CPI agora quer saber se Bolsonaro realmente incentivou a tese da “imunidade de rebanho”

Charge do Laerte (Folha)

Deu na Coluna do Estadão

A CPI da Covid quer derrubar uma velha máxima do Congresso, a de que todo mundo sabe como começa, mas não como termina o trabalho de uma comissão parlamentar de inquérito. Ou seja, a CPI em curso, que tem como objeto a gestão da pandemia no País, já sabe onde, como e quando deve terminar, faltando “apenas” preencher (ou construir) o meio do caminho, que é documentar as omissões, o descaso e possíveis crimes do governo federal.

Se o roteiro soa um tanto previsível, o desfecho, porém, pode trazer grandes surpresas para o governo de Jair Bolsonaro…

RESPONSABILIDADE REAL – Se a CPI comprovar que Bolsonaro apoiou e atuou para algum tipo de imunidade de rebanho, incentivando, assim, a propagação do novo coronavírus, o presidente poderá, sim, ser responsabilizado pelas mortes de brasileiros.

Nessa hipótese, o desfecho pode transcender o âmbito nacional e ir além de um eventual pedido de impeachment, porque a imunização de rebanho seria caso para tribunais internacionais. Por isso, diferentemente do que Bolsonaro tem dito, a CPI preocupa o Planalto.

SEM ARGUMENTOS – Sem uma estratégia consistente até agora, o presidente tenta desmoralizar a comissão, ciente de que a construção do relatório final ganhou alicerces e alguns tijolos logo na primeira semana dos trabalhos.

Em live recente do grupo de advogados Prerrogativas, o relator Renan Calheiros deixou a impressão de que trabalha para construir um documento histórico poderoso e que está com “sangue nos olhos” por causa das ameaças constantemente recebidas.

Mas nem assim os governistas conseguem se entender para organizar uma defesa efetiva do presidente. Onyx Lorenzoni atropelou Flávia Arruda e Luiz Eduardo Ramos na articulação. O resultado foi um desastre completo. Perda total até aqui.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Com a denúncia do Orçamento secreto, também chamado de Tratoraço, o governo, pode-se dizer, não existe mais. Se não consegue se defender da Covid, já se pode avaliar como vai se comportar no Tratoraço… (C.N.)

7 thoughts on “CPI agora quer saber se Bolsonaro realmente incentivou a tese da “imunidade de rebanho”

  1. ((Se para com o REBANHO do Bispo, que manipula a vontade de Deus, para protegê-lo, Bolsonaro não está nem aí. Agora imaginem imunizar um rebanho sem pastor, para torná-lo resistente à Covid-19? Ora, ora: se o povo parar de morrer de Coronavírus, o Capetão vai se divertir de quê?))

    Igreja Universal sinaliza romper com Bolsonaro por causa de crise em Angola
    Religiosos apontam “omissão”

    Frente a deportação de pastores

    https://www.poder360.com.br/governo/igreja-universal-sinaliza-romper-com-bolsonaro-por-causa-de-crise-em-angola/

    • Igreja só rompe quando há cisma. Se o Bozo negar os benefícios esperados aí haverá a corrida pelo vil metal, como ocorreu com a disputa pela autoridade papal entre 1378 e 1417. Os pastores sempre inovam quando se trata de money.

      • Não é tanto assim, não! Deus falou que vai chamar o Capetão para um Recall. E ele já adiantou ao Senhor, que quer a extirpação de três flagelos apenas: cabeça, tronco e membros!

  2. Não tem como comparar e muito menos prever Bolsonaro qdo se usa os presidentes anteriores.
    Ele realmente sempre foi e será destemperado e um monte de outros defeitos de fabricação.

  3. Essa charge da Folha é criminosa e mentirosa. O presidente ganhou na justiça 50 mil reais do PCdoB, vai ganhar no mínimo o mesmo valor da Folha.

Deixe um comentário para Paulo III Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *