De quanto dinheiro legal/ilegal estão falando?

Antonio Fallavena

Os debates e avaliações sobre a “Lava jato” têm deixado passar ao longe alguns detalhes que poderão levar as empresas evolvidas e os demais atores, não apenas ao centro do furacão, mas ao seu fundo.

Enquanto debatermos, trabalharmos e avaliarmos números soltos, avulsos e de apenas alguns dos envolvidos, de forma isolada, deixamos de alcançar o todo.

Pergunto: quanto as empreiteiras repassaram aos partidos e aos candidatos, nas duas últimas eleições (2010-2014)? Aparentemente, tudo está, ou deve/deveria estar, disponível. Cada um dos envolvidos utiliza em sua defesa, os mesmos argumentos: receber é legal e os registros contábeis foram feitos e aprovados. Assim, passam a idéia de que não há ilegalidade, fraude ou corrupção.

FALTA RESPONDER

Mas sempre há um algo a mais que precisa ser devidamente avaliado. Para tanto, aqui vão algumas perguntas.

– Quais o volume total dos valores doados, individualmente, por cada uma das empreiteiras?

– Quais os beneficiados (candidatos e partidos) e os valores repassados?

Esta é a única forma de se comparar e avaliar as somas envolvidas. Assim, os destinatários ficam apresentados e as reais intenções de todos os envolvidos ficam expostas também. E o mesmo levantamento pode/deve ser feito em relação a outras empresas, ainda não mencionadas.

Por tudo que já se viu, resta transparente que a situação econômica/financeira das empresas é muito boa, a ponto de jogarem milhões à corrupção. Para sair de seus próprios cofres, as somas são, por demais, vultosas para uma distribuição tão farta e fácil.

CHEGAM A BILHÕES…

Falam em milhões de reais/dólares, deixando antever que os “negócios” foram de muitos bilhões.

Só as somas disponibilizadas, nas devoluções “espontâneas” dos delatores, deixam transparecer uma verdade nua e crua: trata-se de recursos que não saíram dos lucros regulares das empresas. As comissões estavam “embutidas” nos negócios fechados.

Senhores e senhoras, empresas que doaram, doam e doarão tais somas, assim agem em defesa do que? Da democracia? Da felicidade geral da nação? Com tais “apoios” buscam a eleição dos melhores quadros dos partidos? E os escolhidos/eleitos serão melhores para quem? O que esperam receber de volta, com tamanha “mãozinha”, apenas estendida a alguns dos candidatos?

SÃO ESCOLHIDOS

É claro que não doam para todos, mas apenas para alguns candidatos e, aparentemente, de todos os partidos! Candidatos e partidos são escolhidos: os valores mostram isto!

Se o ditado diz que “nem louco rasga dinheiro”, o que entender-se de empresas que jogam tamanha soma de valores pela janela?

Abrindo os números das doações das duas últimas campanhas (2010-2014), teremos um retrato também das anteriores. O desafio de levantar tais informações, está diante de nossos olhos, de poucos e argutos olhos. Vamos buscá-las?

2 thoughts on “De quanto dinheiro legal/ilegal estão falando?

  1. Amigo Fallavena,da forma como o PT governa fica muito facil definir quanto dinheiro ilegal circulou no mercado,pois tudo que os petralhas fazem é ilegal,eles se acham donos do mundo infelizmente.Abraço

  2. A Graça disse que na Petrobrás foram quase 80B. Imagina no BNDES, ministérios, outras estatais ONGs e outros penduricalhos. Foi roubado a metade do nosso PIB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *