plenário, e também esquecera de ouvir a Procuradoria-Geral da República, diferentemente da praxe.  Três dias depois da pesada denúncia da Folha, Fux reconheceu o erro, voltou atrás, reabriu o caso e determinou que a Procuradoria fosse ouvida.

O mais incrível é que a Procuradoria recebeu o pedido de Fux em 6 de setembro, exatamente no mesmo dia em que o presidente Michel Temer anunciou ter convidado Moraes para ser ministro do Supremo, vejam que incrível coincidência (se é que foi coincidência, pois a nomeação de Moraes o blindará para o resto da vida).

SIGILO ABSOLUTO – A Procuradoria-Geral da República ainda não se manifestou a respeito da investigação sobre Alexandre de Moraes. Procurada pela reportagem da Folha, a assessoria do procurador Rodrigo Janot apenas informou que não pode comentar o assunto por estar sob sigilo, mesma postura do Supremo, enquanto Moraes aproveita para continuar alegando que não é, nem foi investigado, e não pode comentar os serviços que prestou à JHSF por ter assinado uma cláusula de confidencialidade. E a grande empresa paulista usa esse mesmo argumento – muito adequado, digamos assim.

Ao discursar na sabatina, Moraes fez questão de se referir à “suposta investigação”. E mentiu descaradamente perante os senadores, ao afirmar que a petição da Polícia Federal está arquivada. Disse ele: “O Supremo, analisando, viu exatamente que não havia nenhum, absolutamente nenhum indicio de atividade ilícito, e determinou liminarmente o arquivamento de uma petição. Não houve uma investigação, nem uma abertura porque não há absolutamente nada ilícito. O arquivamento se deu em setembro passado e de lá até aqui não há absolutamente nada a se colocar“.

Ou seja, com o maior atrevimento, tentou esconder que no dia 6 de setembro Fux reabriu o pedido de investigação feito pela Polícia Federal e solicitou parecer da Procuradoria-Geral da República sobre o comportamento dele, o ilibado ministro Alexandre de Moraes. E como todos sabem, o Ministério Público jamais é chamado a opinar sobre questão arquivada.

###
PSA existência de um pedido de investigação sobre Alexandre de Moraes no próprio Supremo era (e continua sendo) o maior ponto fraco da indicação dele. A Folha publicou, a Tribuna da Internet imediatamente fez tradução simultânea, mas nenhum senador teve competência para arrancar a máscara do futuro ministro do Supremo, às vésperas do Carnaval. E assim o neoministro ficou à vontade para até criticar os jornalistas, em vários momentos da sabatina. “A imprensa inventa às vezes o que bem entender”, afirmou o ilibado Moraes, sem saber que a gente já estava de olho nas novas invenções dele. (C.N.)

18 thoughts on “Confirmando não ter “reputação ilibada”, Moraes mentiu perante os senadores  

  1. Foi posto ai , na marra , pelo Alckmin , vulgo Vizinho ou Geraldinho Rouboanel.
    O Opus Dei de São Paulo está sentindo a lama bater nas ventas com as premiadas da Odebrecht e do Paulo / Dersa / Suzzane ( a parricida ) / Preto , simples assim .

  2. Chamar de STF, já era pecado, com, mais esse “sinistro” o passou a ser, stf, só Deus, ou as Forças Armadas, salvam esse Pais, cuja podridão está oceânica, a afogar 220 milhões.
    Deus Pai, nos ajude a sair pacificamente desse Oceano de lama.

  3. passou a ser pecado capital, minha indignação, me fez, errar.
    88 anos e ver tanta canalhice, um milhar a estuprar 220 milhões, é dose de leão.
    Almas trevosas, já tem lugar garantido no Ranger de dentes.

  4. 22 fevereiro 2017 – 08:00AM

    Jornal da Band da a noticia: Careca nunca foi advogado do PCC.

    A maritaca do Boechat silencia.
    Nem uma ÚNICA palavra a respeito, entra o comercial, e retoma-se o assunto da distribuição de 77 milhões de camisinhas …

    Hoje é o dia da blindagem?

    Por acaso não é hoje o dia de esquecermos carnaval e prepararmos 77 milhões de Brasileiros para retomar o pais das mãos desses surrupiadores do direito e da moral, que estão fazendo a maior suruba com o Brasil??

    Boechat seu argentino de merda! Pequeno!

  5. Carlos Newton,

    Excelente análise mas,

    “nenhum senador teve competência para arrancar a máscara do futuro ministro do Supremo”

    Porque nenhum quis. O fato é que alguem contra a Lavajato no STF interessa tanto aos sujos quanto aos mal lavados. O resto foi jogo de cena. Vide a abstenção da Narizinho.

  6. Alexandre de Moraes, o glabro, com suas caras e bocas, que será colega de Fux e sua indefectível peruca, mais a forma pernóstica de falar de Mendes e o cansaço irritante de Marco Aurélio para proferir qualquer palavra porque o deixa ofegante, assistir pela TV as sessões de julgamento da Alta Corte será uma bela diversão!

    E, para quem tem paciência, ouvir as sentenças prolatadas pelo decano que, invariavelmente, iniciam pela exegese da economia afegã até os dias de hoje ou pelas razões pelas quais Alexandre, o Grande, morreu na Babilônia e não em Roma, o espetáculo será apoteótico.

    Para futuro candidato ao Supremo, sugiro o deputado que tem nome de jipe, o Willys.

    Defensor das minorias, quando o seu voto for vencido pela maioria, ela se levantará do seu lugar, olhos esbugalhados, jogando a cabeça com violência para trás e mãos alisando os cabelos, voz trêmula de raiva, e se dirigirá a cada um dos ministros que discordaram de seu voto e os cuspirá na cara, saindo em desabalada carreira do prédio do STF, claro!

    Ou, então, haja vista a escolha dos ministros se caracterizar pela palhaçada, que foi esta de Alexandre de Moraes, indico Tiririca, cujo talento e vocação é indiscutível, exatamente o que falta ao ungido Alexandre de Moraes nesta função de magistrado.

  7. O que dizer? Já era esperado… Antes de começar a sabatina, muitos já o chamavam de ministro….. A TV transmitiu , exatamente, para quê? Mostrar os rostos.dos pilantras quando cometiam mais esse gesto de desamor ao país e as instituições? Aliás quem seriam os guardiões das instituições brasileiras? Não existem mais ,pelo visto…

  8. Vejo os comentários de Renaldo Azevedo , onde declara que o juiz nomeado para o stf foi primoroso,
    o que tem de primoroso, apenas negou ou admitiu que será imparcial, as perguntas nada tem haver com o poder judiciário, apenas perguntas sobre a reputação do juiz, o plágio, as teses, etc…, mas nada que não pudesse responder, perguntas óbvias e ainda este jornalista fala em primoroso.

  9. O sr Bendl foi cirúrgico no seu comentário sobre a “sabatina” no Senado para aprovação do nome de Alexandre de Moraes para o STF.

    Irônico, escreveu com maestria a pantomima existente na Alta Corte, que reunirá espécimes humanas as mais diversas na condição de juízes irrecorríveis, desde declarados ministros partidários até mentirosos explícitos, além de confusos e instáveis demais magistrados.

    Finalmente os poderes se ajustaram em franca sintonia e sinergia contra o povo e país?

    Tais exemplos de teatro mambembe demonstram inquestionavelmente que, sim!

  10. Pingback: Confirmando não ter “reputação ilibada”, Moraes mentiu perante os senadores – Debates Culturais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *