CONVERSA COM LEITORES: 1 – Relações de Lacerda e Mário Lago. 2 – O enriquecimento de Lacerda. 3 – Os royalties do petróleo e pré-sal

Hugo Gomes de Almeida:
“Carlos Lacerda e Mario Lago foram muito amigos nos tempos do Partido Comunista? Depois se separaram, foram se reconciliar na prisão?”

Comentário de Helio Fernandes:
Foram muito amigos nos tempos que começavam em 1932/33, quando os que não eram abertamente comunistas, se declaravam, no mínimo, socialistas ou “trotsquistas”.

Mario Lago, admirável personalidade, era comunista declarado, sofreu muito por isso. Mas jamais quis fazer carreira. E depois do grande sucesso como compositor e no rádio, continuou comunista, era a sua convicção.

No AI-5, revoltado, lógico, não tinha por que ser preso. Mas como no filme “Casablanca”, na confusão, o chefe de Polícia (Claude Rains) determinou, “prendam os suspeitos de sempre”.

Mario Lago foi preso na tarde do dia 15, no intervalo de uma peça no Teatro Princesa Isabel. Fazia um irlandês, estava de saiote e tudo. Foi logo dizendo: “Aqui, só o Helio e o Lacerda são meus amigos, (textual) estou com esta roupa, mas não sou viado”.

***

PS- Na época, a palavra gay ainda não era muito usada, chamavam de viado mesmo.

PS2 – Dormíamos no chão, distantes uns dos outros, às vezes “sobrava um colchão”, todos ofereciam para os outros. Mario e Lacerda se deram muito bem, nunca os ouvi sequer discutir, como eu e Lacerda.

PS3 – Na época, (e depois) os comunistas brigavam tanto, que existia até a provocação expressa na frase: “Os comunistas só se unem na prisão”. Parecia verdade, mas Lacerda dizia, “jamais fui comunista”.

PS4 – Escreveu até um artigo de 32 laudas, (Lacerda era assim) no mensário “Observador Econômico e Financeiro”, tentando se explicar ideologicamente. Ninguém jamais fez tanto mal a Carlos Lacerda do que ele com esse artigo. Nunca se recuperou.

Enriquecimento de Lacerda

Saulo:
”Você não falou nada sobre a riqueza do governador e como ele acumulou fortuna, De onde teria vindo, ele só foi jornalista e governador?”

Comentário de Helio Fernandes:
Já afirmei e é rigorosamente verdadeiro: Lacerda ficou rico vendendo o jornal para o senhor Nascimento Brito. Este, casado com a filha da Condessa Pereira Carneiro, se irritava sendo chamado de genro. O Jornal do Brasil, sem jogo de palavras, era o maior jornal do Brasil, fundado em 1891, que teve a honra de ter, ao mesmo tempo, o que se chamava na época de Redator-Chefe: Rui Barbosa e Joaquim Nabuco.

Com o dinheiro, Lacerda fundou a Nova Fronteira, comprou a Construtora Magalhães (dos irmãos que tinham esse nome), terras em Ubatuba, o belíssimo sitio do Rocio, e mais e mais.

Foi criticadíssimo nas mais diversas oportunidades, menos de desonestidade. Se tivesse sido, Saulo, com os inimigos que fez, o mundo todo saberia. Apesar de tudo, não desminto, talvez você saiba de fatos extraordinários?

Como impedir a perda dos roylaties

Paulo Sólon:
“Helio, existe algum modo de impedir na Justiça, o roubo das riquezas do Estado do Rio, se não receber mais os royalties do petróleo? Podem cortar e levar à falência os estados e municiípios que tinham essas verbas no orçamento?”

Comentário de Helio Fernandes:
Existem recursos vários, todos na Justiça. É preciso ficar alerta com a votação, que provavelmente não ocorrerá este ano. Lula já deixou bem claro: “O Congresso é que decide”. Normalmente seria isso mesmo, mas sempre foi o Executivo que resolveu, com MEDIDAS PROVISÓRIAS ou COOPTANDO deputados e senadores, a BASE PARTIDÁRIA.

Veja você, Solon, o absurdo geral e total. O projeto que, ARTIFICIALMENTE, leva o nome de Ibsen tramitou na Câmara, por 7 meses. Ninguém se manifestou. Agora, cabralzinho “chora”, Serra e Dona Dilma “apoiam”, o lobista Eduardo Cunha entra no Supremo. Que República.

Mudança de uma letra

São tão pretenciosos, presunçosos, arrogantes, perniciosos e sempre voltados para eles mesmos, que economistas deveriam ser chamados de egonomistas.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *