Debate sobre a urna eletrônica e o voto impresso continua sendo  mal colocado

Pode ser uma ilustração de texto

Charge do Beto (Arquivo Google)

Pablo Ortellado
O Globo

Durante toda a semana, só se discutiu o voto impresso, em grande medida de maneira equivocada. A proposta foi apresentada com muita frequência como a volta do voto em cédula ou como a possibilidade do voto de cabresto, e isso foi dito por articulistas dos grandes veículos e por políticos sérios.

O voto impresso não é o voto em cédula e também não é um comprovante em papel de em quem você votou: é a impressão do voto eletrônico, depositado automaticamente e sem contato manual numa urna inviolável para que possa ser eventualmente cotejado com os votos da urna eletrônica.

AUDITAGEM – Como cada cidadão ou cidadã vê seu voto lançado na urna, ele ou ela é o fiscal desse depósito. Depois, ao final da votação, como forma complementar de conferência, pode-se contar o número de votos da urna física com o número de votos do boletim da urna eletrônica. Podem-se cotejar também os votos em candidatos no banco de dados da urna com os votos impressos.

A impressão permite uma camada adicional de segurança e verificação extraeletrônica, e é por esse motivo que muitos especialistas em segurança defendem a medida, e alguns países a utilizam.

O problema da PEC do voto impresso é que, sob o disfarce de melhorar a segurança das eleições, quer na verdade gerar desconfiança nas eleições. A medida faz parte do projeto de Bolsonaro de criar tumulto eleitoral, alegar fraude e dar um golpe de Estado.

EXECUÇAÕ IMEDIATA – Em primeiro lugar, a proposta quer a implementação imediata, sem projeto-piloto e implementação gradual. Se Bolsonaro realmente quisesse um sistema de votação mais seguro, ele teria aprovado a medida em 2018 e feito um projeto-piloto nas eleições de 2020 para implementação gradual a partir de 2022. Querer fazer agora, de supetão, apenas gerará problemas generalizados causados por uma implementação apressada.

Em segundo lugar, a proposta quer que a conferência dos votos seja integral, e não por meio de uma amostra aleatória. Como recomenda a estatística, uma amostra pequena sorteada adequadamente representa o universo. Se a conferência demonstrar nessa pequena amostra que não houve fraude, pode-se ter confiança em que não houve fraude relevante no conjunto.

Por fim, a proposta quer que essa conferência seja caótica, acontecendo em todos os lugares do Brasil, com militantes fazendo agitação e causando alvoroço. Também quer substituir a supervisão da Justiça Eleitoral pela supervisão da Polícia Federal, que Bolsonaro pode controlar, porque está subordinada ao Ministério da Justiça.

PROBLEMAS REAIS – Precisamos apontar esses problemas reais, e não distorcer os argumentos. Quando fazemos caricaturas, os cidadãos que apoiam Bolsonaro ficam apenas irritados com a deslealdade e reafirmam sua convicção, não apenas na questão da urna, mas no projeto autoritário bolsonarista.

É preciso lembrar que temos duas missões políticas diferentes. Precisamos proscrever Bolsonaro, mas não devemos proscrever os bolsonaristas. Os cidadãos bolsonaristas precisam ser resgatados para o jogo regular da democracia. Eles são um terço da população brasileira, e não existe democracia ou república sem eles.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – A proposta é interessante, porém inviável, porque quebra-se o voto secreto. O miliciano manda o cidadão votar em algum candidato e depois cobra, pedindo que ele mostre a foto do voto, feita por celular no momento da exibição. E assim volta o voto de cabresto… O controle tem de ser por amostragem. (C.N.)

13 thoughts on “Debate sobre a urna eletrônica e o voto impresso continua sendo  mal colocado

  1. Eu havia entendido que no voto auditável, apenas se adicionaria o processo antigo ao atual. As urnas de lona (antigas) guardariam as duplicatas dos votos. E ficariam guardados para possível auditoria necessária.

    • Sr. Roberto,
      Não é um doido, tá de sacanagem mesmo, quer tumultuar a eleição e se perpetuar.
      Quem não enxerga isso é mais cego que o Stevie Wonder.

      Simples assim.

      Um abraço,
      JL

  2. A turma do mal quer o seguinte:

    Na cabine, o sujeito mandado pelo Jair, digita o número do opositor, de propósito, e sai gritando na seção eleitoral que ele votou é no Jair, mas que o sistema imprimiu o voto no oponente. Está entendendo o truque?

    Pronto, está feita a confusão, que é só isso que eles querem. Tumultuar, a fim de melar a eleição.

    Eles não estão nem aí para esse assunto urna eletrônica, voto impresso, etc. Isso foi só um jeito que acharam do genocida se perpetuar no poder.

    Eles acreditam nisso. Mas, não vão conseguir.

    Abraço,

    • Margarida, se ocorrer de a pessoa apertar um candidato e no voto impresso aparecer outro, a pessoa não irá confirmar e chamar o fiscal.
      Então ficaria flagrante o erro.
      Eu não consigo entender porque quem está certo da vitória do seu candidato, limpamente, nas urnas, é contra um sistema mais facilmente auditável.

  3. O voto impresso será muito bom pras milícias que na base do terror vão adulterar os votos impressos, sumir com algumas urnas e criar confusão. Tumultuar é o objetivo!

    Isso é o que pretende o bolsonaro.
    Criar um nó cego proposital com os dados da urna eletrônica e a urna que cairá o voto impresso, que obviamente, não vão bater de jeito nenhum.

    Esse é o argumento que ele necessita!!

    O voto impresso é a volta do voto da desconfiança, dá a possibilidade de ser de cabresto sim!

    Ainda mais com as milícias armadas até os dentes!!

    Sou a favor do voto impresso, mas depois que o bolsonaro é sua famílicia tiverem sido BANIDOS da vida pública.

    Essa é a família mais perigosa que se aposou do poder da história do Brasil.

    NÃO SUBESTIMEM ESTA FAMÍLIA! VEIRAM DISPOSTOS A ABSOLUTAMENTE TUDO!
    SÃO MARGINAIS DECLARADOS.

    É UMA FAMÍLIA DE DELINQUENTES!!

    Pregam transparência nas eleições, mas em todas as ações duvidosas do governo estão colocando sigilo de CEM ANOS!!!
    Inclusive nas despesas do governo e outras atitudes que são puramente de regimes ditatoriais.

    A permanência do bolsonaro como presidente é um perigo!

    Vai virar um ditador.
    O comportamento e postura dele já é de um ditador.

    Cadê o portal da transparência?
    Não funciona mais?
    Porque?

    Agora as ações (mal feitos) do governo que não podemos mais saber, colocam sigilo de CEM ANOS!!

    Nem o pt teve tamanha ousadia.

    Segue reportagem…
    É só um exemplo de vários que estão decretando sigilo de 100 anos!
    Que transparência é essa?

    Que democracia esse FDP quer?

    JL

    Segue reportagem…

    https://www.oantagonista.com/brasil/governo-impoe-sigilo-sobre-cache-de-locutor-amigo-de-bolsonaro/amp

  4. O entendimento, bem como a explicação do senhor Pablo Ortellado me parece corretíssima, quanto a observação na nota da redação do blog eu discordo, é simplesmente adotar a sugestão do senhor Marco Oliveira: “Se for isto, é só proibir celular na cabine. Como gostam de criar chifre em cabeça de cavalo…”. Também me parece correto o entendimento do senhor Espectro: “Não é um doido, tá de sacanagem mesmo, quer tumultuar a eleição e se perpetuar” ou talvez já estar criando uma narrativa para justificar sua provável derrota, sabendo que este congresso não tem interesse na transparência dos resultados e portanto não dariam os 308 votos necessários para sua aprovação, mas a narrativa já estava construída e pronta para ser defendida pelos seus seguidores.

    • Hoje o celular já é proibido, E este argumento do voto de cabresto é, desculpem-me a sinceridade, RIDÍCULO. Quem tiraria foto do voto impresso não pode tirar foto da tela da urna eletrônica ? Pelo que eu sei a lei do voto impresso é de 2002. Esta desculpa de falta de tempo me parece outra desculpa esfarrapada. Ele provou que o sistema do TSE foi invadido. Isto é um FATO. Até onde o hacker chegou não sabemos pois os responsáveis pela segurança do sistema não se preocuparam em salvar o arquivo de log, antes de enviar para manutenção.. Pena que tenham dado este “vacilo”. A dúvida vai permanecer.
      Quando começam a aparecer pesquisas duvidosas, com um sistema de apuração não confiável, é lógico que ele esperneie.
      O pior de tudo é que até o momento, o único mentiroso que identificamos nesta história foi o Barroso que jurava ser o sistema inviolável. Será que ele tem o equilíbrio emocional para tocar estas eleições ?

  5. Espectro; e não podemos esquecer os dois cidadãos que embora não estivessem participando da passeata em Recife/PE, perderam um olho cada um, disparado pela PM quase a queima roupa.
    Até hoje não temos notícia do porque daquela atitude dos policiais; não foi nas pernas, não foi no tórax, a mira foi na cabeça.
    PS: A manifestação foi contra o ‘desgoverno do mito’.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *