Datafolha e Ibope coincidem sobre Dilma e Marina e divergem quanto Aécio

Pedro do Coutto
As pesquisas do Ibope e Datafolha divulgadas à noite de terça-feira pela Globo News e pelo Jornal Nacional e, no dia seguinte, destacadas em reportagem de Júnia Gama, no Globo, e de Ricardo Mendonça na Folha de São Paulo, coincidem em relação às candidaturas de Dilma Rousseff e Marina Silva. Mas divergem quanto a de Aécio Neves. O enfoque se traduz assim: Dilma, no primeiro turno, domingo próximo, lidera com 40 pontos no Datafolha. E com 39 no Ibope. Para o Datafolha, no espaço de quatro dias, ela se manteve em 40. Para o Ibope, ela avançou de 38 para 39.
Os levantamentos convergem em relação a Marina Silva, principalmente na medida que ambos assinalam seu recuo. Para o Datafolha, a ex-ministra do Meio Ambiente desceu de 27 para 25 pontos. Para o Ibope a descida foi maior: de 29 para 25%. Tudo isso no mesmo espaço de tempo. As estatísticas apontam para as mesmas tendências nos dois casos.
Mas a divergência aparece relativamente à oposição de Aécio Neves. Para o Datafolha, ele avançou de 18 para 20. Pelo Ibope, manteve-se no décimo nono andar, não subiu nem desceu. Sob este prisma, o que mantém o segundo lugar ainda incerto é mais a redução dos pontos de Marina do que o aumento do percentual das intenções de voto em Aécio.
48 HORAS
Quando sair publicado este artigo estaremos a 48 horas das urnas de 5 de outubro. A primeira colocação está absolutamente definida. A dúvida encontra-se em torno de qu,em enfrentará Dilma Rousseff no desfecho final de 26 de outubro. Se for Aécio Neves será mais em função do enfraquecimento de Marina Silva do que em função do avanço do ex-governador de Minas Gerais. Para confirmar este ângulo, basta compulsar os resultados das pesquisas do Datafolha e do Ibope ao longo de um mês para cá.
Enquanto (Datafolha, quadro na primeira página da edição de quarta-feira última da Folha de São Paulo), Marina desceu de 34 para 25 pontos, Dilma cresceu dos mesmos 34 para 40%. Aécio subiu de 15 para 20. O movimento registrado fala por si. Nas simulações para o segundo turno, Marina que há um mês bateria a atual presidente por 50 a 40 pontos. Hoje perderia pela margem de 49 a 41%. Se o turno de 26 de outubro vier a ser entre Dilma e Aécio, Rousseff seria reeleita por 50 a 41 pontos. Interessante assinalar que, nas duas hipóteses, as transferências de votos se dividiria entre os finalistaS sejam eles quais forem.
Evidente que o desfecho – como sempre sustentei – dar-se-á em função do desempenho dos candidatos na campanha, especialmente na televisão, muito mais assim do que numa transferência hipotética de sufrágios.
BRANCOS E NULOS
Lendo as pesquisas do Datafolha e do IBOPE, apesar de a campanha não ter despertado emoção significativa nas ruas e nas praças, o fato é que faixa dos que pretendem anular ou votar branco atingiu nível acentuadamente reduzido: 7% para o Ibope; 6 para o Datafolha. Para o Ibope, os  indecisos estão em 7 pontos. Para o Datafolha na escala de 6%. Os indecisos vão escolher mais qual candidatura? Deixo com as urnas a tarefa de responder a pergunta.
Deslocando as eleições para o Rio de Janeiro, reportagem de Cristina Tardáquila e Letícia Fernandes, com base no Ibope, transmite duas certezas: para governador, segundo turno entre Pezão (31) e Garotinho (24). Para o Senado, Romário vence disparado. Subiu de 43 para 49%. César Maia, apesar de aparecer muito nos horários eleitorais, desceu de 25 para 18%. Romário assim, entra no lugar de Francisco Dornelles na equipe de senadores pelo Estado do Rio de Janeiro.

3 thoughts on “Datafolha e Ibope coincidem sobre Dilma e Marina e divergem quanto Aécio

  1. Ontem a Folha do Serra-rrupto já empatou o homem do aeroporto com dona itaú-rina, ainda resta a bala de prata no dia de hoje.
    Sairá mais uma pesquisa onde a Folha do Serrote “empatará” os três candidatos……
    E ainda tem gente que assina um jornal desses….
    eh!eh!eh

  2. Quem neste país pode acreditar nos Institutos de Pesquisas?

    Dilma pagou R$12,7 milhões a Ibope, Datafolha etc

    Candidata à reeleição, a presidenta Dilma Rousseff (PT) – que lidera as pesquisas – fez o seu governo gastar mais de R$ 12,7 milhões contratando serviços do Ibope, Datafolha e o instituto MDA, conhecido por suas pesquisas para a Confederação Nacional dos Transportes (CNT). O valor gasto até agora no governo Dilma é bem superior aos R$ 2,8 milhões pagos nos dois mandatos de Lula, seu antecessor.

    Nos serviços contratados pelo governo, há pesquisas de opinião e até levantamentos sobre efeito estufa.

    Entre os órgãos governo que contrataram pesquisas a Presidência da República, o Ministério do Desenvolvimento Social e a estatal EBC.

    Mais detalhes:
    Diário do Poder
    http://www.diariodopoder.com.br/coluna/

Deixe um comentário para Guilherme Almeida Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *