Crise militar provocada pelo ministro Celso Amorim é mais um problema para Dilma

Tânia Monteiro
O ESTADO DE S. PAULO

Vinte e sete generais de Exército da reserva assinaram um manifesto com críticas ao ministro da Defesa, Celso Amorim. No documento obtido pelo Estado, os generais, que atingiram o mais alto posto da hierarquia militar, afirmam abominar “peremptoriamente” a declaração dada pelo ministro, na semana passada, à Comissão Nacional da Verdade (CNV), de que as Forças Armadas aprovaram e praticaram atos que violaram direitos humanos no período militar. 

Depois de ressaltar que, “sempre que pode”, a Comissão “açula” as Forças Armadas, provocando-as, e exigindo que elas peçam desculpas, o grupo, do qual fazem parte três ex-ministros do Exército, declaram que “se houver pedido de desculpas será por parte do ministro”. E avisam: “Do Exército de Caxias não virão (desculpas)! Nós sempre externaremos a nossa convicção de que salvamos o Brasil!”.      

Os generais, ex-integrantes do Alto Comando do Exército e antigos comandantes de importantes unidades militares de todo o Brasil, justificam a necessidade do manifesto, lembrando que militares da ativa não podem dar declarações políticas, mas que os da reserva, que podem falar, “têm justos motivos para replicarem com denodada firmeza” para que não pareça estar em vigor o famoso ditado “Quem cala consente!”. 

O manifesto reforça e endossa declaração já dada, no início da semana, pelo ex-comandante Militar da Amazônia, o também general quatro estrelas da reserva Augusto Heleno, que reiterou que, em nenhum momento, as Forças Armadas reconhecem a tortura ou pediram desculpas e que este gesto veio do ministro Celso Amorim. 

No manifesto, assinado pelos ex-ministros Leonidas Pires Gonçalves (do Exército, no governo Sarney) , Zenildo Zoroastro de Lucena (do Exército, no governo Itamar e Fernando Henrique) e Rubens Bayma Denys (da Casa Militar, no governo Sarney), quatro ministros do Superior Tribunal Militar e outros 20 quatro-estrelas da reserva, os militares ressaltam que existe uma lei da Anistia em vigor que a Comissão da Verdade insiste em desconsiderá-la. 

Os generais lembram ainda que viveram “uma época de conflitos fratricidas, na qual erros foram cometidos pelos dois lados”. E prosseguem: “nós, que vivemos integralmente este período, jamais aprovamos qualquer ofensa à dignidade humana, bem como quaisquer casos pontuais que, eventualmente surgiram”. Citam também que “os embates não foram iniciados” por eles “pois não os desejávamos” e que não se pode esquecer do “atentado no aeroporto de Guararapes”. Eles se referem à explosão de uma mala que matou 16 pessoas no local onde o avião do ex-presidente Costa e Silva iria pousar e não o fez por uma pane no aparelho.

COMISSÃO DA VERDADE

Os generais criticam a Comissão da Verdade, afirmando que “a credibilidade” dela vai “gradativamente se esgotando pelos inúmeros casos que não consegue solucionar, tornando-se não somente um verdadeiro órgão depreciativo das Forças Armadas, em particular do Exército, como um portal aberto para milhares de indenizações e “bolsas ditadura”, que continuarão a ser pagas pelo erário público, ou seja, pelo povo brasileiro”. Afirmam ainda que “falsidades, meias verdades, ações coercitivas e pressões de toda ordem são observadas a miúdo, e agora, de modo surpreendente, acusam as Forças Armadas de não colaborarem nas investigações que, em sua maioria, surgem de testemunhas  inidôneas e de alguns grupos, cuja ideologia é declaradamente contrária aos princípios que norteiam as nossas instituições militares”.

Ainda no manifesto, os generais lembram que “o lado dos defensores do Estado brasileiro foi totalmente apagado”, sugerindo que ali “só existem criminosos e torturadores”. Mas destacam que, “por outro lado, a comissão criou uma grei constituída de guerrilheiros, assaltantes, sequestradores e assassinos, como se fossem heroicos defensores de uma “democracia” que, comprovadamente, não constava dos ideais da luta armada, e que,  até o presente, eles mesmos não conseguiram bem definir”. E ironizam: “seria uma democracia cubana, albanesa ou maoísta? Ou, talvez, uma mais moderna como as bolivarianas?”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Entre os signatários, Leonidas Pires Gonçalves. Bayma Denis, Zenildo de Oliveira, Augusto Heleno e Gonzaga Lessa. Se abrirem assinaturas para oficiais superiores em geral, a lista logo terá 500 assinaturas. Se passarem para o Clube da Aeronáutica e o Clube Nava, rapidamente se chegará a mais de mil assinaturas. Os militares estão de saco cheio. E já é comum ver oficiais superiores da ativa desrespeitando o regulamento e criticando publicamente o governo, como ocorreu em Brasília, no final do ano passado, no Seminário da ADESG (Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra. Eu disse: generais da ativa. (C.N.)

 

 

7 thoughts on “Crise militar provocada pelo ministro Celso Amorim é mais um problema para Dilma

  1. Eles nem representam os envolvidos na ditadura.Portanto deixem os nossos velhinhos em casa de pijama sossegados.Meu querido pai, morreu a quatro anos, com 86 anos,foi a guerra,trabalhou muitos anos no forte São João na Urca e dizia filho o que passou passou vamos em frente.Fui criado dentro de um regime em casa de dialogo, meu pai nem nos piores momentos da guerra fria da ditadura deixou de respeitar o contraditório na minha casa, apesar de ser duro no que fazia.Morreu pobre com uma casa financiada pelo exército,porém morreu feliz,pois fez aquilo que acreditava que era o melhor para o país.

  2. Caro Newton, esse “amorim” só cria problemas, no Itamaraty só fez merda, é uma vaca de presépio mal intencionada.
    O povo brasileiro não é vingativo, nosso povo, humilde e sofredor, tem muito “Amor fraterno Cristão”, essa comissão da mentira, criada com intenções no MAL, seus componentes, deveriam meditar do “papel safado” e compactuando com a vingança.
    O lider, Lula, acusado pelo Tuma Junior, colaborador e dedo duro, portanto fazia parte, a comissão, não o acusa, ela não está em busca da verdade, não me façam rir e corar de vergonha, em acreditar que o resultado será honesto.
    Pelo que se lê na Mídia, o outro lado cometeu “crimes”. e fica por isso mesmo???.
    Senhores, nosso POVO É PACIFICO, EM TODO GRUPAMENTO HUMANO, TEM SEMPRE MALFEITORES, CUJA AÇÕES, SE ENQUADRAM NA FRASE DE LUTHER KING:…O BARULHO E A CORRUPÇÃO DOS MAUS, MAS O SILÊNCIOS DO BONS, E ACRESCENTO, A “OMISSÃO”.
    Creio em uma JUSTIÇA QUE FAZ JUSTIÇA, CUJO TRIBUNAL ESTÁ EM NÓS: A CONSCIÊNCIA, QUE NOS JULGARÁ QUANDO A PORTA DO TÚMULO SE ABRIR, PARA O BANQUETE DOS VERMES, ACREDITEMOS OU NÃO.
    Essa Comissão PT-Governo, está sendo um braço mal intencionado, querendo denegrir as Forças Armadas, que o POVO confia, apesar das mazelas na chamada Ditadura “sue generis” de ditadores com período de governança, “eta povo inventor”, que entregou ao Poder Civil, sem derramamento de sangue, ao Poder Civil, que em 26 anos, apodreceu os PODERES, mergulhando à NAÇÃO nesse Oceano de lama da CORRUPÇÂO DESENFREADA, transformando DEMOCRACIA EM DEMOCRADURA, MENTIRA EM VERDADE, SINCERIDADE EM HIPOCRISIA.
    Só nos resta a ESPERANÇA, que DEUS, ilumine o ELEITOR, para defenestrar os politiqueiros bandidos em 05/10, NÃO REELEGENDO A CANALHADA, PARA REDENÇÃO DE UM POVO, PARA O BRASIL PACIFISTA, CUMPRIR SUA MISSÃO NO CONCERTO DAS NAÇÕES.
    POR UM BRASIL DECENTE E JUSTO.
    Ps. Sou servidor civil aposentado do Ministério da Aeronáutica, com muito orgulho, com a Consciência tranquila, que cumpri meu DEVER FUNCIONAL.
    Lembro aos vingadores QUE ESTÃO NOS PODERES A última palavra de a 2 mil anos: PAI PERDOA, ELES NÃO SABEM O QUE FAZEM, A NOS CHAMAR PARA O PERDÃO, POIS, O CRIMINOSO, JÁ SE AUTO CONDENOU, SE COLOCANDO NAS TREVAS ALÉM TÚMULO, POIS, A VIDA CONTINUA; E QUEM TIVER SEM PECADO QUE ATIRE A PRIMEIRA PEDRA.

  3. Não entendo como ainda continuam perdendo tempo com essa porcaria de comissão. Larguem essa coisa prá lá. É um bando de idiotas querendo virar mini-celebridade. Vamos dar uma mandioca, bem grande, de presente para cada um desses idiotas integrantes da comissão.

  4. O leitor, senhor Pedro, resumiu o assunto que se prolonga por outros tipos de interesse, principalmente financeiros, arcados com a Bolsa Ditadura…
    No fundo e no raso a coisa é exatamente o que disse o Pedro, permita-me:

    “Nenhum dos guerrilheiros lutou por democracia, mas sim pelo comunismo. Agora são todos democratas desde que se eternizem no poder.”

  5. De fato, tem baderneiro que só virou “democrata” depois de alcançar os cofres públicos.

    O ministro amoral, digo, “amorim”, não foi aquele que transformou a “Casa de Rio Branco” no “Barraco da Vala Infecta” ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *