Contador de Lula foi ao Sírio-Libanês levar os recibos para Costamarques assinar

Resultado de imagem para contador João Muniz Leite

Controle de visitas do Sírio-Libanês comprova que o contador foi de manhã e voltou à tarde

Deu no G1 Curitiba

O Hospital Sírio-Libanês informou ao juiz federal Sérgio Moro, nesta quarta-feira (11), que o contador João Muniz Leite fez duas visitas ao empresário Glaucos da Costamarques, quando ele estava internado no local. O hospital também diz que não havia registros de visitas do advogado de Lula, Roberto Teixeira, durante o período de internação no hospital. As informações foram anexadas a pedido do magistrado, para apurar as versões a respeito de recibos de pagamentos de alugueis anexados pela defesa do ex-presidente Lula a um dos processos que responde na Operação Lava Jato.

Leite é contador do ex-presidente. De acordo com a defesa de Costamarques, ele foi ao hospital para levar uma série de recibos de alugueis, referentes ao apartamento vizinho ao que a família de Lula mora, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. Esse imóvel faz parte da denúncia do Ministério Público Federal (MPF), contra o ex-presidente.

CONTRADIÇÕES – O MPF afirma que Costamarques comprou o imóvel com dinheiro da Odebrecht, para favorecer Lula. Em depoimento, o empresário disse ao juiz Sérgio Moro que, embora tenha firmado o contrato de locação em 2011, só começou a receber valores da família do petista em 2015.

Para contrapor a versão, a defesa de Lula anexou ao processo cópias de 26 recibos, com datas entre 2011 e 2015. O objetivo era comprovar a quitação dos aluguéis no prazo em que Costamarques disse que não havia recebido.

A defesa de Costamarques, então, anexou um outro documento ao processo, afirmando que parte dos recibos apresentados por Lula tinham sido assinados durante a internação do cliente, no Hospital Sírio-Libanês.

PEDIDO DE TEIXEIRA – Os advogados disseram que, antes da visita de Costamarques, o advogado de Lula, Roberto Teixeira, teria ido ao hospital e solicitado as assinaturas. No documento enviado a Moro, o Sírio Libanês disse que não encontrou registros da entrada do advogado.

Quando prestou depoimento a Moro, Teixeira negou o suposto encontro no hospital. Ele disse que se encontrou por acaso no Sírio-Libanês com Glaucos, meses depois da assinatura dos recibos.

As versões divergentes fizeram o MPF abrir uma nova investigação, para apurar a autenticidade dos documentos. Os procuradores afirmam que eles contém indícios de falsidade ideológica e pediram uma perícia nos documentos. Alguns dos recibos tinham datas inexistentes no calendário e erros de grafia, que se repetiam em vários documentos.

RECIBOS ORIGINAIS – Moro, então, fez o pedido ao hospital, para que mandasse o registro de visitas. Ele também determinou que a defesa de Lula apresentasse os recibos originais à Justiça. O magistrado não solicitou a execução de perícia.

Nesta quinta-feira (11), a defesa de Lula informou ao juiz que possui os originais dos 26 recibos já apresentados e disse que encontrou outros seis, também assinados por Costamarques. De acordo com a defesa do ex-presidente, o contador João Leite trabalhava também para o empresário. Eles ainda pediram uma audiência formal com Moro, para apresentarem os documentos na presença de um perito.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Como dizia Erasmo Carlos, pega na mentira, pisa em cima, bate nela… É um grande festival de mentiras, que vai justificar a condenação de todos eles – Lula, Marcelo Odebrecht, Roberto Teixeira e Costamarques, porque cúmplice sempre é sentenciado junto com a autor do crime. A diferença é que geralmente pega a pena mínima. (C.N.)

4 thoughts on “Contador de Lula foi ao Sírio-Libanês levar os recibos para Costamarques assinar

  1. A nota da defesa de Lula:

    Rebatemos hoje (11/10) os questionamentos apresentados pela Força Tarefa da Lava Jato de Curitiba sobre os recibos de quitação emitidos pelo Sr. Glaucos da Costamarques em favor de D. Marisa Letícia Lula da Silva. Os documentos haviam sido apresentados em 25/09, após o depoimento do ex-Presidente na Ação Penal nº 5063139-17.2016.404.7000, em trâmite perante a 13ª. Vara Federal Criminal de Curitiba.

    Em mais um ato de “convicção”, o MPF afirmou em manifestação apresentada em 04/010, sem perícia ou amparo técnico, que “sem margem à dúvida” (sic) os recibos seriam falsos. Na manifestação protocolada hoje, apresentamos 9 motivos que demonstram o erro dos procuradores ao sustentar a falsidade desses documentos.

    https://goo.gl/wBUXjT

  2. É tão fácil descobrir a verdade. Fazendo uma perícia nas contas bancarias do costamarques e ver como ele pagou o apartamento e de onde veio o dinheiro que abasteceu a sua conta.
    Se alegar que foi proveniente da venda de gado, que apresente as notas fiscais e os procedimentos para a transferência de bovinos, que hoje exigem a entrega de “brincos” e baixa nos cadastros.
    Isso se foi ele quem pagou, se não foi, apurem quem foi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *