Conselho do presidente do Banco do Brasil (e de Dilma): “Guardem dinheiro em casa”.

Comentando sua declaração de renda, que registrava “130 mil reais em dinheiro, em casa, respondendo aos que a criticavam, Dona Dilma disse simplesmente, “É LEGAL”, comentei que era mesmo. Faltava só a confirmação de onde viera essa importância, e por que abria mão de uma remuneração igual a um salário mínimo.

Agora, foi publicado: “O presidente do Banco do Brasil comprou uma casa por 150 MIL REAIS, PAGANDO EM DINHEIRO”. (A informação foi revelada pela jornalista Mônica Bergamo, reproduzida vastamente, praticamente sem citar o nome dela).

Como já disse de forma surpreendente o Boni, homem de televisão, sobre a própria televisão, “eles escondem fatos, não fazem JORNALISMO INVESTIGATIVO”. Logo, logo a informação (da Mônica) e o comentário (do Boni) eram confirmados, e-s-t-a-r-r-e-c-e-d-o-r-a-m-e-n-t-e.

No caso de Dona Dilma, faltou INVESTIGAREM, lógico, não tiveram tempo, vá lá. Mas em relação ao presidente do Banco do Brasil, o fato se agrava precisamente pela sua condição de presidente do maior banco brasileiro. COMPRANDO E PAGANDO EM DINHEIRO, estimula o NÃO DEPÓSITO, enfraquecendo o sistema bancário no que deveria ser o seu fortalecimento, o depósito.

Como ele não chegou à presidência do maior banco brasileiro, agindo ingenuamente, e não “esqueceu” de declarar essa IMPORTÂNCIA IRRISÓRIA, (para ele) de 150 mil reais, alguma coisa precisava ser investigada, esmiuçada, detalhada, destinada e constatada.

Vou citar vários fatos, que precisavam ser traduzidos para o cidadão-contribuinte-eleitor. São simples, facilmente verificáveis por órgãos de comunicação, que têm departamentos especializados”, com noticiosos dito jornalísticos, que estão sempre publicando “fatos que descobrimos com exclusividade”, documentos “sigilosos”, acusações que atingem muitos personagens geralmente sem importância.

O presidente do Banco do Brasil está do lado oposto dos “sem importância”. 1 – Não se sabe se ele DECLAROU à Receita, esses 150 mil. Pelo cuidado dos órgãos de “Comunicação”, ficou a suspeita gritante. 2 – Uma casa (ou apartamento) em São Paulo, por 150 mil reais, que maravilha viver.

3 – A impressão imediata de manter esses 150 mil em dinheiro, provoca a certeza da destinação planejada de sua utilização.  4 – Com o dinheiro declarado e fiscalizado, não surpreenderia tão fortemente, pessoas que trabalham no mercado imobiliário.

***

PS– Acho que o Boni acertou em cheio em duas de suas afirmações. As poderosas televisões não fazem JORNALISMO INVESTIGATIVO.

PS2 – E ESCONDEM fatos, que não lhes interessa DESVENDAR, preferem ESCONDER, a palavra usada por ele.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *