Covardia da UnB contra Azevedo

Vicente Limongi Netto:
“Repudio matéria covarde, infame e revanchista elaborada pela agência UnB e publicada no Jornal de Brasília, com acusações ao ex-reitor José Carlos Azevedo, que já não está entre nós e, portanto, não pode se defender das acusações dos seus decaídos detratores.

Azevedo entregou a seus sucessores uma Universidade de Brasília rica, digna e respeitada. Hoje o país e o mundo conhecem uma UnB desmoralizada, afundando em greves e dívidas. O melancólico texto do Jornal de Brasília trata Azevedo apenas como capitão-de-mar-e-guerra. Antiga tolice em forma de surrado clichê, vendida pelos seus incompetentes, recalcados e rancorosos desafetos.

Azevedo trabalhava, não perdia tempo com insanos. Tinha 3 mestrados e 1 doutorado, livros publicados e centenas de artigos sobre educação, publicados em jornais e revistas brasileiros e estrangeiros. Mesmo morto, José Carlos Azevedo é infinitamente maior e mais qualificado intelectualmente do seus medíocres críticos e algozes”

Comentário de Helio Fernandes:
Indignidade maior e inigualável, é essa de insultar alguém por causa da profissão. Conheci o Reitor, extraordinária figura, fui apresentado a ele pelo jornalista, professor da própria UnB, e depois senador, sempre meu grande amigo, Pompeu de Souza. Sempre que ia a Brasília, (hoje, mais raramente) ia tomar café com o Reitor.

Você está coberto de razão, Limongi. Ninguém se lembrava que ele era militar, e sua carreira civil teve a mesma grandeza. Além de todos os defeitos, Brasília tem esse, de não reconhecer as qualidades e os valores das pessoas, “reconhecendo” apenas a vestimenta.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *