Conheça um “haikay” de Leon Trotsky, o líder considerado traidor por Stalin e Lenin

Resultado de imagem para trotsky frasesAntonio Rocha

Se o sol não brilhar / Para a classe operária / Nós vamos apagar o sol”. Esta poesia, conforme antigo de livro de estudos literários publicado por Edições Tempo Brasileiro, a meu ver é uma das mais belas poesias na área social.

Pequena estrofe de grande significado. Um apressado leitor pode pensar que seria uma crise de arrogância do famoso bolchevique Leon Trotsky. Mas isso hoje está no plano da História. Pesquiso a Poesia. De forma ampla, penso que ao falar da “classe operária” ele está tratando dos pobres em geral.

Tem muita gente que não gosta de pobre, as redes sociais divulgam piadas várias com este segmento econômico, mas, como todos sabem, Deus é um democrata e ao fazer o sol, criou-o brilhando indistintamente para todos.

FORMA DE CARIDADE – Contudo, humanisticamente, podemos ver a preocupação de Trotsky, chefe do Exército Vermelho, com os mais desvalidos da sorte, digamos até uma forma de caridade… Sei que muitos não vão gostar desse vocábulo, que sugere religião, mas os termos “caridade, princípio de caridade”, também estão no âmbito da Filosofia, ver o “Dicionário Oxford de Filosofia”, de Simon Blackburn, Jorge Zahar Editor, 1997.

Quanto a apagar o astro-rei, de nosso sistema solar, o citado poeta não está errado. Cientistas afirmam que belo dia, daqui a alguns milhões de anos, o sol vai diminuir-se humildemente e apagar-se aos poucos. É a Lei da Impermanência que o Buda falava… Tudo passa. Claro, nesse tempo, a Vida em suas múltiplas formas terá ido para outros planetas, quiçá… outros sistemas solares, outros sóis.

DESIGUALDADE SOCIAL – Se ele já está apagando-se milimetricamente… entendemos que, nesse plano físico, parece difícil, por uma série de fatores, a classe operária e os deserdados em geral ficarem numa boa, até porque os poderes têm muito apego, desenvolvem o egoísmo (outra palavra do citado dicionário) e não compartilham equitativamente as benesses e equilíbrio social.

Leon Trotsky (1879-1940), nascido na Ucrânia, está sepultado no México. Espiritualistas afirmam que hoje ele é um Espírito em recuperação, rumo à Caridade Cósmica, aprendendo e praticando os princípios intergalácticos de Fraternidade e Sabedoria.

MICROPOEMA – Haikay ou Haiku é uma forma mínima de poesia japonesa, em três versos. Pode ser rimada ou não. Há métricas específicas para cada verso, mas não vamos entrar em detalhes.

Vejam a reflexão poética, o poderosíssimo Sol, apagando-se, acabando-se, diminuindo-se humildemente, sumindo-se, saindo aos poucos de cena, para dar lugar, quem sabe, a um outro Sol no distante e infinito universo.

33 thoughts on “Conheça um “haikay” de Leon Trotsky, o líder considerado traidor por Stalin e Lenin

  1. Caro Antonio Rocha … Bom dia!

    Conforme talvez a última entrevista (ou declaração) de Steven Hawking, o Universo acabará quando não houver mais estrela (matéria) a queimar.

    Ele se esqueceu de que as estrelas irradiam, quando queimam … principalmente fótons, né???

    Então, quando acabar a matéria … teremos um novo Universo de RADIAÇÃO!!! que lembra a Espiritualidade.

    Observação – não recebi resposta lá de Campos kkk

    Abração.

  2. “…Todos se esforçam para remediar a vida de todos; aspiram a isso até os mendigos, inclusive os incuráveis; as calçadas do mundo e os hospitais transbordam de reformadores. A ânsia de tornar-se fonte de acontecimentos atua sobre cada um como uma desordem mental ou uma maldição intencional. A sociedade é um inferno de salvadores? O que Diógenes buscava com sua lanterna era um indiferente.”…CIORAN

  3. “A História: manufatura de ideais…., mitologia lunática , frenesi de hordas e de solitários …., a recusa de aceitar a realidade tal qual é, sede mortal de ficções …..”…….(Cioran)

  4. Emil Cioran tinha como duas das suas principais influências Heidegger e Nietzsche. Não surpreende, portanto, que acabasse como um adepto do nazifascismo.

    Em matéria de pensamento e visão de mundo cada um dá o que tem, não pode mesmo ser diferente.

    • Emil Cioram, como todos nós foi adepto de tudo quanto é
      humano e se decepcionou. Ou seja viveu experiências suficientes para não crer no que a mente cria e se tornou cético a tudo que dela vem.
      A sua definição é simplista como a de todos crentes. Não consegue perceber que há mais coisas entre o céu e a terra que imagina…..

      Ps. Eu, como muitos, já passaram por muitas fases de vivência e em muitas acreditei no humano. Agora….

        • Para aqueles que não sabem, o mundo inteiro se entusiasmou com Hitler no começo, inclusive Getulio Vargas, antes dele iniciar as guerras e suas monstruosidades.
          Mas, tem pessoas que mudam de ideia e se arrependem.
          Cuidado com crenças.
          “Quando elas se instalam, a polícia aparece no outro dia para manter suas “verdades”.” Cioran.

      • Caro Mario Jr.;

        Pra variar você está distorcendo as coisas, como todo bitolado, puxando a brasa para o seu churrasco.

        Vinicius, assim como Glauber Rocha, José Celso Martinez (do Grupo Oficina), Dom Helder Câmara, entre outros, foram apenas simpatizantes, muito à distância, do Integralismo na juventude, nunca se engajaram nem defenderam um projeto de poder totalitário, como Heidegger e Cioran.

        Intelectuais como Miguel Reale, Alceu Amoroso Lima, foram engajados, mas depois guinaram para uma posição mais à esquerda ou liberal. Não é demais lembrar que o Movimento Modernista brasileiro (que ninguém pode negar, por mais críticas que se tenha foi um avanço) teve uma corrente igualmente adepta do Integralismo, mas, da mesma forma, ficaram só ao nível da doutrina, não tiveram uma participação mais direta na construção de um partido de viés totalitário.

        Você está misturando coisas bem diferentes. “Simplista” e “crente” é a excelentíssima senhora sua progenitora. Você não me conhece e vem com esses argumentos ad hominem, me atacando pessoalmente. Sempre tive uma postura crítica em relação a toda e qualquer forma de pensamento e posição política, sobretudo de viés autoritário, e paguei um preço alto por isso.

        A sua postura criptofascista, mesmo no subconsciente, não consegue fugir da prática típica dos seus adeptos: acuse os outros do que você é.

        • O fato (FATO) é que no meu comentário mencionei um autor que apontou , para quem se interessa pela realidade e a observa , um dado concreto, mas vc por não ter condição suficiente para enxergá-la e irritado , talvez por suas crenças ideológicas, não teve condição suficiente para rebatê-lo, apelando então para desqualificar o autor, por ele ter possuído , como todos nós, ídolos na adolescência.

          • Cioram escreveu um artigo sobre Hitler em 1934. Nada a ver com o que Hitler se tornou poucos anos depois. E, como eu disse , Hitler foi admirado no mundo inteiro antes de suas loucuras. Saiu até na capa do Times.

            Para desqualificá-lo vc usou este equivoquinho juvenil, que grande parte do mundo teve, esquecendo-se que a obra importante de Cioram propriamente dita foi escrita muito tempo depois e que realmente define sua verdadeira personalidade e o torna um dos mais importantes filósofos, ou anti-filósofos, da humanidade.

          • Você está propositada e conscientemente tentando minimizar o envolvimento de Cioram com o nazismo. Ele estudou com bolsa de estudos na universidade de Berlim a partir de 1933, subsidiado pelo governo nazista, portanto. Colaborou com uma publicação nazista onde fazia a apologia de Hitler. Elogia o episodio da “noite das facas longas”, quando adversários e mesmo correligionários do Partido nazista, membros das SA, que já não serviam mais aos interesses do Führer, foram trucidados ou expulsos do país, dizendo: “o que a humanidade teria a perder se a vida de alguns imbecis fosse suprimida?” Apoiou o fascismo italiano na invasão da Abissínia, cuja resistência inesperada fez com que as tropas invasoras utilizassem armas químicas contra militares e civis indiscriminadamente, resultando em mais de meio milhão de mortos.

            Você justifica isso como um mero arroubo de juventude, o qual ele renega depois. Mas eu me refiro ao próprio conteúdo do sistema de pensamento de Cioram, ao conjunto que permaneceu na sua essência, que estes fatos concretos apenas ilustram.

            “Suicídio, morte, obsessão, vazio, são temas recorrentes em sua obra, e se chamava aos dezenove anos de ‘especialista no problema da morte'”. Se fizermos uma analogia com o lema do fascismo espanhol, adotado pelas legiões franquistas, “muera la inteligencia, viva la muerte” veremos que há uma imbricação indissociável nesses conteúdos. Há um consenso de que o niilismo é um ingrediente do pensamento fascista de modo geral.

            Vamos convir que “equivoquinho juvenil”, se existe é o seu mesmo, em bora um tanto anacrônico se você tiver a idade que imagino, tentando defender o indefensável, pelo menos com esses sofismas como argumentos.

  5. Leon Trotsky foi revolucionário russo que viveu entre 1879/1940). Marxist e político soviético.
    Que beleza! Traga mais desses dinossauros para encantar os nossos dias.
    Sabia que o carro Tesla americano é totalmente elétrico e capaz de auto-controle nas estradas? Sabia que o mundo trabalha para ir a Marte? Sabia a que há um projeto para o mapeamento do cérebro humano ao nível de programação dos nerurônios similar ao empreendido pelos americanos para o Human Genome Project? Pois é, e a TI insiste em contar historinhas de Trotsky.

  6. A direita não cansa de usar o único argumento de que dispõe para tentar desautorizar Marx: a sua conturbada vida pessoal, já que no plano das idéias não consegue mesmo superá-lo. E para fazê-lo precisa, como sempre, desconhecer a História, descontextualizando a sua biografia. Qualquer criança sabe que no Séc. XIX, no estágio em que se encontrava a medicina, as pessoas acometidas por qualquer doença não raro iam a óbito, basta fazer uma pesquisa rápida em outras biografias da época para comprovar, as famílias eram numerosas, mas poucos sobreviviam, em função disso.

    Quanto a Trotsky, é interessante que o próprio Lênin, que tem uma parcela maior de responsabilidade no legado stalinista, o alertava, já doente e acamado, do perigo em apoiar Stálin para a direção do partido, prevendo a tragédia que viria logo depois, da qual Trotsky seria talvez a primeira e maior vítima.

    A tendência da direita em negar a História, com muito mais razão a impede de vê-la em toda a sua complexidade. O seu desprezo pela teoria, por um pensamento mais elaborado, resulta de um pragmatismo tolo, de uma visão chapada da realidade, que só pode conduzir mesmo a uma postura reacionária. São os idiotas da objetividade, como bem lembrava Nelson Rodrigues.

    • O problema dos idealistas e fanáticos do marxismo é que eles tentam falsificar sua realidade na prática , que foi o fracasso da teoria econômica de Marx, que foi aplicada ao pé da letra na URSS , e seus satélites , China , Cuba e outros dessa linha: toda a atividade econômica nesses países foi estatizada e o estado era o “proletário”, que segundo Marx era quem produzia e quem deveria ser o proprietário da produção.
      Deu no que deu, mas os fanáticos….

      • Você provavelmente já leu todos os meus comentários sobre o tema de Marx e seus correlatos, portanto sabe bem que estou longe de ser “marxista fanático”, mas como não tem argumentos pra me contestar, por conveniência, me coloca nesse saco de gatos. Até porque, na realidade, você, como muitos autointitulados “marxistas”, não conhece p** nenhuma de Marx, não passa de um chutador de meia-tigela,. E eu, pra variar, to aqui gastando pólvora em chimango, como dizem os gaúchos.

        • A teoria econômica de Marx significa todo o poder para o trabalhador e isto foi feito nos países que citei, sem oposição, ao pé da letra, com a estatização da economia. deu no que deu e ponto final.
          Quanto à filosofia de Marx, fora da daquilo que ele elaborou na economia, para mim não serve para nada.
          “O Homem já está pronto” Shakespeare.
          Nada podemos contra isso.: contra uma natureza de milhões de anos.
          “Há mais nela que imagina nossa vã filosofia” Shak….

    • A “direita” a que me refiro aqui é uma generalização, obviamente. no sentido de uma tendência, o que não significa que valha para todos. Há pessoas de direita que respeito, o próprio Nelson Rodrigues é um exemplo. Assim como o Puggina, colaborador deste blog cujos textos leio com atenção, embora possa discordar. E muitos comentaristas aqui também, que aparentemente são de direita, mas merecem a minha atenção e o meu respeito.

      • Muitos confundem aqueles que não se alinham com ideologias ou religiões políticas, que são a mesma coisa, com a direita.
        Existem os de bom senso, os céticos que não são esquerda, direita ou centro e que tem consciência de que cada caso é um caso e , diante de um, procuram conectá-lo aos fatos que lhe correspondem. A informações seguras.

  7. Data vênia caro xará, mas antes de ser democrata Deus é justo, para Ele somos todos seus filhos e, como bom Pai que é nos trata da mesma maneira, sem privilégios ou preferências, como fazem alguns pais.

  8. 1) Só agora, 16:33h abro o computado e vejo a matéria.

    2) Obrigado CN pelo espaço democrático que sempre abrange diversas correntes.

    3) Agradeço a todos, mesmo os que não gostaram do artigo.

    4) É sempre um diálogo aqui e acolá.

    5) Gostei do debate e das informações postadas.

  9. 1) Uma vez escrevi um artigo e o CN democraticamente publicou, onde eu dizia conversar com as árvores.

    2) Teve gente que estranhou, mas essa é a beleza deste blog, por exemplo, diariamente lemos os comentários do “Sapo de Toga” (escrevo com todo respeito). O Sapo fala, escreve, filosofa, tem vastos conhecimentos conforme percebo.

    3) Lembro do grande escritor Monteiro Lobato e seu Sítio do Picapau Amarelo, onde os animais falavam, uma boneca de pano era muito peralta e tinha uma espiga de milho chamado Visconde de Sabugosa.

    4) Deduzo que a TI tem um viés Literário muito importante.

    5) E, vez por outra, poeticamente, agradeço a todos (as).

  10. Devido às limitações do espaço, no afã de ir direto ao ponto mais específico do tema em pauta, as vezes cometemos algumas imprecisões que não podem passar em branco: na verdade, o viés integralista no bojo do Modernismo, diferente do que eu disse antes, gerou um dos seus principais líderes e dirigentes, o próprio Plínio Salgado.

    Além de outros expoentes, como Menotti Del Picchia, Cândido Motta Filho, etc.

  11. Mais uma constatação de Cioran para o tormento daqueles que se iludem com os delírios criados pela mente humana conhecidos como “verdades”:

    “O diabo empalidece comparado a quem dispõe de uma verdade, de sua verdade. Somos injustos com os Neros ou com os Tibérios: eles não inventaram o conceito de herético: foram apenas sonhadores degenerados que se divertiam com os massacres. Os verdadeiros criminosos são os que estabelecem uma ortodoxia no plano religioso ou político, os que distinguem entre o fiel e o cismático.” Cioran

  12. Trotsky falou bonito. Pol Pot também disse “Nós queremos apenas paz para construir nosso país”.
    Trotsky, Stalin, Hitler, Pol Pot sempre falaram de paz, colocavam algumas frases verdadeiras no meio, mas falavam de paz.
    Para concluir, mais uma de Pol Pot: “O julgamento cabe à História”.

  13. Alguns pontos a ponderar:

    – “Informações seguras” são sempre as minhas. Pena que elas não são apresentadas e não servem para contestar um só dos fatos concretos enumerados que comprovam a militância e o engajamento de Cioram ao nazifascismo.

    – É vergonhoso que alguém que se arrogue a condição de leitor de Filosofia desconheça profundamente o conceito de Idealismo. Então é preciso desenhar: resumidamente, Idealismo é uma corrente filosófica que tem precedentes em Platão e Descartes, mas é formalmente reconhecida a partir de Kant (considerado o pai da criança),passando por Fichte, Schelling, Hegel, Feurbach, e outros. Marx faz uma crítica a essa corrente em A Ideologia Alemã, cuja leitura é bastante esclarecedora do seu pensamento.

    – Quando um pernóstico pseudointelectual. usa desse conceito como é entendido pelo senso comum, como mero xingamento, para desautorizar um interlocutor, está apenas mostrando que não merece nenhum crédito num debate realmente sério. Desnecessário dizer que não me filio a essa corrente filosófica, embora qualquer um que tenha a mais leve noção do que seja Filosofia saiba que ela traz uma contribuição importante.

    – Só um babaca completo afirmaria que religião e ideologia são a mesma coisa. Toda religião é uma ideologia, mas nem toda ideologia é uma religião.
    Aliás, ideologia é sempre a dos outros. E os ignorantes desconhecem a crítica contundente que Marx faz à ideologia (no mesmo livro citado antes), ele que nunca pretendeu ser um “ideólogo”, muito pelo contrário.

    – “O fato (FATO) é que no meu comentário mencionei um autor que apontou , para quem se interessa pela realidade e a observa , um dado concreto…”

    Essa afirmação é risível, o que se vê é apenas a velha tagarelice niilista, subliteratura pseudofilosófica que papagueia Nietzsche e Heidegger e não traz absolutamente nada de novo.

    – É muito cansativo combater as trevas da ignorância que circundam o pensamento de Marx, mas para trazer um sopro de oxigênio a essa conversa recomendo a leitura da matéria intitulada “Biógrafo quer apresentar Marx sem o emaranhado do Marxismo”, publicada no Caderno Ilustríssima da FSP. da qual retiro um pequeno trecho, mas altamente esclarecedor:

    “Assim começou um dogmatismo que demorou muito a ser combatido. Marx já antevia esse perigo, daí sua famosa frase ao genro, Paul Lafargue :’Eu não sou marxista’.

    Há também uma frase dele, menos famosa, em resposta ao economista alemão Adolph Wagner, que via na teoria do valor um marco do sistema socialista de Marx, Marx respondeu de forma direta: ‘Eu nunca formulei um sistema socialista'”

    Paro por aqui, ficar gastando pólvora em chimango é muito cansativo e desgastante. O pior ignorante é aquele que opta por ignorar, por mera conveniência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *