Datafolha: Lula na frente, e 87% não votam em candidato apoiado por Temer

Resultado de imagem para eleição de 2018 charges

Charge do Son Salvador (Arquivo Google)

Pedro do Coutto

A pesquisa do Datafolha publicada neste domingo, reportagem de Igor Gielow, confirma  a liderança de Lula, seguido à distância por Jair Bolsonaro e acentua também a impossibilidade do presidente Michel Temer influir positivamente nas urnas de 2018: 87% do eleitorado não apoiariam o nome escolhido pelo Planalto. Problema este preocupante para Henrique Meirelles, uma vez que o Ministro da Fazenda somente poderá ser candidato se contar com o apoio do atual presidente da República.

A pesquisa do Datafolha confirma praticamente os números registrados pelo levantamento anterior destacando os favoritismos de Lula e Bolsonaro. Nas várias alternativas propostas pela pesquisa Lula oscila entre 34 e 37% enquanto Bolsonaro permanece na segunda colocação com índices que variam de 19 a 17%.

MARINA SILVA – Luis Inácio da Silva desce um ponto quando entre as opções é colocada a ex-senadora Marina Silva.  Entretanto, Marina Silva, atingindo entre 11 a 10%, em nenhuma das colocações consegue se aproximar de Bolsonaro.

Por falar em Bolsonaro, se fossem para o segundo turno, ele e Lula , o ex-presidente venceria por 51 a 33.  Mas Lula depende da Justiça. O Datafolha colocou então um hipotético confronto entre Marina Silva e Bolsonaro. Marina Silva venceria por 46 a 31.

O Ministro Henrique Meirelles aparece com 2% das intenções possíveis de voto. Por seu turno Joaquim Barbosa alcança o patamar de 8%. Esse é o quadro geral das perspectivas que de hoje para amanhã envolvem a política brasileira.

OUTROS CANDIDATOS – Muito fracos os candidatos Geraldo Alckmin, Ciro Gomes e João Dória. O PSDB parece não entusiasmar os eleitores e eleitoras, talvez, o que aliás é provável, em consequência do impacto fortemente negativo decorrente do episódio Aécio Neves.

Temos assim desenhada a plataforma para 2018 no rumo do Planalto. Numa perspectiva que reunisse no confronto final Lula e Alckmin, o petista venceria fácil por 52 a 30. Aliás, venceria qualquer adversário. A margem mais estrita seria contra Marina Silva, mesmo assim alcançaria 48 a 35.

A força maior de Luis Inácio da Silva situa-se nas classes de menor renda, como era esperado. Ao contrário de Bolsonaro, cujo maior potencial de votos registra-se nas classes média e rica. Esta perspectiva, aliás, é histórica.

CLASSES SOCIAIS – Tanto assim que as pesquisas tanto as do Ibope quanto as do Datafolha, partem da divisão das tendências por classes sociais. Por facha etária, há resistência de parte dos jovens de classe média em relação ao PT. Porém esses jovens também não preferem Bolsonaro. Certamente, penso eu, pela ideia marcante da liberdade que evidentemente não se ajusta plenamente a imagem de Jair Bolsonaro.

Mas esse pensamento é meu não se encontra destacado nos números do Datafolha. Mas a verdade é que os números têm seus enígmas e, por isso, necessitam ser analisados. Tem sido sempre assim desde 1945, quando o Ibope estava surgindo das mãos de Paulo Montenegro, pai de Carlos Augusto, atual presidente do Instituto.

Um outro fato a se considerar é a capacidade de crescimento dos candidatos ao longo da campanha. Nada substitui o calor humano, a capacidade de entusiasmar as correntes de voto.

CORREIO DA MANHÃ – Por falar em pesquisas eleitorais que acompanho desde 1955, devo destacar a importância do Correio da Manhã na consolidação dos levantamentos eleitorais. O jornal foi o primeiro a acreditar na seriedade e importância dos Institutos. Foi-se o tempo no qual o Ibope de Paulo Montenegro fazia permutas com um ou outro jornal para publicar seus prognósticos. Hoje o panorama é totalmente inverso. Os jornais correm atrás das pesquisas.

Falei em Correio da Manhã.  No próximo sábado, dia 09, no restaurante Brasil, Rua Mem de Sá esquina com Lavradio, almoço entre jornalistas que lá trabalharam. É a única turma dos jornais desaparecidos no tempo que reúne antigos companheiros. O entusiasmo continua.

6 thoughts on “Datafolha: Lula na frente, e 87% não votam em candidato apoiado por Temer

  1. Já vi esse filme antes, muitas vezes.
    Blá blá blá com centenas de comentários das pesquisas.
    Após as eleições, conhecidos os resultados voltam os entendidos em pesquisas a explicar o motivo da diferença entre a realidade ( o resultado ) e a suposição ( a pesquisa ).
    Já vi esse filme antes, muitas vezes.

  2. O maior dos Experts Brasileiros em Pesquisa de Opinião Política, analisando-as e comentando-as desde quase o início da década de 50′ no grande Jornal Correio da Manhã – RJ, o brilhante Sr. PEDRO DO COUTTO, nos dá atualmente o seguinte quadro: o Presidente LULA (72) PT na frente, e 87% NÃO votam em Candidato apoiado pelo Presidente TEMER ( 77 ) PMDB.

    A nosso ver, a causa disso é que o Presidente LULA, embora de forma desastrada, sempre defendeu como prioritário o Modelo Nacional-Desenvolvimentista ( VARGUISTA ), enquanto o Presidente TEMER/MEIRELLES defendem prioritariamente o Modelo que os Jornalistas chamam Néo-Liberal, que implica redução do Estado e AUSTERIDADE até o equilíbrio Fiscal e Desendividamento Estatal.

    “O POVO no deserto, depois que o grande MOISÉS o tirou da escravidão do Faraó, várias vezes se esqueceu fácil do chicote do Feitor, e se lembrava das carnes e das cebolas ( temperos) daquele tempo em que era escravo no Egito”.

    O TRF-4 de Porto Alegre – RS que trate de acelerar os trabalhos.

  3. Estas pesquisas, só por considerarem Lula como candidato, já são uma vergonha! Num país sério, o nome dele já teria sido esquecido no momento da condenação em primeira instância.

  4. O que mais causa estranheza é o fato da imprensa dar eco a essas pesquisas, sabidamente fajutas, mentirosas e instrumento vadio pra enganar bobo. Todos os órgão da grande imprensa ratificam e fortalecem essa farsa, quando simplesmente deveriam ignorá-las.

    Basta analisarmos a realidade do atual cenário político brasileiro para que qualquer beócio possa fazer a real leitura dessa sórdida mentira. Como pode um político em final de carreira, condenado, com vários processos em curso na justiça, estar liderando pesquisas de intenção de voto. A quem querem enganar?

    Esse criminoso, que não consegue caminhar um quarteirão sequer de qualquer avenida brasileira; só aparece em público para plateias adredemente amestradas, só dá entrevistas para rádios e “jornalistas” da seita satânica, no entanto aparece liderando, com folga, essa ridícula impostura.

    Esses institutos continuam querendo nos tratar como idiotas. Não conseguem. Faz tempos que os ventos mudaram de direção. Todo brasileiro, com mais de um neurônio, rejeita com veemência essas mentiras.

    Ou será que já querem antecipadamente justificar uma possível e provável fraude nas “confiáveis” urnas eletrônicas?

    Já combinaram com os russos ??

  5. Lula já está disparando na frente, e é por isso que os golpistas estão tentando aplicar uma rasteira na sua legítima candidatura.

    O povo não é burro, e sabe que Dilma sofreu um golpe atroz, fruto da união de forças ocultas da Globo, do PMDB, do PSBD, do FHC, George Bush, Margaret Thatcher, e outras forças da direita mundial.

    E é por isso que o povo em massa colocará Lula de volta no Planalto, em 2018, para permitir que o país recomece um novo recomeço de desenvolvimento que os golpistas interromperam!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *