Crianças abandonadas em 30 anos sem CIEPs

Uma grande ideia que acabou sendo boicotada

Sérgio Caldieri

Como dizia Darcy Ribeiro há 30 anos: “Ou construímos escolas ou no futuro teremos um exército de trombadinhas assaltando nas ruas”. Não deu outra. Desde 1984, nos 510 CIEPs teriam estudados cerca de 20 milhões de crianças em turno integral, que era o objetivo. Mas foram destruídos pelo Moreira Franco, Marcello Alencar e o sistema Globo (jornal, rádios e TV).

Se Darcy Ribeiro não fosse derrotado pelo Moreira Franco (PDS, ex-Arena da ditadura), teria construído mais 500 CIEPs. Mais 20 milhões de crianças estudando. Culpa delles

Lembro que em 24 de abril de 2002, o jornalão O Globo publicou que sete mil crianças estavam trabalhando de olheiros do tráfico nas 337 favelas na região metropolitana do Rio de Janeiro. Ganhavam 600 reais por semana. Foi justamente neste dia, durante o programa Batendo Boca, na Rádio Nacional, do apresentador José Carlos Cataldi, que perguntei: mas estas crianças não deveriam estar estudando nos CIEPs? E ainda acrescentei: “Cobrem do Moreira Franco, Marcelo Alencar e do sistema Globo”.

NO “FEICEBUQUE”

No último dia 23/5, a jornalista Régis Farr fez o seguinte comentário no Feicebuque:

“Como jornalista de educação, fui “n” vezes a vários CIEPs, uma inclusive com a recomendação expressa da chefia de reportagem para mostrar como o Brizola “já tinha abandonado o projeto inicial e as crianças comiam mal e não tinham atividades depois das aulas”. O que vi rodando pelos CIEPs da cidade, devidamente acompanhada por um fotógrafo, foi exatamente o oposto. O almoço nos deixou com água na boca, havia atividades desportivas e ensino orientado. Mais ainda: em alguns CIEPs havia alunos-residentes (8 meninos dos socialmente mais problemáticos), abrigados em espaço construído como apartamento, com um “pai” bombeiro e sua esposa como “mãe”.

Era um projeto realmente de educação integral, para a cidadania. Foi só o Marcelo Alencar entrar para terminar com o inovador e audacioso sistema educacional e transformar os CIEPs em escolas de terceira categoria, em dois turnos, pois era isso que o pobre merecia, de acordo com o pensamento retrógrado dessa turma. À guisa de esclarecimento: eu não era brizolista à época. E de curiosidade: escrevi uma matéria sobre o que vi nos CIEPs visitados na ocasião. Logicamente não foi publicada e fiquei por um tempo na geladeira. Eu trabalhava no JB, onde o antibrizolismo era menos acintoso. Se isto tivesse acontecido no Globo, eu teria sido despedida na hora. De fato, o jornalista Pinheiro Jr., que foi responsável da editoria de cidade de O Globo, me contou que todos os dias, o chefão Evandro Carlos de Andrade cobrava uma matéria contra o governo do Leonel Brizola. Se não tinha, era para se virar, pois era ordem do Roberto Marinho”.

17 thoughts on “Crianças abandonadas em 30 anos sem CIEPs

  1. GOVERNO Leonel Brizola construiu 510 CIEPs (Centros Integrados de Educação Pública), cada um com capacidade para mil alunos, no Rio de Janeiro. Também inovou com o Sambódromo (grande escola além de palco dos carnavais, gerando economia em milhões de reais anuais antes gastos com ‘monta-desmonta’ das arquibancadas), inúmeros ginásios públicos e a moderníssima UENF (Universidade Estadual Norte Fluminense). Isto tudo valorizando os profissionais do ensino, que ao contrário de fazer greves eram integrados à revolução educacional em marcha.

    Ao retornar em 1991 o governador Leonel Brizola fez parceria administrativa com o então presidente Fernando Collor sugerindo a construção de dez mil escolas integrais pelo Brasil. O governo anunciou metade da meta visando acolher 5 milhões de crianças, um estopim para o impeachment de Collor sacramentado no acordo Lula-Roberto Marinho, que se reuniram em busca de “solução para a crise” e nas conclusões anunciadas ficou patente o desprezo a Brizola e à Educação Integral, que decorridos 20 anos só no governo Dilma Rousseff ganhou impulso maior, vejam http://www.facebook.com/photo.php?fbid=1588484064701192&set=t.100006188403089&type=3&theater

    A sabotagem sistemática da TV Globo contra as ações de Brizola no campo educacional nos anos 80, a partir da construção do Sambódromo e dos CIEPs, ganhou repercussão petrificada no tempo com o direito de resposta obtido judicialmente e lido em 1994 na voz de Cid Moreira, como resgato aí http://www.youtube.com/watch?v=fKsmvuJoegs

  2. Educação, Saúde e Segurança não são prioridades para os nossos políticos. Eles querem mordomias para que as vidas deles fiquem mais amena. Como a proposta de construção de um centro de compras anexo a camara dos deputados.

  3. Um projeto excelente foi destruído por Garotinho, Rosinha idem, Marcelo Alencar, Sérgio Cabral e Pezão, pobre povo que deu mais crédito a esta corja e hoje sofre com o abandono do projeto original.

  4. Embora, à época das construções, o projeto dos CIEPs tenha me parecido eleitoreiro – muito se ocupou com a arquitetura e com o sistema, mas nada com o “material humano” a ser empregado -, sem dúvida, os trastes que sucederam Brizola jogaram no lixo as boas ideias e deixaram apodrecer as boas construções.

    É um milagre que o Estado do Rio ainda sobreviva – ainda que seja a duras penas – tantos anos sendo destruído por essa corja citada pelo Roberto aí em cima.

    • Ricardo Froes,
      Concordo plenamente com sua declaração: “… muito se ocupou com a arquitetura e com o sistema, mas nada com o “material humano” a ser empregado …”. O mesmo está acontecendo no setor da saúde hoje pelo Brasil a fora o que sim é eleitoreiro.

  5. Sérgio, você está sendo injusto por não citar o PT. Lembro-me que os petistas caiam de pau nos cieps, acusando-os de elitismo. A alternativa deles foi o EJA, a aprovação automática, pronatec e a extinção do dia das mães e dos pais, por causa da turminha lgbt.

  6. Excelente matéria. Só esqueceu de alguns detalhes: 1 – Entre os coveiros não foi citado o Principal Senhor acadêmico JOSÉ SARNEY, que boicotou acintosamente s economia do Rio de Janeiro. O período antecedia a promulgação da constituição de 88 que redistribuiu (tb de maneira 1/2 maluca, porém mais justa). Sarney boicotava o RJ a ponto de em 90 aprimeira coisa que Brizola fez, foi se unir so principe da magia negra Collor de Mello; 2 – sem esquecer da união do Partido Comunista ao safado Moreira Franco, da pseuda aliança democracia. Jandira Fegali já se esqueceu disso. Por sinal, o Renato Duque aprendeu com o Moreura “botox” Franco, que o negócio é obra de arte. Não fui brizolista, mas pelo fator da educação, a realidade poderia ser outra. Vale lembrar também, que o sr. Brizola foi bastante condescente com a voolência do RJ. Mas ao menos ele era superior a Moreira, Barcelo, Garotinho, Cabral nariz de ouro, Pezão ladrão de ambulância, etv

  7. Construir é uma coisa. Manter é outra.
    Hoje, 2015, aparece toda semana algum noticiário na TV, onde hospitais e escolas estão prontos, inaugurados e se deteriorando, sem uso.
    Em SC foram inaugurados alguns CIACs. Creio que todos estão sucateados, assim como grande parte dos hospitais e a maioria dos presídios.
    E ainda fica se discutindo esquerda x direita; qual o melhor partido político, etc.

    Monarquia Republicana: http://capitalismo-social.blogspot.com.br/2015/05/no-mato-sem-cachorro.html
    Não sou só eu à ver o problema do Brasil pelo mesmo ângulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *