Coxinhas e petralhas não estão no mesmo barco

Resultado de imagem para COXINHAS E PETRALHAS CHARGES

Charge do Frank, reprodução de A Noticia

Percival Puggina

A mensagem me veio em e-mail sobre o momento político e incluía esta convocação à unidade nacional: “Coxinhas e petralhas, uni-vos!”. O absurdo propósito tem dois pressupostos: 1º) A denúncia da Odebrecht, que acaba de vazar, abalou o governo Temer tanto quanto estava abalado o governo Dilma por acasião do impeachment. 2º) Coxinhas e petralhas, estariam, agora, no mesmo barco, unidos por simétricos infortúnios.

Se é verdade que a denúncia do ex-diretor da Odebrecht Claudio Melo Filho fez um enorme estrago nos mais altos escalões dos partidos que se uniram pelo impeachment de Dilma Rousseff, é absolutamente falso traçar qualquer analogia entre a conduta pré ou pós impeachment de coxinhas e petralhas.

Enquanto os petralhas cumpriam missão partidária, aclamando bandidos como “heróis do povo brasileiro”, fazendo uso de violência e depredações, os coxinhas, em momento algum, emitiram som ou gesto em defesa de qualquer corrupto, independentemente do partido a que fosse filiado. Justice for all!

MOEDA FALSA – Toda tentativa de apresentar os dois grupos como faces distintas de uma mesma moeda é falsa como seria a moeda que o expressasse.

A melhor evidência do que afirmo me veio pela edição de Zero Hora desta segunda-feira, 12 de dezembro, no relato de um leitor transcrito pelo jornalista Tulio Milman em seu “Informe Especial”, à página 2. O autor teve o privilégio de comparecer à palestra proferida pelo juiz Sérgio Moro ao público que lotou um auditório da Universidade de Heidelberg. Esclarece o autor que palestrantes estrangeiros costumam atrair umas poucas dezenas de interessados. Para o evento com presença do juiz brasileiro, porém, foi necessário um auditório com capacidade para centenas de pessoas e muitas ficaram de pé.

MINANDO O JUIZ – Interrompo momentaneamente as referências ao relato do leitor de ZH para registrar algo que estou pesquisando enquanto escrevo. Antecedendo o evento, diversas personalidades enviaram mensagens à Universidade de Heidelberg alertando para suposta falta de credibilidade do magistrado que estaria empenhado em destruir o PT e proteger PMDB e PSDB. A KGB petralha estivera em ação internacional.

A Rede Brasil Atual, por exemplo, se encarregou de divulgar isso, no dia 9, afirmando que “Moro vai encontrar ambiente hostil na Alemanha”, pois intelectuais brasileiros estavam advertindo a Universidade sobre as reais intenções de seu convidado. Eis, um parágrafo que, de certo modo resume, em péssima redação, o espírito petralha da matéria:

“Já houve uma série de protestos em forma de documentos encaminhados aos anfitriões do encontro, professores, alertando sobre quem eles estavam convidando”. “(…) claro, um alerta em termos, eles sabem quem é Moro, mas cartas foram escritas alertando que o juiz não é um paladino contra a corrupção, e sim um paladino contra um partido”.

APLAUDIDO DE PÉ – A imprensa brasileira, reportando o evento, destacou a presença de manifestantes portando cartazes com acusações de parcialidade ao magistrado da 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba. O leitor de ZH, contudo – voltando a ele – informa que eram uns poucos, cuja idade evidenciava não serem membros do corpo discente da instituição anfitriã. E sublinha que mais da metade do auditório aplaudira Sérgio Moro em pé, ao final de sua consistente e firme apresentação.

Toda a trama mentirosa contida nas matérias da sexta-feira se desfez no sábado. A delação da Odebrecht, a “delação do fim do mundo”, foi cuidadosamente articulada na Lava Jato, sob as vistas do correto magistrado de Curitiba. Em outubro, ele já advertira para as turbulências que dela adviriam. E de fato, a primeira a se tornar conhecida acertou em cheio aqueles a quem os petralhas diziam estar sob proteção do juiz.

Então, por obséquio: coxinhas não são defensores de corruptos nem estão articulados com qualquer projeto estilo KGB para destruir a reputação do principal e mais eficaz combatente contra a corrupção em nosso país. Coxinhas não embarcam com petralhas.

29 thoughts on “Coxinhas e petralhas não estão no mesmo barco

  1. Para atingir o ridículo precisa melhorar, basta ver o movimento dos sonegadores safados com o quase volta Renan, capitaneado pelo Reinaldo Azevedo. Tudo pela PEC da miséria e pela nova escravidão da reforma do INSS.

      • As ‘ moralizantes’ matérias de um dos líderes dos paneleiros Reinaldo Azevedo.

        Maia tem de ignorar Fux e votar projeto que impeça tais abusos
        15 dez 2016, 09h03 .
        —–
        Fux cede liminar absurda e, sem querer, anula lei da Ficha Limpa
        15 dez 2016, 09h01 .
        —–
        Chega, juiz sindicalista, de usar Renan em favor do indefensável!
        15 dez 2016, 07h58 .
        —-
        Outra liminar ilegal de Marco Aurélio: o impeachment de Temer
        15 dez 2016, 05h22 .
        …..
        EM DEFESA DA LAVA JATO: Cuidado com a nulidade, adverte Mendes!
        14 dez 2016, 07h19

  2. O Moro que está tão sorridente naquela” infeliz foto ” junto com o Aécio, não sabia que o Mineirinho levou 13 milhões e o Serra 23…. Cinismo….

  3. O movimento para salvar Michel Temer anda frenético. Não importa o que sobre do governo. É o plano, mesmo nestes dias de boatos de degola de todos os homens do presidente, que vão sendo dizimados por delações. Mesmo neste mês em que, se a revolta não está nas ruas, ruge nas redes.

    Trata-se de estabilizar a ponte para o futuro até 2019. De não deixar a pinguela cair, de evitar um colapso econômico e de colocar na conta da transição temeriana o custo mais intragável de mudanças econômicas, como agora deveria ser bem sabido.

    A operação inclui um contra-ataque aos avanços do Ministério Público, que não se deve confundir com as meras tentativas de solapar a Lava Jato ou de salvar procurados pela polícia no Parlamento.

    A palavra é “estabilizar”, “segurar os radicais” do MP, conter o tumulto. Mas há um ponto comum entre quem pretende fugir da polícia e quem quer conter o Comitê de Salvação Pública da Lava Jato: alguma lei de abuso de autoridade ou outro tipo de pressão. Em outra crise grave, um projeto de lei caiu nesta quarta (14), por liminar do Supremo. Deve reencarnar em outro corpo, no ano que vem.

    Se ainda havia dúvida, o PSDB assumiu a relação com Temer como se não houvesse um amanhã de cassação no TSE ou trauma ainda maior. O movimento continua entre membros de tribunais superiores e antigos companheiros de viagem de PSDB e PMDB, como o homem dos três Poderes, Nelson Jobim, e outras eminências dos corredores da elite.

    A algazarra e os escândalos abafam o som do trator no Congresso, que aprova uma esteira de leis importantes, muitas delas sérias, as quais seriam saudadas em público não fosse o vexame terminal do Congresso.

  4. Nota-se qual o lado do articulista.

    Ainda joga eleitores de um partido contra eleitores de outro.

    A hora é do povo se unir, entendeu?

    Ridículo…..

  5. Se somarmos o que já foi sonegado com os caloteiros de impostos, essa quantia já ultrapassa os R$ 2,8 trilhões.
    Nenhuma outra quadrilha se locupletou tanto… Os sonegadores e caloteiros que paguem o pato.

  6. O Ibrahim Sued já dizia, “Os cães ladram, enquanto a caravana passa.
    O PMDB que andou de reboque por toda a vida, agora que conseguiu ser a locomotiva, esta sendo “boicotado”, por aqueles a quem sempre serviu.
    O Temer com seus “trapalhões” se conseguir chegar ao final da “pinguela”, estará todo amarrotado,
    Seria este governo um exemplo de algo feito nas coxas, como sugere o Renan?
    Acho também que o Moro poderia “baixar” um pouco a bola no “estrelismo”, senão vai se igualar a aqueles a quem esta mandando prender.

  7. É essa pinguela para o futuro , desses ladrões engravatados que estão querendo manter…

    ‘Prévia’ do PIB inicia 4º trimestre com contração de 0,48% em outubro
    De acordo com o Banco Central, nível de atividade registrou ‘tombo’ de 5,29% em doze meses até outubro de 2016.

  8. Excelente artigo, mostra os fatos, a realidade, a grande diferença entre coxinhas e petralhas.
    Os coxinhas, defendem o Sérgio Moro, os petralhas condenam o juiz. Os coxinhas vão para as ruas contra a corrupção. Os petralhas vão às ruas em apoio aos corruptos. Os coxinhas são pessoas comuns do povo, que vão às ruas voluntariamente, enquanto os petralhas, são pessoas ligadas a partidos apelidados de esquerda. o MST, o MTST, a UNE. CUT etc, Todos esses movimentos, mamaram nas tetas do governo do PT..

  9. Este panfleto, q agride a democracia, qq pessoa percebe a forma seletiva de apresentar as notícias, onde o PT, é sistematicamente atacado, como se a legenda, vitoriosa em quatro elições diretas, só tivesse coisa negativa, corrobora a proposta deste panfleto, q tem no parcial jornalista um dos seus ícones.

    Façam jornalismo, não faça panfletaria.

  10. Os PePestralhas…

    Com 33 políticos investigados no âmbito da Operação Lava Jato, o PP conseguiu se esquivar da “punição das urnas” nas Eleições 2016. O Partido Progressista conquistou 494 prefeituras e se tornou a quarta força política do País em número de administrações — atrás somente de PMDB, PSDB e PSD.

    O resultado de 2016 é, inclusive, superior ao da eleição anterior — antes do início das investigações de corrupção na Petrobras —, quando o PP saiu do pleito com 474 prefeituras. O partido ainda vai disputar o segundo turno em Florianópolis (SC) e Maringá (PR).

    Juntamente com PT e PMDB, o PP faz parte do principal núcleo político investigado na Lava Jato, considerando os pedidos de abertura de inquérito apresentados pela PGR (Procuradoria-Geral da República) ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *