Cunha rompe com governo Dilma e a partir de hoje é oposição

Por iG São Paulo

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), anunciou seu rompimento político com o governo Dilma Rousseff: “Saiba que o presidente da Câmara a partir de hoje é oposição.”

Eduardo Cunha acusa o Planalto de ter articulado com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para incriminá-lo na Operação Lava Jato. Nesta quinta (16), o ex-consultor da Toyo Setal Júlio Camargo relatou à Justiça Federal do Paraná que Cunha lhe pediu propina de US$ 5 milhões. “Estou sendo sendo alvo de perseguição política.”

O parlamentar disse que a delação de Camargo é “nula” por ter sido feita à Justiça de primeira instância e lembrou que, como parlamentar, tem foro privilegiado e só pode ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Cunha disse que seus advogados vão pedir a transferência do processo de investigação para o STF. “O juiz não poderia conduzir o processo daquela maneira. Vamos entrar com uma reclamação para que venha [o processo] para o Supremo e não fique nas mãos de um juiz que acha que é dono do país”.

CONVENCER O PMDB

A partir de agora, o objetivo é convencer o PMDB a abandonar o governo e entregar os ministérios. “Sou acima de tudo um agente político, vou pregar no meu partido que a gente vá para a oposição”, disse o deputado.

O parlamentar não poupou críticas ao governo Dilma. “Tem um bando de aloprados no Palácio”, disse. Mas, questionado pelos repórteres, não citou nomes. “É muita gente, é um bando.”

Segundo Cunha, o governo tem “ódio” dele e age para constranger o Legislativo. “O governo nunca me quis e não me quer como presidente da Câmara. O governo não me engole, tem um ódio contra mim.

Apesar do tom, Cunha voltou a dizer que o rompimento com o governo Dilma é pessoal e não afeta a relação institucional dele, como presidente da Câmara, com o Executivo, mas foi logo avisando que a Casa não vai aprovar repatriação de recursos no exterior.

As declarações de Cunha foram feitas a poucas horas de pronunciamento em cadeia nacional de TV, previsto para 20h30 desta sexta e cujo conteúdo, diz ele, será a prestação de contas sobre o semestre da Câmara.

14 thoughts on “Cunha rompe com governo Dilma e a partir de hoje é oposição

  1. Jogo imundo. Desadministração. Contas gordas e caras feias. Um racha no PCC ou no Comando Vermelho terminaria na eliminação de um dos dissidentes. PT-PMDB-PSDB chovem no molhado e nada fazem senão usarem o Estado para o serviço de suas vaidades e satisfações pessoais. Enquanto isso o país agoniza na inflação e no desemprego.

    Dilma afirma que não há espaço para aventuras antidemocráticas na região do MERCOSUL.

    Ridícula: onde Venezuela e Argentina atuais são democracias.

    Pelo menos os podres aparecem, mas logo são esquecidos e nada é devolvido. Capturados, sequestrados, viciados, todos ansiamos por uma oposição, desconfiamos amplamente do processo que reelegeu Dilma, não queremos ser expremidos pelo totalitarismo que domina nossa região.

    Como seria bom se realmente houvesse oposição a esse governo…

    • Pedro
      Enquanto isto, Marina viaja para colher informações e aprender.
      Se tivesse alguma liderança estaria aqui, levantando o povo e mostrando como foi enganado. Fala em movimentos populares e pratica movimento “voadores”.
      A situação caindo de podre. A oposição sem crédito e determinação.
      Estamos perdidos!

  2. E DESDE QUANDO AO SR EDUARDO CUNHA ERA GOVERNISTA, SE CONTINUAR ASSIM ATIRANDO PARA TODOS OS LADOS, DAQUI A POUCO SERÁ APENAS MAIS UM DOM QUIXOTE.

  3. Ao que parece, não há processo sobre Cunha em Curitiba. O depoimento que o complicou foi dado a pedido das defesas desse delator e de Fernando Baiano. Não há, portanto, o que transferir para o STF que, por sinal, se autorizou investigá-lo, foi a pedido do PGR. Cunha faz mal em atacar o juiz Moro, que conta com a simpatia de imensa parte da população, repetindo o ministro Joaquim Barbosa.

  4. Já estou independente desde a Comissão da Verdade que desrespeitou a memória do MDB … já sou oposição desde quando o PGR foi seletivo!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *