Conversa com comentaristas, sobre Sarney na presidência do Senado e o futuro do PT e do PSDB.

Marcelo de Jesus Delfino: “Não adianta. O PSDB está definitivamente preso ao passado, à Era FHC. Não voltará à Presidência, jamais. O eleitorado já decidiu. O PSDB é o passado e o PT é o presente. O futuro a suplantar tudo isso há de ser bem melhor”.

Comentário de Helio Fernandes: De uma coisa você tem razão. Embora seja difícil marcar os tempos. O passado não é rigorosamente o tempo que passou, principalmente em termos de política eleitoral. O presente seria mais fácil de determinar ou localizar, mas o PT será Lula-Dilma-Lula? De qualquer maneira, tenho estabelecido minhas dúvidas, que se parecem com as tuas. Se não fizeram a imprescindível reforma partidária, tudo será passado, não teremos futuro.

PS – Em tempo: ela não fará nenhuma das modificações exigida para participarmos de um futuro, verdadeiramente representativo.

 ***

SARNEY: “NÃO TENHO ACORDO COM RENAN

BMJ: “Jornalista, li assombrado a afirmação do presidente do Senado: “Serei reeleito sem apoio de ninguém, nem mesmo de Renan”. Isso é verdade? Então, os 41 votos necessários virão de onde?”

Comentário de Helio Fernandes:
Você pergunta se é verdade. Saiu como declaração dele, que não contestou. Quando ele fala, “serei eleito sem precisar de apoio de ninguém”, é um que pode dizer isso, sem ser acusado de “MENAS” verdade.

Foi presidente da República sem povo, sem voto, sem urna, o que pode ser chamado de unanimidade diante do espelho. Num sistema INDIRETO, ele foi mais INDIRETO por determinação do destino.

PS- Suplente de deputado em 1954, em 1985, 31 anos depois, foi “presidente”. Agora, 25 anos depois dessa “indireta” felicíssima, está no quinto mandato de senador, mudou até de Estado.

PS2 – E ainda afirma: “Não preciso de apoio, PRINCIPALMENTE DE RENAN”.

 *** 

OFELIA INDO E VOLTANDO

Ofelia Alvarenga: “Helio, é verão, mas os dias estão cada vez mais curtos. Quero agradecer a hospedagem dos meus comentários, me distraiu muito vir aqui e palpitar, algumas vezes melhor que outras. Ou pior. E dizer que se eu voltar é porque vim. Se não voltar é porque não vim. Saúde e Paz. Obrigada.”

Comentário de Helio Fernandes:
Ofelia Alvarenga, tua manifestação a respeito da participação, compreensível, mas dependendo unicamente de você. Como comentarista, você é que define e garante a p-e-r-i-o-d-i-c-i-d-a-d-e, que palavra.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *