Conversa com leitor-comentarista que pede comparação impossível entre Gilberto Carvalho e Golbery

Mario Riêra Filho: “Hélio, quem foi mais importante dos dois: o general Golbery ou Gilberto Carvalho?”

Comentário de Helio Fernandes:
Ah! Riêra, só pode ser gozação. Gilberto Carvalho, nos 8 anos no Planalto, era o encarregado de dar a Lula as boas notícias e esconder as ruins. Fez isso com enorme satisfação, Roberto Jefferson deixou bem claro, no discurso do mensalão. Agora, não podendo ser demitido, Carvalho foi promovido. É o homem de dentro do “sistema” que contará (espionará) tudo para o ex-presidente, esteja onde estiver.

Quanto a Golbery, foi um gênio do maquiavelismo, do mal ou do pior, mas inegavelmente foi. Todo o início de 64 foi dominado por ele. E mesmo quando ficou de fora (os 2 anos e meio de Costa e Silva, os 5 de Médici), manejou, mobilizou, mapeou toda a política e a perseguição, era especialista nisso.  Não conhecia 0,001 de problemas, se fosse, como se diz agora, “desenvolvimentista”, que maravilha viver.

Com o Poder que acumulou, se fosse um homem de ideais, voltado para a realização, o Exército teria deixado o Poder com um saldo extraordinário. A impopularidade do Exército no Poder, cabe única e exclusivamente ao planejado e executado por Golbery.

Mas é impossível negar: os chefões (naturalmente generais) apoiavam Golbery, assinavam tudo que ele fazia, mesmo sabendo que não era o certo. Golbery nunca foi punido, apesar de estar sempre na ilegalidade, mesmo antes de 64.

Quase impediu o governo Vargas (50/51), lutou contra a posse de Juscelino (55/56), sempre derrotado. Participou num posto-chave, dentro do governo, da “renúncia-golpe” de Janio Quadros. Foi golpista 12 anos antes de 64, quando redigiu e assinou o Manifesto dos Coronéis, a primeira derrubada de João Goulart.

Sem nenhuma convicção, os maiores empresários e os mais reacionários estavam ao lado dele, financiavam suas aventuras, dele e dos empresários. Foi ele que criou o IPES (Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais), um dos grandes escândalos da época: derrame de dinheiro nunca visto, para combater no Congresso a Frente Parlamentar Nacionalista, de grande atuação a partir de 1954.

 ***

PS – Comparado a Golbery, Gilberto é um “moço de recados”. Depois de ter dominado sagazmente, todo o governo Geisel, em 1977, Golbery criou a “candidatura” Silvio Frota, Ministro da Guerra de Geisel.

PS2 – Por que fez isso? Percebeu que com Geisel a ditadura estava no fim, com Frota seria o rejuvenescimento total.

PS3 – Perdeu, mas manteve parte do Poder e a visão dos fatos, não se iludiu: Brizola era o grande adversário a combater, Lacerda havia morrido. Então, quando Brizola quis assumir o PTB, trabalhou acintosamente para entregar o partido a Ivete Vargas. Conseguiu, Brizola gastou um tempo enorme para criar e manter novo partido, o PDT.

PS4 – Fui claro, Riêra?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *