Cotas raciais no comércio exterior

Percival Puggina

Se existe uma parte do planeta onde bate com mais vigor o generoso coração de Lula e Dilma, esse lugar é a África Negra. Imagino ser por isso que existam cotas raciais para o comércio exterior brasileiro. Volta e meia – às vezes nem meia volta se completa – e lá estão nossos presidentes petistas na África Subsaariana, cada um a seu turno, perdoando dívidas milionárias que aqueles países têm para com o Brasil. A conta já passa de US$ 2 bilhões. Não por acaso são, em parte, débitos de governos ditatoriais, sanguinários, genocidas, que lidam com as finanças locais em regime de partilha. Vai um pouco para o interesse público e o restante para contas familiares em bancos estrangeiros.

Um deles, o senhor Omar al-Bashir, já leva 24 anos no cargo de presidente do Sudão. Tem dois mandados internacionais de prisão e, segundo um promotor do Tribunal Penal Internacional, acumula US$ 9 bilhões de recursos próprios em paraísos fiscais. Outro, o senhor Teodoro Obiang, que comanda a Guiné-Equatorial, adquiriu em 2010 um apartamento na Av. Vieira Souto, no Rio de Janeiro, naquela que foi até então a maior transação da história da cidade envolvendo um imóvel residencial. O pequeno refúgio carioca do ditador é um tríplex com 2 mil metros quadrados.

O patrimônio pessoal do bilionário ditador do Congo-Brazaville, Denis Sassou Nguesco, proprietário de algumas dezenas de imóveis na França é superior à dívida do país perdoada pelo Brasil (US$ 352 milhões). E por aí vai. Em maio deste ano, numa única tacada, a presidente Dilma anunciou perdões, abatimentos e novos parcelamentos para dívidas de uma dúzia redonda de nações africanas.

CLUBE DE PARIS

Alega o governo que esse procedimento está alinhado com as orientações do Clube de Paris, que o recomendam como forma de estimular a contratação de novos financiamentos e promover o desenvolvimento daqueles povos. Faria sentido se não estivéssemos tratando, em alguns casos, de povos cuja miséria aumenta na proporção direta em que a elite governante amplia sua riqueza pessoal. Faria sentido se não houvesse, na lista de beneficiados, governos ditatoriais que só perdem em longevidade e truculência para a dinastia cubana dos Castro Ruíz.

É uma pena que a benevolência dos governos petistas em relação aos seus cotistas raciais no comércio exterior não encontre simetria de tratamento com as dívidas dos produtores rurais brasileiros quando suas lavouras são assoladas por estiagens e secas. É uma pena que essa mesma prontidão não apareça na hora de atender os brasileiros vítimas de cheias, cujos bens são arrastados pelas águas.

DIREITA E ESQUERDA

É uma pena, também, que não se respeite o preceito bíblico de que a mão esquerda não saiba o que a direita faz em favor do próximo. De fato, enquanto a generosidade nacional é proporcionada pela dadivosa mão direita, a esquerda encaminha novos recursos para obras de empreiteiras brasileiras nesses países. Quem garante que a virtude da probidade e a adimplência tenham desabrochado em meio aos maus pagadores e prevaricadores de ontem? Continuaremos financiando empreiteiras e cancelando os débitos?

E é uma pena, por fim, que, junto com a bonomia das cotas raciais de nosso comércio exterior, não venha junto uma transparência maior sobre as comissões pagas pelos novos negócios que estão sendo contratados lá com as empreiteiras daqui. Tenho um palpite, mero palpite, de que iríamos encontrar, beneficiado por tais valores, um conhecido lobista que mantém relação de intimidade paternal com as decisões de governo.

10 thoughts on “Cotas raciais no comércio exterior

  1. Deveria se apurar este perdão. A presidência não deveria ter autonomia para perdão de dívidas.
    Agora apelar para perdoar dívida de ruralista, aí pegou pesado.
    Assim é o Brasil, condena o PT por perdoar dívida e não fala de uma solução. Mas usa o discurso para pedir o perdão da dívida ruralista, todos querem mamar na teta da viúva.
    Lamentável….

  2. Melhor é ajudar nossos irmãozinhos africanos do que dar dinheiro para americano, canadense , inglês, como o Brasil sempre fez. O geisel, aquele general queixo duro, comprou a light do Canada quando a Light já era quase brasileira por contrato. geisel, o queixo duro, não esperou o contrato inspirar, comprou logo. E as polonetas ?

  3. E a Vale que foi vendida por uma ninharia ? Comprararam minério de ferro no momento que a China precisava de ferro para crescer, construir sua infraestrutura. E o Brasil vendeu a vale com toda infraestrutura na Amazônia para escoar minérios de carajás para o porto Itaqui no Maranhão. Um negócio da China. Um crime contra o povo brasileiro. Empresas que monopolizam minérios muitas são inglesas com testa de ferro espalhadas pelo mundo, riquíssimas e poderosíssimas, sempre explorando a África. Nelson Mandela deve ter sido perseguido por empresas exploradoras de ouro e diamante sul africano.

  4. Penso que o Sr. Puggina matou as charadas em relação aos petistas. Uma se refere às empreiteiras. A outra em relação à admiração que esses petistas, que são comunistas, nutrem pelos déspotas dos países africanos.

    É, justamente a realidade que se vê por lá, que os vermelhinhos daqui querem para si, o Brasil e a América Latina.

  5. Esse articulista é parcial e pensa que sua propaganda enfadonha engana a todos. Vejam que ele critica os governantes atuais que não rezam por sua cartilha, como ele gostaria, apesar de serem reacionários na prática econômica e política, por concederem perdão de MILHÕES DE DÓLARES a países devedores estrangeiros que ELE NÃO GOSTA POR RAZÕES SOMENTE IDEOLÓGICAS, mas omite que a ditadura e o governante indireto dos anos 80, QUE REZAVAM POR SUA CARTILHA IDEOLÓGICA, perdoaram BILHÕES DE DÓLARES a governantes trambiqueiros poloneses , QUE POR RAZÕES IDEOLÓGICAS ele gostava. O argumento tanto no caso das polonetas como agora É O MESMO, isto é, o Clube de Paris. E mais, Sarney tem muito mais tempo de poder e impunidade no Brasil que esse do Sudão, assim como também o colega de partido PP até o mês passado do articulista chamado Maluf tem ordem de captura internacional desde 2011.

  6. EITA CABRA ELITISTA FINANCISTA,TUDO QUE É PARA AJUDAR OS POBRES ELE CAI DE PAU MAIS SE FOSSE PARA OS BANQUEIROS CERTAMENTE SEU PATRÃO ESTARIA ELOGIANDO.ATÉ QUANDO ESSES CARAS QUE SÓ PENSAM EM R$ TEM TODO O ESPAÇO DA MÍDIA PARA ATACAR QUALQUER INICIATIVA DE HUMANIDADE PRINCIPALMENTE SE PARTIR DO PT.ACHO QUE PELO GOSTO DELES O BRASIL DEVERIA INVADIR OS PAÍSES DEVEDORES E EXPLORAREM SEU POVO ALÁ EUA.

  7. . . . . DUAS GALINHAS. . . .

    Conversa entre um curioso e um militante que prega a divisão do bolo entre as pessoas:
    – “Meu camarada, se você tivesse dois apartamentos de luxo, doaria um para as causas sociais?”
    – “Sim” – respondeu o militante.

    – “E se você tivesse dois carros de luxo, doaria um para as causas sociais?”
    – “Sim” – novamente respondeu o valoroso militante.

    – “E se tivesse um milhão na conta bancária, doaria 500 mil para as causas sociais?”
    – “É claro que doaria” – respondeu o orgulhoso companheiro, batendo no peito.

    – “E se você tivesse duas galinhas, doaria uma para as causas sociais?”
    – “Não” – respondeu o camarada.

    – “Mas porque você doaria um apartamento de luxo se tivesse dois, um carro de luxo se tivesse dois e 500 mil se tivesse um milhão, mas não doaria uma galinha se tivesse duas?”
    – “Porque as galinhas eu tenho lá na minha chácara, né!”

    Como dizem que disse o presidente francês Jacques Chirac, sobre o Lula: – “Para o Presidente Lula, o que é dele é dele, mas o que é dos outros pode ser dividido.”

    Abraços.
    PS:

  8. as fotos são capciosas,pois dá entender que nós damos fortunas aos africanos e temos uma saúde horrível,claro o nosso sistema de saúde é terrível,pois existe uma máfia dos planos de saúde,péssima gestão,corrupção ao extremo,boicote médico etc.,isso já foi feito com a nossa educação,onde a educação pública era de primeira qualidade,hoje estamos nas mãos dos grandes grupos de ensino,estando o ensino público relegado num plano inferior. Infelizmente,é fácil malhar o governo,mais quem entra não quer sair nem a pau,pois tem o certo no final do mês e se vira nos trinta por fora.Um país que não respeita sua história merece viver como nos vivemos nas mãos de meia dúzia de picaretas que tem tudo e uma maioria que não tem nada.Finalmente,a africa faz parte da nossa história………..

  9. Acho que todos os governantes, tanto FHC quanto Lula e Dilma , deveriam responder pelas doações e perdões dados com o dinheiro público. Se condenados , ressarcir o erário. Não é admissível que não tenhamos verbas para saúde e educação e haja perdão de dívida para viabilizar novos empréstimos, quase sempre para que empreiteiras realizem obras. Um governante não poderia tomar uma atitude destas sem o aval do congresso.e do Tribunal de Contas. Os gastos com a permanência de tropas no Haiti não tem explicação.

Deixe uma resposta para Renato Lima Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *