Confusão total em Honduras, ou melhor: na embaixada do Brasil. A culpa é de Lula, que criou a figura do HÓSPEDE, em vez de EXILADO ou ASILADO. E 100 pessoas com o ex-Zelaya?

Nessa questão nada é simples, nada é fácil, nada pode ser analisado com isenção e sem partidarismo. Mesmo porque, de um lado ou do outro, não existe ideologia, convicção, espírito público, dignidade, respeito pela comunidade.

Zelaya é um aventureiro de direita, cooptado pelo coronel Chávez, outro aventureiro que para não se identificar como de esquerda ou de direita, se diz BOLIVARIANO, o que é indefinível e de forma alguma indisfarçável.

É uma forma de esconderijo, e Chávez mergulha na profundidade da própria ignorância, vai iludindo e enganando da forma e da maneira mais sórdida, mais indefensável ou mais indisfarçável. Mas deixando Chávez um pouco na sua contaminação, continuamos o exame da posição de Zelaya e principalmente do Brasil. E dos seus responsáveis (?).

Em matéria de Direito Internacional, o Brasil inovou, criando a figura do perseguido que pretende ENTRAR e não SAIR. Por outro lado, o “perseguido” Zelaya diz que percorreu “15 quilômetros de precipícios e planaltos para chegar até à embaixada do Brasil.

E garante duas mentiras monumentais. 1- Ninguém da embaixada do Brasil sabia de coisas alguma, “arriscou” chegar lá e ser recebido amistosamente. 2- Sua mulher estava lá por acaso, por coincidência, ou por qualquer outro fato que seja “explicado” por esse aventureiro, que coloca o Brasil e Honduras (e a própria América do Sul e Central) em tremendas dificuldades.

Zelaya modifica todo o conceito de direito de refúgio, declarando: “Não PEDI e não QUERO asilo do Brasil”. Então o que está fazendo lá? E mais: na segunda-feira inundou e engarrafou a residência (o Brasil não tem nem embaixador) com 50 pessoas, na terça já eram 70, ontem, quarta, já chegavam a 100. E o Brasil o que faz em relação a esse tumulto ou balbúrdia?

Enquanto isso, Lula na ONU, “fala” pela Comunidade Internacional e exige “em nome dela” a entronização de Zelaya novamente no Poder. Zelaya aplaude Lula, e diz: “Escolhi o Brasil porque Lula é meu amigo”.

Quando e onde ele ficou amigo de Lula? E se é amigo de Lula, por que não veio para o Brasil? Aí não criaria problema para seu “amigo” Lula.

Não há solução à vista. Mas Zelaya cria uma nova condição: a de HÓSPEDE. Mas o HÓSPEDE para ser HOSPEDADO não precisa ser CONVIDADO? Para uma embaixada ou residência. Mas ele garante que chegou lá POR ACASO.

* * *

PS- Quem deve estar satisfeitíssimo é Battisti, o italiano que espera ficar no Brasil. E se Lula já estava disposto a negar a extradição dele, agora então, está obrigado a mantê-lo no país.

PS2- mais uma vez tenho que deixar bem claro: nenhuma simpatia pelos GOLPISTAS e AVENTUREIROS que tomaram o Poder em Honduras. Só que não sou como personagens de ESQUERDA, que ontem em Brasília e no Rio participavam de “manifestações a favor de Zelaya”.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *