Coronavírus vai salvar Paulo Guedes do fracasso do neoliberalismo à brasileira

Resultado de imagem para paulo guedes

Guedes, o ilusionista, agora tem uma boa desculpa para tudo

Carlos Newton

Sempre que publicamos aqui na Tribuna da Internet algum artigo ou entrevista de Delfim Netto, logo surgem aqueles comentários infantis sobre o caráter do veterano economista, as propinas que recebeu ou teria recebido na sua passagem pela Embaixada da França, quando foi denunciado em 1976 pelo adido militar, coronel Raymundo Saraiva Martins, que fez um relatório contra o embaixador e teve sua carreira interrompida, não chegou a general.

Esses críticos irascíveis de Delfim Neto deveriam ler essas matérias, ao invés de desprezá-las, porque tudo o que ele diz é sempre importante.

NA ERA DA CONSTITUINTE –Durante a Constituinte de 87/88, Delfim tinha sido eleito por São Paulo e se tornou um dos meus entrevistados favoritos, junto com o consultor da República Saulo Ramos, os senadores Mário Covas e Roberto Campos, e os deputados Bernardo Cabral (relator), José Serra, Francisco Dornelles e Miguel Arraes, sem falar no Dr. Ulysses Guimarães, que presidia simultaneamente a Câmara, a Constituinte e o PMDB. Bons tempos, eu era feliz e não sabia…

Saulo Ramos, Bernardo Cabral e Ulysses Guimarães eram grandes constitucionalistas. Com os demais eu conversava sobre os temas econômicos. Fiquei amigo mesmo de Saulo Ramos, realmente genial. Eu ia quase todo dia visitá-lo na Consultoria-Geral da República, e depois nos reencontrávamos  no happy hour do restaurante Fiorentino.

SEMPRE BEM-HUMORADO – Eu também ia muito ao gabinete de Delfim Netto, que desde os tempos de ministro era assessorado pelo jornalista Gustavo Silveira. Ao contrário de Roberto Campos, Delfim estava sempre bem humorado. Nenhum dos dois ostentava riqueza. Na era do predomínio do Opala e do Corcel Del Rey, Delfim ainda andava num Galaxie antigo, muito rodado, que lhe lembrava os áureos tempos de ministro.

Cheguei a ir ao apartamento de Roberto Campos em Brasília, às vésperas da votação da reserva de mercado para a informática, que ele defendia, e eu tinha sido contratado para escrever o discurso a favor dos industriais brasileiros. Mas isso já é outro assunto.

ECONOMISTAS GENIAIS – Sempre considerei Delfim Netto e Roberto Campos como economistas geniais. Quando perguntei a Delfim sobre o neoliberalismo e o laisser-faire, ele deu uma gargalhada. Roberto Campos também achava inviável crescimento sem um Estado forte, que possa fazer intervenções keynesianas.

Três décadas depois, vejo o Brasil comandado por um economista laisser-faire, que tenta transformar o Brasil num Chile que não deu certo. Jamais me incomodei com o fato de Delfim e Campos serem de direita. O fato concreto é que eles foram responsáveis pelo milagre brasileiros com o PIB crescendo média de 11% entre 1968 e 1973. O Brasil era o país que mais crescia no mundo.

Infelizmente, Roberto Campos já pediu as contas, mas continuo lendo tudo o que Delfim Netto diz. Ele adverte que Guedes não deveria ser isento do limite de despesas públicas e eu também acho que isso não vai dar certo. “Derrubar o teto de gastos não é a salvação nacional”, afirma Delfim. Realmente, precisamos pensar sobre isso.

###
P.S. 1 –
O coronavírus vai salvar do fracasso o neoliberalismo à brasileira inventado por Paulo Guedes. A partir de agora, todos os problemas econômicos e sociais serão atribuídos à pandemia.

P.S.  2 –Se você chegar em qualquer país desenvolvido e defender o neoliberalismo, vão achar que você está de brincadeira. Mas Guedes já mostrou que não tem medo do ridículo. E la nave va, cada vez mais fellinianamente. (C.N.)

39 thoughts on “Coronavírus vai salvar Paulo Guedes do fracasso do neoliberalismo à brasileira

  1. 1) Excelente artigo CN, parabéns !

    2) Penso que vc poderia escrever mais sobre suas memórias, será um grande ensinamento para todos nós.

    3) Hoje começa o Outono. Feliz Outono para vc e seus familiares, com muita saúde e proteções.

    4) Votos similares aos que direta ou indiretamente fazem a TI, incluindo famílias.

  2. CN, Delfim Netto acha que as medidas recessivas, como cortes de salários, congelamento dos gastos de saúde, devem ser mantidas. Quer dizer que ele está certo e o mundo todo está errado?

    • Defender congelamento de gastos de saúde fica muito bem, quando vem das pessoas consideradas “respeitáveis” pela mídia. Elas nunca serão consideradas responsáveis pelas catástrofes subseqüentes, que serão sempre fatalidades inevitáveis. Ou então serão culpa dos russos, do Trump, ou do vilão do dia escolhido pela mídia…

    • Desculpe, amigo José Vidal, mas eu não disse isso, apenas falei que o Delfim deve ser ouvido, antes de ser execrado. Por acaso, eu também defendo corte de altos salários, de acúmulo de aposentadorias e salários, mas isso não vai acontecer. O governo deve ter liberdade para aumentar gastos com saúde e assistência social, mas não pode liberar geral, o que preocupa Delfim.

      Abs.

      CN

      • Certo amigo Newton, mas no artigo anterior Delfim defendia a aprovação da PEC186 e a manutenção do teto de gastos. Ora, com esta crise, pensar em diminuir as despesas é algo impensável. E claro, a aprovação da PEC186 como está vai estourar em quem?

        Art. 3° Se for constatado, no período do segundo ao décimo terceiro mês antecedente ao da promulgação desta Emenda Constitucional, que a realização de
        operações de crédito, no âmbito dos Orçamentos Fiscal e da Seguridade Social da União ,
        excedeu o montante das despesas de capital, serão automaticamente acionados mecanismos de estabilização e ajuste fiscal, sendo aplicadas, no restante do exercício
        financeira e nos dois subsequentes, a todos os Poderes e Órgãos mencionados no art. I 07
        do Ato das Disposições constitucionais Transitórias, as vedações previstas no caput e
        parágrafos do art. 109 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias.

        “§ 3°No período de que trata o caput, a jornada de trabalho dos ocupantes de cargos, funções e empregos públicos da administração direta, autárquica e fundacional poderá ser reduzida em até 25% (vinte e cinco por cento), com adequação proporcional de subsídios e vencimentos à
        nova carga horária, nos termos de ato normativo motivado do Poder
        Executivo, dos Órgãos do Poder Judiciário, dos Órgãos do Poder
        Legislativo, do Ministério Público da União, do Conselho Nacional do
        Ministério Público e da Defensoria Pública da União, que especifique a
        duração, a atividade funciona!, o órgão ou unidade administrativa
        objetos da medida, bem como discipline o exercício de outras atividades
        profissionais por aqueles que forem alcançados por este dispositivo.”

      • CARLOS POR QUE VOCE NÃO CITA AS ISSENÇÕES FISCAIS OS REFIS OS JUROS E AMORTIZAÇÕES DA DIVÍDA,VOCE ERA MELHOR QUANDO ESTAVA NA ANTIGA TRIBUNA DA IMPRENSA,DELFIN SE PREOCUPA COM DINHEIRO PARA OS GRANDES RENTISTAS O GRANDE CAPITAL.

  3. Bom dia , leitores (as):

    Covid-19: Malafaia faz cultos no Rio :

    Líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, Silas Malafaia vem realizando cultos durante a semana no Rio de Janeiro, apesar da orientação de evitar aglomerações.
    Hoje, boa parte das cadeiras do templo estavam vazias, mas nem todos evitaram manter distância mínima de 1 metro de outras pessoas.
    Ele disse a igreja é um “hospital emocional” e a mantém aberta para acolher necessitados. Só vai fechá-la se no estado for decretado estado de calamidade pública ou se receber ordem judicial.
    Leia também:
    Nos sermões, que são transmitidos ao vivo no YouTube, o pastor vem pregando sobre “a importância da fé em tempos de pânico, paranoia e incertezas”.
    Vede o quanto esse sujeito é nocivo ao seu próprio público , que o mantém através de doações diversas .
    Não seria o caso de interditar a igreja e prender esse sujeito ,que esta mais preocupado em perder dinheiro e renda do que zelar integridade e saúde de seu público ?

  4. Um simples exemplo do que deveria ser adotado pelo gov. federal.

    Niterói

    MEDIDAS ANUNCIADAS Hoje PELO PREFEITO DE NITERÓI APÓS UMA REUNIÃO COM TODOS OS VEREADORES QUE ANUNCIARAM UMA TRÉGUA ENTRE OS PODERES.

    – Academias, Salões de beleza, Cursos de línguas, Cabeleireiros e Bares fechados.

    – Suspensão do Niterói rotativo por 30 dias

    – Antecipação do 13o a todos os servidores públicos no dia 2 de abril. 70 milhões de reais. Aposentados, pensionistas e servidores da prefeitura para ficar em casa.

    – Auxilio de 500 reais por mês para cada um dos 7 mil pequenos empreendedores de Niterói (MEI) a partir de vc vc medida a ser aprovada pelo Legislativo.

    – Arte na Rua virtual. Lançamento de edital na área da Cultura, área de economia criativa, para transformar projeto Arte na Rua (Apresentação de artistas locais em lugares públicos) para que eles possam se apresentar pela internet, podcast e outras ferramentas digitais, nas varandas dos prédios etc. Forma de gerar renda para artistas da cidade.

    – Até segunda-feira serão distribuídas 32 mil cestas básicas para famílias das crianças da rede pública municipal.

    Suspensão do corte de fornecimento de água por falta de pagamento pelos próximos 3 meses (a ser aprovado pela Camara)

    – Ampliação da retaguarda da área da saúde. Prefeitura vai arrendar, por 1 ano, o Hospital Oceânico (Piratininga) que está fechado. A partir do decreto de Emergência terá 140 leitos de UTI com respiradores.

    O coronavirus veio para derrubar do pedestal os neoliberais e colocar o bem estar da humanidade no seu devido lugar: no centro da política econômica.

    • Roberto Campos não só apoiou, como comandou a batalha pela aprovação da reserva de mercado na informática, que os militares também apoiavam. Quando saímos vencedores, houve um jantar no restaurante Gaf, com direito a charutos cubanos e tudo o mais. Eu jamaias soube que Roberto Campos tenha se arrependido desse apoio, acho que isso nunca aconteceu. Recordar é viver, como diz o Celso Serra. Às vezes, olhando o passado, percebo que o Brasil poderia ter sido e me bate um desânimo danado.
      ABS.
      CN

      • É que nessa época a tal informática impressionava como uma novidade fantástica, que nem Roberto campos imaginava que ela dependia da alta tecnologia para a fabricação dos processadores de suas máquinas, que o Brasil não possui até hoje.
        Aí , até Roberto Campos caiu nessa esparrela do “petróleo é nosso” e criamos uma COBRA, que acabou nos matando com seu bom e velho veneno do ‘nacionalismo’ infanto-juvenil, criado nos laboratórios da esquerdinha.
        A Coreia do Sul foi por outro caminho e jovens em suas garagens nos EUA nessa época, sem nenhuma intervenção do estado, criaram as maiores empresas do mundo hoje, com seus softwares, que valem trilhões de dólares .

        • A Coreia do Sul foi inteligente, adotou medidas que protegiam suas indústrias incipientes (taxando importações e subsidiando seus produtos) e até direcionou a vocação de outras, como a LG. A China também seguiu passos diferentes. E claro, as patentes não foram muito respeitadas (tanto quanto os EUA fizeram no começo do seu desenvolvimento). Aqui no Brasil, erramos. O que deveria ser feito era o que os países citados fizeram. Não fecharam suas fronteiras, mas protegeram suas indústrias.

      • Pergunte a qualquer engenheiro elétrico eletrônico com mais de 50 anos e pergunte, se não existisse a reserva de mercado na informatica, como estaríamos, a resposta será no minimo 10x melhor em todos os sentidos

  5. Sensacional seu artigo, Carlos Newton. Nenhuma crítica, só elogios.
    Campos e Delfim Neto cometeram erros, sim, quem não os comete? Entretanto, eram homens cultos e não cometiam tanta gafe como esse ministro neoliberal Guedes, que aproveitou a lacuna, o hiato presidencial, para implementar duras medidas contra a classe trabalhadora. O laisse-faire, muito bem exposto no seu artigo, só não foi ampliado, porque o Presidente Bolsonaro deu uma trava nele, sentindo o cheiro de queimado na sua popularidade.
    Quando Guedes discursa, elenca sandices em série, geralmente contra os pobres, como no caso das empregadas domésticas, que ele achou um absurdo a viagem delas para a Disney. Uma maldade puramente preconceituosa.
    O mantra desse economista são as Reformas, só fala delas, como se fosse uma vara de condão, destinada a nos levar ao paraíso. Essas medidas reformistas, todas destinadas a restringir direitos adquiridos dos trabalhadores, enquanto abre os cofres da nação para os empresários, sejam eles, banqueiros, industriais, exportadores, concessionários de aeroportos privados (desobrigados de pagamento das dívidas com o BNDES). Para os trabalhadores informais, concedeu risíveis R$ 200,00, mensais, os quais disse pomposamente na televisão: ” dá para comprar duas cestas básicas” Totalmente fora da realidade.
    Quem sou eu para dar conselhos ao presidente Bolsonaro, contudo, é preciso alertá-lo; Tome para si, o leme da Economia Nacional, não deixe na mão do Guedes, caso contrário, ele irá pulverizar todo o seu capital político, com os eleitores.
    Só estou escrevendo essas linhas, porque o momento é de uma gravidade jamais vista na história da nação. Cansei de incompreensões, de ataques gratuitos, de palavrões, de autoritarismos, de preconceitos, de partidarismos, de visões toscas da realidade, de Fla-Flu e nós todos indo para o fundo do poço.
    Aí entra o coronavírus, para dar um choque de realidade e de humildade, diante da fragilidade humana. Nada acontece por acaso, nesse mundo espiritual e ao mesmo tempo racional. Tudo é contradição como enfatizava o filósofo Hegel, o criador da Dialética.

  6. Carlos Newton, muito bom artigo. Impossível não recordar, dentre outros, dois pontos marcantes:

    O primeiro, que o Dr. Ulysses Guimarães presidia simultaneamente a Câmara e a Constituinte, parteira da atual Constituição que, nas palavras de seu convocador Sarney, tornou o Brasil ingovernável.

    O segundo, além da situação de Delfim Neto e Roberto Campos serem de direita, “O fato concreto é que eles foram responsáveis pelo milagre brasileiro com o PIB crescendo média de 11% entre 1968 e 1973” – aliás, governos alcunhados de “militares” – embora todos os presidentes da República fossem da reserva.

    Nessa fase, os jovens saiam das faculdades e encontravam rapidamente empregos. Eram, como você e eu, felizes e não sabíamos.

  7. Excelente Artigo de nosso Editor-Moderador, o grande e experiente Jornalista Sr. CARLOS NEWTON.
    O BRASIL até 1930 seguia o Modelo LIBERAL LAISSEZ-FAIRE resultando em pífios crescimentos e uma Economia Agrária Manual de baixo Rendimento(Café, Açúcar, Gado).

    Com a Revolução de 1930 sob a liderança do Estadista Presid. VARGAS ( 1930 – 1945 ) e (1951-1954) partiu-se para a INDUSTRIALIZAÇÃO via o Modelo NACIONAL-DESENVOLVIMENTISTA (Uso do ESTADO para induzir Crescimento Econômico) que resultou em sensível melhora do Padrão de Vida do POVO.
    O Modelo NACIONAL-DESENVOLVIMENTISTA teve auge com o PATRIOTA Presid. GEISEL ( 1974-1979) que projetava um BRASIL POTÊNCIA do Hemisfério Sul, via Planos Nacionais de Desenvolvimentos, mas que “não conseguindo fazer aquela ARMA que poucas Nações tem”, embora tenha até feito os poços de testes na Serra do Cachimbo-PA, não conseguiu fazer o BRASIL POTÊNCIA e na nobre tentativa, quebrou o ESTADO. De lá para cá foram tentativas de Acertos e Erros, mais Erros, e o ESTADO chegou a Custar +- 45% do PIB ( +-36% Carga Tributária + 9% de Deficit Nominal, o que leva em consideração o Custo de Carregamento da alta Dívida Pública).

    É necessário REDUZIR ao longo do tempo o tamanho do ESTADO para +- 25% do PIB, Valor normal para futuro crescimento SUSTENTADO.

    O Ministro DELFIM NETTO, ( 91) como todos os Brasileiros NACIONALISTAS e de BOM SENSO é a favor de fazer isso EXPURGANDO o Modelo NACIONAL-DESENVOLVIMENTISTA INDUSTRIAL “de seus excessos”, via Lei de Teto de Gastos PEC 241, aquela que “congela em Valores Reais, não Nominais” o Orçamento Federal de 2018 por 20 Anos, enquanto o PIB vai subindo.
    Assim ao longo do tempo o tamanho do ESTADO vai se reduzindo em relação ao PIB.

    O Governo BOLSONARO/MOURÃO – GUEDES foi eleito com a clara proposta de REDUÇÂO do tamanho do Estado, e não enganou Ninguém porque nomeou Ministro da Fazenda o Neo-Liberal ( Neo-Liberal quer dizer na prática REDUÇÃO do ESTADO), o Dr. GUEDES, um ano antes da Eleição, via LIBERALISMO LAISSEZ-FAIRE o que tem como Rei, o CAPITAL INTERNACIONAL.
    Este não é o melhor caminho.

    Felizmente seguindo as ideias de homens experientes como o Ministro DELFIM NETTO, nossas FFAA, e os NACIONALISTAS que sempre defenderam nossa INDUSTRIALIZAÇÃO, o CONGRESSO NACIONAL, apesar dos seus defeitos, vem CORRIGINDO as REFORMAS de puro Liberalismo Laissez-Faire, para Nacional-Desenvolvimentismo EXPURGADO DE SEUS EXCESSOS.

    Apesar da Crise de Saúde do COVID-19 o qual implica em ISOLAMENTO para frear a propagação do bastante letal Vírus para não se perder o controle de propagação, gerando grande Custo Econômico, o BRASIL só deve sair o necessário na Emergência, da Lei do Teto de Gastos, para ir REDUZINDO o tamanho do ESTADO como sabiamente aconselha o experiente Econ. DELFIM NETTO.

  8. À medida em que o continuísmo da mesmice do sistema apodrecido que não quer largar do osso nem no pau, Juvenal, sob a regência da direita, da esquerda e do centro, enquanto protagonistas da guerra tribal, primitiva, permanente e insana dos me$mo$, por dinheiro, poder, vantagens e privilégios, sem limite$, à moda todos os bônus para ele$ e os ônus para o resto, repete reiteradamente os seus mesmos mantras e argumentos que conduzem sempre ao mesmo e velho lugar comum e, excepcionalmente, ao famigerado voo de galinha do dito-cujo, tb obriga o Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, a RPL-PNBC-DD-ME, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, o contraponto ideal a tudo isso que aí está se repetindo há 130 anos, a repetir que sob a égide do dito-cujo sistema apodrecido não existe saída alvissareira para o Brasil, que não tem saída sem se reinventar, assim como se reinventaram e continuam se reinventando Europa, China, Rússia, India…, conforme as suas próprias peculiaridades, circunstâncias, injunções e dogmas, sob pena de todos se tornarem apenas e tão-somente eternas colônias norte-americanas, escravas do famigerado dólar, o famigerado “Fodão”. E não há como o Brasil se reinventar senão naturalmente, tendo em vista o seu próprio ciclo evolutivo (Colônia, Império, Federação, Confederação), como propõe a RPL-PNBC-DD-ME há cerca de 30 anos, Megaprojeto que se propõe a transformar a república 171 que ai está, falida e exaurida, numa grande confederação, com Democracia Direta e Meritocracia, que implica em mudar a política e o estado, mudanças que enseja um verdadeiro Pulo de Leão adiante até mesmo dos EUA, da Ásia e da própria Europa-mãe, em termos de organização, projetando-nos como a nação mais civilizada do mundo moderno, a vanguarda democrática mundial, se fizermos bem feito a nova lição de casa, é claro, resolvendo a nossa nação com estabilidade e prosperidade para os próximos 100 anos. Megaprojeto esse que em grande medida afeiçoa-se àquele sonhado e profetizado por Teotônio Vilella, em 1982, durante programa Canal Livre, da Band TV, entrevista essa segundo a qual, conforme o depoimento de Teotônio, vê-se que da famigerada ditadura militar até esta parte da história, exceto os voos de galinha da ditadura e do lulopetismo, nada mudou de verdade neste país até agora, de forma séria, estrutural e profunda, e nem vai mudar, sob a égide do dito-cujo sistema podre, restando saber agora se o tal coronavírus é coisa do Capeta, ou de Deus, e a que veio. https://www.youtube.com/watch?v=TGCY4AmobYc

    • Por quê Revolução Pacífica do Leão ? Não é porque questão de vaidade, mas, isto sim, por questão de responsabilidade e tb porque, na verdade, ela enseja um Pulo de Leão adiante das nações mais desenvolvidas, em termos de política e organização do estado, tb porque no Brasil a vitória tem sempre muitos pais e a derrota é sempre órfão, de modo que, no caso, na vitória ou na derrota, existe de antemão as digitais do responsável maior, muito diferente do cidadão que está presidente e que, infelizmente, não sustenta na janta nem sequer o que comeu no almoço.

  9. Neo-liberalismo é mais uma infanto-juvenil criada nos laboratórios da esquerdinha e que nada mais é que um disfarce do socialismo, para enganar trouxas, dando a impressão de que o estado não interfere na atividade produtiva.

    Reforçando: ‘Neo liberalismo’ é o mesmo que dizer que uma mulher no meio da gestação está meio grávida.

    Ou se tem liberdade econômica , que significa a não intervenção do estado,que é o capitalismo puro ou economia de mercado ou o contrário, que tem o nome de ‘socialismo’, a palavra mágica criada pela esquerdinha para enganar o povão.

    • É eu vi agora a liberdade de mercado pregada por ti. Já pensaste se não fosse pela presença do Estado? O capitalismo puro pregado por Mises não existe. Aliás, o livre mercado que ele pregava era mais ou menos parecido com o comunismo de Marx. Ambos funcionariam sem a presença do Estado, sem fronteiras, com plenas liberdades individuais.

  10. Caro Newton,

    Volta e meia tenho feito uma que outra pergunta endereçada ao Mediador que, no entanto, tu as ignora solenemente.

    Não reclamo dessa maneira como ages com relação às minhas indagações, pois continuo postando as minhas opiniões até o dia que me proibires de fazê-lo.

    Dito isso, o artigo em tela, de tua autoria, invariavelmente importante e interessante, deixa de lado um aspecto, e grave, a meu ver: Por que não encontro eco nas reclamações que faço com relação ao legislativo?

    Qualquer texto que é postado abrange o governo, medidas econômicas, coronavírus, no entanto, se ontem o próprio Guedes falou em diminuir a jornada de trabalho até para os servidores públicos E DIMINUIÇÃO DE SALÁRIOS, qual a razão de não se perguntar como que ficarão os salários milionários das duas castas, legislativo e judiciário?

    Enquanto o povo vai definhando a olhos vistos pela doença e sem recursos, parlamentares e magistrados continuarão a receber seus vencimentos milionários mensalmente??!!

    Por acaso, abordar esses dois poderes seria perigoso ou antidemocrático?
    Por que o silêncio?

    Sabendo eu de antemão que ficarei sem resposta, continuarei nesta minha saga de protestar diariamente contra esse discriminação odiosa, essa diferença injusta de tratamento com o povo, enquanto uns e outros são intocáveis, imunes aos problemas nacionais por mais graves que possam ser qualificados.

    Te cuida, desse COVID-19.
    A TI é imprescindível nesse momento.
    Abraço.

    • Amigo Bendl.

      A questão é que você defende o fechamento do Congresso e do Supremo. Ou seja, quer implantar uma ditadura, o que, para mim, é inaceitável. Prefiro lutar para aperfeiçoar a democracia que temos.

      Forte abraço,

      CN

      • Amigo Newton,

        Obrigado pelo retorno.

        NÃO QUERO FECHAR O CONGRESSO E O STF!!!!

        A minha ideia é SUSPENDER o seu funcionamento para que sejam implementadas novas regras para a sua existência, de acordo com as posses do povo!

        1 – Diminuição do nº de parlamentares;
        2 – diminuição dos salários;
        3 – fim das indenizações;
        4 – fim dos privilégios;
        5 – fim dos auxílios pecuniários;
        6 – limites absolutos de assessores;
        7 – fim da reeleição;
        8 – mandatos de cinco anos para todos;
        9 – apenas três partidos oficiais;
        10-candidaturas individuais;
        11-fim da obrigatoriedade de votar;
        12 – funcionários concursados que sejam realocados para outras repartições, e quem possui os tais cargos disso e daquilo, demissão.

        Uma vez implantadas tais medidas, que volte o legislativo com essas novas regras, e eleições para novos candidatos.

        Quanto ao STF, Newton, simplesmente tenho apregoado MUDANÇAS na escolha dos ministros.
        Não mais através da escolha do presidente, mas através de um Plano de Carreira e somente para juízes concursados, que seriam definidos pela comissão do Judiciário que seriam então, alçados à condição de ministros dos tribunais superiores.

        Decididamente isso não é ser antidemocrático, como alguns dizem que estou sendo.
        Quero preservar as instituições mas, prioritariamente, a condição do povo, hoje na pior situação da história!

        Na verdade, nem na época da guerra (a Segunda) estivemos nessa crise atual, que engloba a econômica e saúde!

        Não é justo, crível, aceitável, que existam castas no Brasil, enquanto a população está fadada ao desaparecimento por falta de condições para comprar alimentos e remédios!

        Ou o parlamento e judiciário se amoldam às novas condições ou, então, AFIRMO que teremos ali adiante graves impasses sociais, que posso até antever:
        invasões em residências e prédios de luxo à procura de comida!!!

        O Fundo Partidário JÁ DEVERIA ter sido devolvido;
        os salários deveriam ter sido já diminuídos porque o parlamento está sem funcionamento;
        o legislativo como representante do povo e dos Estados deveria tomar a iniciativa de colaboração, e não ser cobrado como faço.

        Espero ter esclarecido em definitivo a minha posição.
        Não sou contra as instituições, NADA!
        Repudio os homens que hoje se aproveitam dos poderes para enriquecimento ilícito e imoral!

        Outro abraço (pela Internet pode).

        • Então tá. E mudar o sistema podre que é a fôrma de fabricar capeta$ não muda coisa nenhuma, né ? Mais sofismas, né ? Mais dos me$mo$, né ? Pelas suas mudanças, em 10 anos volta tudo ao estatus quo. Acorda, Chico, de que lado vc está afinal de contas, delle$, ou do povo ? Da plutocracia-ditatorial ou da Democracia de Verdade ?

  11. Prezado Colega Sr. MARIO JR,

    Também sou a favor de um CAPITALISMO DE MERCADOS onde o ESTADO interfira o mínimo na Produção, se dedique ao básico da Saúde, Educação e Segurança, e de plenas garantia da PROPRIEDADE.

    Mas a coisa não é tão simples. Isso não é suficiente para INDUSTRIALIZAR uma Nação, tanto que até 1930 o Brasil, passando por todo o Império, tinha essas condições, seguia o LIBERALISMO LAISSEZ-FAIRE e não saiu de uma Economia Agrária Manual de baixa Produção com um Padrão de Vida dos mais baixos do Mundo.

    Só a INDUSTRIALIZAÇÃO, especialmente a NACIONAL, pode dar bom Padrão de Vida a maioria do POVO.

    E isso implica a atuação INTELIGENTE DO ESTADO, sem a qual não acontece a INDUSTRIALIZAÇÃO, especialmente a de maioria de Empresas NACIONAIS, as únicas que Capitalizam 100% dentro do País e criam TECNOLOGIA NACIONAL.
    Isso aconteceu na Inglaterra, nos Países Baixos, nos USA , na Alemanha, no Japão, e em TODOS os Países que se INDUSTRIALIZARAM.

    De modos que a meu juízo o senhor defende a coisa certa. mas incompleta.
    É claro que o ESTADO não deve cometer exageros ao fazer a coisa certa, como fez o Estado Brasileiro, mas sem ESTADO não há INDUSTRIALIZAÇÃO.

    Abração.

    • Obrigado Sr. Bortolotto, mas antes de qualquer coisa na minha opinião, o importante é o emprego e quem emprega mais são as pequenas e médias empresas, que , muitas delas, são brasileiras.
      Acontece com este nosso estado com seus absurdos impostos, suas absurdas leis trabalhistas, energia cara e péssima infraestrutura de transporte, está fazendo com que muitos empresários brasileiros se mudem para o Paraguai, onde encontram condições de países normais em termos de produção.
      Quanto as multi-nacionais, que também empregam milhões, o problema é o mesmo, pois se não produzir a baixo custo para o mercado interno e externo para exportar, perdem competitividade e aí…
      Enfim, o estado deve se retirar da atividade econômica na minha opinião e cuidar daquilo que é de sua atribuição: saúde, educação básica, técnica somente, e não universitária, infraestrutura e segurança.

      Abs.

  12. Boa tarde.

    COMPILADO DOS COMENTÁRIOS.

    No governo Itamar Franco foi Delfim Neto que defendia as privatizações selvagens onde o Estado seria o mínimo possível e as empresas estrangeiras com abertura total.

    Não adianta um juiz, ou um deputado ganhar pouco, pois mesmo ganhando bem ainda agem assim. O importante é diminuir o distanciamento de níveis salariais entre as camadas sociais, diminuindo ou aumentando de um lado ou outro. Sei apenas de uma coisa, de qualquer maneira que se pense em prosperidade abrindo ou não o mercado, incluindo qualquer forma de governo, sendo Estados Unidos ou China o que se PRECISA é de honestidade e pensar nos semelhantes.

    Qualquer retórica tanto da esquerda ou da direita é balela, jogo de palavras, e não importando o caminho, a ser aplicado com honestidade, sem submissões, sem corrupção, tanto o Estado estando na frente do mercado, regulando-o, se assim for necessário, como ao jogo do comércio verdadeiro de mercado, ambos darão certo com os predicados acima. Claro que o segundo pela índole humana, é mais promissor. Não que o primeiro não seja, como seria bom se tudo fosse feito honestamente sem precisar colocar dez funcionários para manusear uma máquina de xerox…

    O importante diante do corona vírus é meditarmos e vermos que estamos nas mãos de alguma força maior. Os preços são relativos, pois se ganho muito e pago caro por tudo, quem ganha bem na verdade não ganha. E o que ganha este salário mínimo é um escravo mesmo com abolição da escravatura. Só não toma açoites de chicotes.

    O importante não é o que se ganha, e sim o que usufruímos e que seja equânime para com todos, onde o mais importante é retirarmos um pouco do muito que poucos têm, principalmente os bancos. Famílias Rothchild daqui. Chegou a hora de zerar ou ao menos diminuir a dívida numa canetada.

    Os poderosos estão a pensar no seu dinheiro despencando, derretendo hoje, e vendo o que todos nós estamos a nos preocupar única e exclusivamente; é na saúde. Espero, sinceramente, que possamos evoluir em nossos pensamentos e atitudes, quiça, este remédio curador possa ser descoberto até mesmo hoje para a pandemia.

    Este tempo só Deus- para quem acredita e peço licença- sabe. Que nos sirva para pensarmos em distribuir renda e que pensemos que devemos ter possibilidades de trabalho para fazermos sim a nossa parte, em nossas aquisições materiais possuído com o suor de nossos rostos, mas nunca com o sangue de nossos corpos e almas.

    Que esse vírus nos faça pensar que nem no bar para tomarmos uma cervejinha num copo qualquer de vidro podemos. Não vamos carregar nada, me compreendam bem…

  13. O BOLO QUE DELFIN FEZ CRESCER FOI COMIDO PELA ELITE,DELFIN MANIPULAVA INFLAÇÃO ALIAS POR QUE FOI SER EMBAIXADOR NA FRANÇA E O QUE OS FRANCESES FALAVAM DO MESMO,SER FELIZ DO LADO DE SARNEY,DELFIN E CAMPOS…O QUE MUDOU PARA O POVO TRABALHADOR NESTE PERIODO.

  14. Acho que não fica bem esse ar de superioridade jornalista Carlos Newton. Os leitores que comentam nesse jornal online, importante para o país, não são infantis. Seu estilo “morde e assopra” é que se faz incompreensível aos olhos dos brasileiros que, como você, querem a recuperação do país, espoliado em governos de esquerda. Quanto ao senhor Antônio Delfim Netto, sei que você admira muito e com toda a razão o emblemático e respeitado jornalista Hélio Fernandes. Acho que precisa ouvi-lo um pouco mais. Ele faz depoimentos que não deixam dúvida sobre esse cidadão “boné de dois picos”, que sempre serviu a Deus e ao diabo.

  15. Atilado Newton, bom saber que você incorporou ao seu competente acervo pessoal e profissional, o fato de ter conhecido, nos trabalhos da Constituinte, o democrata, patriota e memorável brasileiro, Bernardo Cabral.

    • Amigo Limoni,
      Tive um encontro memorável com Bernardo Cabral, quando levei os maiores caciques do país à Relatoria, que funcionava escondida na Gráfica do Senado, para escapar das pressões. Um deles era Davi Ianomami, que nem falava português direito. Quase todos estavam de terno e gravata. Pergunte ao Bernardo Cabral que ele vai te contar. As reivindicações dos índios foram todas atendidas.

      Abs.

      CN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *