Conversa com leitores sobre GENTICA, TALENTO-INTELIGNCIA E DESTINO, nos casos de Chateaubriand, Roberto Marinho e Ricardo Teixeira

Hugo Gomes de Almeida:
Caro Helio Fernandes, nenhuma dvida de que Chateaubriand tinha talento e inteligncia. Mas no nos esqueamos que suas vitrias foram decorrncia muito mais dos defeitos do que das virtudes. Era tambm um refinado maquiavlico. Um aventureiro, defendendo que os fins justificam os meios.

Comentrio de Helio Fernandes:
Certssimo, Hugo, voc j vinha fazendo anlises timas. Eu no quis defender Chateaubriand, nem atacar Roberto Marinho. Frase perfeita tua sobre Chateaubriand: Suas vitrias foram decorrncia muito mais dos defeitos do que das virtudes.

S que Roberto Marinho tinha a mesma filosofia de vida e nem chegou perto. A no ser na geografia da conta bancria.

DESTINO tem muito ou
quase tudo a ver com ACASO

Marcilio:
Meu caro Hlio, nesse assunto sigo a linha desenvolvida pelo Sr. Hugo, dizendo ainda o quo difcil a genialidade caminhar ao lado da maioria! Que genialidade essa? Sem o apoio dos poderosos no conseguem vencer? Como dizia Darcy Ribeiro, para ser igual a esses vitoriosos, me orgulha a derrota.
Por outro lado, mostra-nos as formas de sucesso identificadas pelo Sr. Hlio o quo dependente do acaso. Ser devido a opresso de uns poucos sobre a maioria? E por que uma boa parte dos talentos e inteligentes tem sua origem na pobreza? A gentica interfere na continuidade de formas inteligentes ou ser que o acesso s informaes desde o bero condio necessria e suficiente? Neste caso, poderemos da concluir que, por essa tica, nascer em bero esplndido condio sine qua non para o talento e a inteligncia?
Sei que existe um interferncia na forma de educar, de transmitir informaes, em debater as informaes para que sobrevenham os talentos e as inteligncias. Por outro lado, sei tambm que, quando se trata de arte, somente uns poucos conseguem externaliz-las. Por que disso? Ter alguma interferncia o processo da educao nessa exteriorizao? Teremos todos ns algum talento enrustido? E se o temos, como faz-lo aflorar? No esqueamos que o domnio da linguagem oral tambm uma arte.

Comentrio de Helio Fernandes: Desculpe, mas a GENTICA, nada a ver com bero esplndido, riqueza, boa educao, altas contas bancrias, e sim personagens que ficaram na Histria pelo que realizaram. Einstein, Napoleo, Marx, Freud, Lincoln, Roosevelt, e outros que so lembrados at hoje, e naturalmente se tivessem tido filhos.

Se os possveis filhos seguissem o que os pais fizeram, isso GENTICA. Mas descendentes de gnios da humanidade no fizeram coisa alguma, passaram desconhecidos ou deslembrados.

Uma concordncia com voc, Marcilio. DESTINO tem muito ou quase tudo a ver com ACASO. A, meus parabns, mas TALENTO no se adquire, INTELIGNCIA possvel, mas apenas em parte.

Ricardo Teixeira: sem GENTICA,
INTELIGNCIA ou TALENTO

Alberto Conrado:
Sua reflexo admirvel, s voc seria capaz de elabor-la e coloc-la em discusso pblica. No provocao, gostaria apenas de esclarecimento: nas suas trs concluses, ele se encaixa em todas, como explicar o senhor Ricardo Teixeira?

Comentrio de Helio Fernandes:
No recebo como provocao, apenas oportunidade para esclarecimento. E at reparo. Exemplo: voc diz que o presidente da CBF se encaixa nos trs itens da minha reflexo. Mas s se for de forma NEGATIVA, Alberto.

Ricardo Teixeira no tem GENTICA, o menor TALENTO ou INTELIGNCIA, mesmo esperta ou capenga.

Ele obviamente projeo do DESTINO, que nem sempre positivo para a coletividade.

Esse DESTINO no previsvel, mas ser sempre sujeito correo da Histria. Ele s aparece aqui pelo fato de controlar a PAIXO NACIONAL (e universal), que o futebol. Mas desaparecer logo, est no seu destino.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.