De repente, o país inteiro está de olho na próstata do presidente Temer…

Charge do Duke (dukechargista. com.br)

Carlos Newton

É uma situação desagradabilíssima, causada pela falta de transparência na divulgação da doença que levou o presidente Michel Temer a sofrer uma cirurgia. Não importa qual seja o caso clínico, o fato é que o estado de saúde do chefe do governo (seja ele quem for) é do interesse direto de todos os governados, numa relação de causa e efeito. No caso específico de Temer, por se tratar de um problema que afeta o desempenho sexual, o assunto dá margem a brincadeiras  e piadas de mau gosto, provocando reações dos defensores da próstata do presidente, que são logo identificados por costumarem puxar o saco de qualquer autoridade que lhes apareça pela frente, e o assunto ameaça até cair no ridículo.

Mas não deve ser assim, é preciso tratar a questão com um mínimo de seriedade, porque a falta de transparência e as contradições realmente estão dando margem a muitas dúvidas.

CONTRADIÇÃO 1 – A equipe do Hospital Sírio-Libanês, onde o presidente foi operado na noite de sexta-feira, divulgou boletim médico afirmando que a obstrução urinária fora causada por compressão da uretra pela próstata (hiperplasia prostática benigna). Com esse diagnóstico, desmentiu a equipe do Hospital do Exército, que deu o primeiro atendimento e revelou que a obstrução urinária tinha sido causada por um coágulo, fruto de sangramento.

Ficou parecendo que o Hospital do Exército, o melhor de Brasília, havia cometido um erro de diagnóstico, e chamamos atenção para este fato aqui na “Tribuna da Internet”, na manhã de sábado. Logo depois, houve uma entrevista dos médicos que atenderam Temer no Sírio-Libanês e foi confirmado o diagnóstico de obstrução da uretra por aumento de volume da próstata, sem mencionar a existência do coágulo e até dizendo que não fora constatado nenhum sangramento.

CONTRADIÇÃO 2 – Ainda no sábado, o site da revista “Veja” publicou uma matéria da repórter Adriana Dias Lopes, informando que na cirurgia foram extraídas amostras da bexiga para passar por biópsia. “O material foi retirado da área ao redor do coágulo que havia se formado no órgão – a causa da obstrução urinária que o acometeu. Os médicos também coletaram um pedaço do tecido da cápsula da próstata para análise”, revelou a jornalista, acrescentando que em 2011 o presidente foi mesmo submetido a uma operação que removeu todo o miolo da glândula, segundo “Veja” apurou com exclusividade.

E assim aumentou novamente o mistério sobre a doença de Temer, porque o Sírio-Libanês não mencionou a existência de coágulo, fruto de sangramento, muito pelo contrário. Mas agora o coágulo reapareceu, na nota publicada pela “Veja”, que está desmentindo o renomado hospital paulista.

SEM TRANSPARÊNCIA – É deprimente esta falta de transparência em caso médico envolvendo o presidente da República, que é assunto de interesse de todos os brasileiros, repita-se. Mas também foi assim com Costa e Silva e depois com Tancredo Neves.

Segundo a “Veja”, o resultado das duas biópsias somente será conhecido na segunda-feira e a equipe do Sírio-Libanês quer dar alta ao presidente de imediato,  para que ele reassuma o cargo na quarta-feira, o que significa que teremos o senador Eunício Oliveira tomando conta do Planalto por dois dias, no mínimo, pois o deputado Rodrigo Maia está em viagem turística no exterior, acompanhado por nove parlamentares, tudo pago com recursos públicos, claro, e não voltará para assumir.

###
P. S. – Depois que houve críticas na imprensa, Maia disse que abrirá mão das diárias, mais os outros nove deputados fizeram cara de paisagem, que é muito apropriada para quem está fazendo turismo gratuito. (C.N.)

11 thoughts on “De repente, o país inteiro está de olho na próstata do presidente Temer…

  1. Situação parecida quando o planalto chamou o “especialista” para analisar a fita gravada por Joesley.
    Toda vez que situações estritamente técnicas “é ou não é”, sofre influência da política, acontece isto; ainda mais naquela zona que ninguém sabe quem manda ou fala; haja vista as palavras do presidente da câmara sobre notícias plantadas contra ele de que havia vazamento de info.

  2. Será oportuno que a repórter Adriana Dias Lopes complemente a sua matéria, informando, jornalisticamente, se a informação partiu de um comunicado por escrito da direção do Hospital do Exército de Brasília ou se a afirmação – da existência do coágulo – foi “pescada” em conversas com o pessoal do corpo médico do hospital. Entre o diagnóstico do Hospital do Exército de Brasília e o do Sírio-Libanês há uma mentira escondida, e que está teimando em fugir urgentemente desse imbróglio da próstata política do Temer.

  3. Eu quero e todos querem que Michel Temer fique cem por cento curado. Que volte ao exercício da presidência. Que viva ainda muitos anos. No mínimo mais uns 20 para que possa ver crescer seu pequeno filho, e, quem sabe, engravidar sua esposa Marcela e de seu vente fazer brotar e vir à luz outro Michelzinho e muito mais. Que Temer esteja firme, inteiro, com saúde perfeita, para enfrentar, também, as denúncias e responder pelas práticas de crimes comuns que a procuradoria-geral da República apresentou ao Supremo Tribunal Federal contra ele e Temer conseguiu impedir, na Câmara dos Deputados, que as denúncias fossem examinadas pela Suprema Corte, ao menos enquanto exercer a presidência. Temer comprou os votos suficientes dos deputados calhordas e escapou pela segunda vez. O povo brasileiro é de boa índole. É sentimental. É solidário, mormente na enfermidade, na dor. E ninguém deseja que o presidente morra. Ou que fique inválido para o trabalho e deixe o cargo antes do tempo. Ele precisa estar vivinho da silva para enfrentar o futuro, próximo e remoto.

    Agora, cá pra nós, o que passa na cabeça de duzentos milhões de eleitores brasileiros quando aparece na televisão o atendimento médico-hospitalar de primeiríssima qualidade dado a co-eleito Temer?. Sim, sabemos que é o presidente da República, e que a reboque de eleita Dilma, ascendeu à presidência por causa do impeachment. Sim, seja quem for, é o presidente, a mais alta autoridade nacional que precisa de atendimento médico-hospitalar que lhe deve ser prestado de imediato, com urgência, nos melhores e mais ricos hospitais, como é o caso do Sirio Libanês em São Paulo, antes, no Hospital do Exército, em Brasília. Sabemos disso. Tudo bem. Tudo certo. O presidente precisa ser socorrido e não pode morrer e ninguém deseja sua morte.

    Mas o que passa na cabecinha de duzentos milhões de eleitores que não têm atendimento médico, não têm hospitais, não têm plano de saúde, nem pronto-socorros, bem ou mal equipados, não têm medicação, não têm dinheiro, comida, trabalho condigno e bem remunerado?.

    Que passa no pensamento dessa imensidão de brasileiros “ferrados” de verde e amarelo que consegue sobreviver nas “Rocinhas” que se multiplicam neste continente chamado Brasil?. Que pensam, que sentem eles, que pensamos, que sentimos nós quando vemos o presidente ser atendido com urgência, qualidade, pompa, reverência, boletins médicos diários, entrevistas coletivas da equipe médica?.

    Ora bolas, é claro que nos sentimos órfãos, desamparados, menosprezados, inferiorizados, abandonados. Não é sentimento de inveja, mas de revolta, porque para nós, povão, tudo falta, nada existe e quando existe é precário. No Instituto Nacional de Traumato ortopedia ( INTO ) —outrora dirigido pelo médico Sérgio Cortes, hoje atrás das grades — tem pacientes que aguardam há 10 anos por uma cirurgia. E cirurgia não complicada, que não mexe com a bexiga, com a próstata, nem com o “pinto”!

    Um fato concreto. Corria o ano de 1983. O então presidente João Baptista Figueiredo ( 15.1.1918 -24.12.1999) teve um enfarto do miocárdio aqui no Rio. Levado para o Hospital do Servidores do Estado, próximo à praça Mauá, lá permaneceu por alguns dias e depois viajou para Cleveland, onde recebeu uma ponte de safena e outra mamária.

    Enquanto isso minha tia, Maria Madalena Beja, então com 70 anos, nascida em Quatis, de onde nunca saiu, Tia Maria agonizava no Hospital da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) que naquela época ainda pertencia à União. Estava no CTI à espera de um marca-passo que o hospital não tinha para trocar com o antigo e velho que estava quase parando no seu peito.

    Não, não cruzei os braços. Mandei, via fax e telex, para o hospital de Cleveland e para o Palácio do Planalto um dramático pedido de socorro ao presidente Figueiredo. Em seguida liguei para um repórter conhecido (Carlos Gomes) do Jornal do Brasil e perguntei se o meu gesto interessava ao jornal. Interessou. Minutos depois da conversa ao telefone o repórter foi até o meu escritório com um fotógrafo. E no dia seguinte a matéria deu primeira página. Também no dia seguinte o palácio do Planalto arranjou um marca passo novo. E neste mesmo dia seguinte a pecinha foi trocada e o diretor do hospital da CSN me ligou pedindo que eu fosse lá. Fui. Encontrei Tia Maria já no quarto (individual). Tudo limpo. Roupa de cama branquinha branquinha. Ar condicionado e três ou quatro médicos junto dela. Um mês depois, o general-comandante da Academia Militar das Agulhas Negras, que fica em Resende e próximo a Quatis, apareceu na humilde casa da minha tia, de dois quartos pequenos, sala, cozinha, banheiro e fogão a lenha. E entregou uma grande foto (um post, digamos) do presidente Figueiredo com a seguinte dedicatória, do próprio punho do presidente: “À Maria Madalena Beja, com respeito e carinho. Atenciosamente, João Batista de Oliveira Figueiredo”. É, o homem era sensível. E o sobrinho de Madalena criativo. Fez o que sua criatividade ordenou. E conseguiu. E Madalena ainda viveu mais 21 anos. Hoje, a rua em que morava, tem o seu nome. Nasceu naquela casa e naquela casinha morreu. Era farta e nobre. Era poetisa e repentista.

    Para terminar. A Constituição Federal tem um monte de artigos mentirosos. Logo o artigo 5º é a maior tapeação do mundo quando diz

    “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade”.

    Mentira. A redação verdadeira é para ser esta: “Ninguém é igual ao outro perante a lei. Haverá distinção de múltiplas naturezas, que não garantirão aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade”.

    .

    • “Todos querem que Michel Temer fique 100% curado”.
      Não eu! Eu não quero vê-lo sofrer, mas não lhe desejo nenhum bem. Ele fez mal a milhões de brasileiros com a sua corrupção incontrolável – isso é injustiça, e como a justiça de verdade não existe no Brasil, desejo que a natureza lhe seja perversa. Que morra o quanto antes e com ele leve Lula, Renan, Dilma, Padilha, Cabral e o escambau.
      Minha ira tem respaldo na Bíblia: “Qualquer que blasfemar contra o Espírito Santo, nunca obterá perdão, mas será réu do eterno juízo”. Se Jesus desejou o fogo eterno para os blasfemadores do Espírito Santo, por que eu, um pobre pecador, não posso desejar o mal dos poderosos que exploram o povo impiedosamente. “Ye serpents, ye generation of vipers, how can ye escape the damnation of hell”
      Bom domingo a todos. Que Deus nos proteja.

  4. Outrora, o prazer do eleitor era votar metendo na urna. Com o advento da votação digital, o prazer foi transferido pros dedos. POR ANALOGIA: antes, o prazer do Temer era enfiar na “urna” . Agora, a exemplo do eleitor, ele vai recorrer também aos dedos, para levar e sentir prazer!

  5. Newton, tem tarados que estão de olho na próstata do Temer. As redes sociais já retumbam que ânus não tem idade. E agora como fica a próstata do presidente?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *