Conversa com comentaristas, sobre o café vietnamita de cada dia e a “privatização” dos aeroportos.

Paulo de Tarso Nascimento: “Mestre Helio Fernandes, São Paulo teve um Instituto Paulista de Defesa Permanente do Café, transformado em Instituto de Café do Estado de São Paulo (extinto em 1986), fiscalização austera sobre a qualidade do produto. E agora, café vietnamita…”

Comentário de Helio Fernandes:
Lamentável, melancólica, mas rigorosamente verdadeira a tua informação. De maior produtor de café e tomando a bebida com a maior satisfação, agora somos importadores. E obrigados a beber essa água suja vietnamita. Obrigado.

***

IMPORTANDO TECNOLOGIA

Welinton Naveira e Silva: “Tecnologia, sim. Exportar grãos, cereais, alimentos, minérios e manufaturados, sempre será importante para a nossa economia, principalmente se conter trabalho agregado. Mas, o mais importante, é exportar produtos que contenham tecnologia de ponta, sem dúvida alguma. Quanto a isso, o primeiro mundo deita e rola. Faturam bilhões. Vendem para o terceiro mundo toda a sorte de produtos eletrônicos e outros mais, recheados de novas tecnologias, tudo a preço de ouro, enquanto a gente continua exportando os nossos produtos, a preço de banana. Essa é a velha mágica para os países ricos sempre continuarem muito bem, apesar de toda a crise financeira. O governo da presidente Dilma Rousseff deveria dedicar toda a merecida e especial atenção para esta questão, crucial para a nossa economia, soberania e segurança. Além do que, desenvolver novos produtos e novas tecnologias requer muita mão de obra. Emprega muito gente”.

Comentário de Helio Fernandes:
É o tipo de conselho que Dona Dilma devia aceitar, registrar e executar. Sumarizando, isso se chama DESENVOLVIMENTO.

***

AEROPORTOS PRIVATIZADOS

João Ribeiro Armínio: “E sobre esse assunto de privatização existe outro aspecto, ou seja, quem realmente estará interessado em assumir esse setor nevrálgico do país? Quem tem know-how para tanto? E os aeroportos das outras localidades, que são sabidamente deficitários e vivem a reboque de Guarulhos, Campinas e Galeão? Além disso, a Infraero não é só infraestrutura, mas também possui em seu bojo o setor de Navegação Aérea, isto é, torres de controle e estações-rádio que operam em importantes localidades e capitais. E em caso de privatização o que acontecerá com essa mão-de-obra especializada que opera nesse importantíssimo setor? Serão simplesmente demitidos? Com a resposta o governo “popular” e “democrático”.

Comentário de Helio Fernandes:
Não têm competência, João, recursos ou capacidade para “fazer” um aeroporto, pequeno e o mais distante possível. Mas com dinheiro do BNDES, construirão qualquer coisa. Se der certo, lucrarão muito. Se não der, o cidadão-contribuinte-eleitor assume tudo.

A Ofélia Alvarenga disse que ninguém falou em financiamento. Ela está coberta de razão. Mas é assim que as coisas acabam no Brasil. FHC, que DOOU uma parte enorme do nosso patrimônio, nunca falou em privatização. Criou a Comissão de Desestatização, entregava as riquezas, RECEBIA em papéis que valiam 0,1 por cento do valor de face. E todos ficaram impunes e enriquecidos.

 

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *