Decisão de Barroso não levou em conta a obrigatoriedade de haver “fato determinado”

Assista à entrevista com o ministro Luís Roberto Barroso neste domingo | Poder360

Barroso transformou em determinado um fato genérico

Jorge Béja

A decisão individual do ministro Barroso determinando que o presidente do Senado instaure a CPI que 1/3 dos senadores pediram fosse aberta, não é decisão que seja primorosa sob o aspecto jurídico-constitucional. E aqui não vai uma análise, ainda que breve, de um partidário ou não partidário do presidente Jair Bolsonaro. Nada disso, A análise é exclusivamente juridica e objetiva. Nada mais do que isso.

Barroso, numa só decisão usurpou e subtraiu do presidente do Senado poderes que somente a ele pertencem, a saber:

  1. o poder de admitir ou não o requerimento para abertura da CPI, poder de triagem, portanto;
  2. o direito-poder de analisar se todos os requisitos necessários à abertura da CPI foram cumpridos e comprovados pelos senadores requerentes;
  3. a confirmação da demonstração e a também comprovação do Fato Determinado;
  4. o momento oportuno para o presidente do Senado decidir a respeito, visto que a Constituição Federal não estabelece prazo para tanto.

Assim, numa canetada só Barroso se imbuiu deste poder e decidiu ordenando que a CPI fosse instaurada.

RAPIDEZ EXCESSIVA – Foi uma decisão açodada. Por que não intimou, primeiro, o presidente do Senado para prestar as informações a respeito da queixa que a petição do Mandado de Segurança descrevia? Esse era o caminho razoável e equilibrado, mormente em respeito ao outro Poder.

No tocante ao Fato Determinado, Barroso escreveu na sua liminar, referindo-se à petição do Mandado de Segurança, que “houve indicação de fato determinado a ser apurado (“as ações e omissões do Governo Federal no enfrentamento da pandemia da Covid-19 no Brasil e, em especial no agravamento da crise sanitária no Amazonas com a ausência de oxigênio para os pacientes internados”).

Este é o Fato Determinado que Barroso, usurpando o direito-poder exclusivo do presidente do Senado analisar, entendeu estar rigorosamente preenchido conforme estabelece a Constituição.

HÁ FATO DETERMINADO? – Não. Não está. Isto porque tal como posto e escrito pelos senadores, tanto não é Fato Determinado. Tanto é fato generalizado, abstrato, amplo, suscitando diversas e várias deduções.

Não apenas a jurisprudência quanto também a doutrina, que são fontes do Direito, dizem o que vem a ser Fato Determinando para a abertura de uma CPI.

A jurisprudência: “Conforme consta do artigo 58 § 3º da CF, não basta o requerimento de 1/3 da Casa Legislativa para que seja instaurada uma CPI para apurar fato determinado por prazo certo. O Fato Determinado configura-se como fato concreto e individualizado, não podendo atacar questões genéricas, como corrupção, responsabilidade governamental, política, econômica, etc..” ( TJMS, Apelação Cível nº 15345 MSeg, nº 2005.015345-4, publicado em 1.2.2006).

A doutrina: “Como imperativo de eficiência e a bem da preservação de direitos fundamentais, a Constituição determina que a CPI tenha por objetivo um fato determinado. Ficam impedidas devassas generalizadas. Se forem admissíveis investigações livres e indefinidas haveria o risco de se produzir um quadro de insegurança e de perigo para as liberdades fundamentais” ( Paulo Gustavo Branco, um dos mais conceituados constitucionalistas pátrios, Edição 2009, página 902).

FATO GENÉRICO E ABSTRATO – Como se vê, o fato determinado que o ministro Barroso viu presente e preenchido, é fato genérico e abstrato: “as ações e omissões do governo federal no enfrentamento… e o agravamento da crise sanitária no Amazonas…..”.

Tais premissas não constituem Fato Determinado, mas tópicos, assuntos, temas, para que sejam debatidos e demonstrados pela CPI, ao passo que a Constituição exige a prova pré-constituída do Fato Determinado.

Anuncia-se que na próxima quarta-feira o plenário do STF (os 11 ministros) vai examinar e ratificar ou não a liminar do ministro Barroso. Creio que mais importante seria cuidar da legalidade formal e material do pleito que culminou com a decisão de Barroso. Sim, porque de antemão, Barroso, no peito e na raça, como se dizia antigamente, fez as vezes do presidente do Senado. E a respeito do importante requisito do Fato Determinado, Barroso acolheu as abstrações apontadas pelos senadores.

44 thoughts on “Decisão de Barroso não levou em conta a obrigatoriedade de haver “fato determinado”

  1. Parabéns Dr.Béja, mais uma vez demostrado que o STF se tornou um centro de politicagem da esquerda sem mandato constituído, são semideuses que agem contrariamente aos interesses da nação, obedecendo apenas a agenda do maior ladrão e corrupto que ocupou o planalto central.

  2. Respeito imensamente Dr. Béja mas já está mais do que na hora de se apurar a maneira irresponsável e descuidada que essa porcaria de governo está dispensando ao tratamento da pandemia.

    • Não existe dono da verdade, nem senhor da razão. De repente, por achar que tudo é santo, a gente acaba sendo sugado pelas entranhas do santinho do pau oco.
      Como podemos discordar de uma decisão judicial contra um genocida, apenas porque foi desconsiderado algum detalhe; se o destinatário, em desfavor, é o pior vilipendiador da Ordem Jurídica? Se ele quisesse ser tratado dentro dos parâmetros das leis, não seria o primeiro a insistir em estuprá-las e exautorar seus agentes.
      Contra fatos não há argumentos: estamos vivendo duas pandemias embainhadas, no Brasil. O combate a uma exige vacinas e medidas sanitárias já cediças; à outra, urge que cada brasileiro se converta num Adélio Bispo: a Lei da Sobrevivência é aquela que revoga as demais!

  3. Desta vez concordo c Dr. Beja.
    É uma interferência direta.
    No meu entender o Pres do Senado deveria devolver, com uma frase lacônica.
    Não votei em Bolsonaro pois sabia ser ele e a família ligados à Milícia. No entanto no exercício do poder o que ele tem promovido são apenas barracos, brigas com ex correligionários, com seu próprio partido, com a esposa de presidente estrangeiro, briga e provocação é o que ele gosta de fazer. Porém este desvio de caráter NÃO é crime.
    Além do que, com o fanatismo que ele conduz o seu rebanho vai conseguir ainda mais seguidores que o julgarão como um perseguido.
    Ao contrário, devemos deixá-lo à vontade. Pior do que um idiota, é um idiota motivado.

    • Prezado Paulo III e como e por que o STF, baseado em interceptações ilícitas e não constantes dos autos, decidiu pela parcialidade do Juiz Sergio Moro?
      Coerência ou incoerência?
      Parcialidade do STF??
      Responda se puder!

        • Prezado Paulo III
          minha pergunta continua sem resposta.
          A tua postagem não responde à minha pergunta!
          baseado em interceptações ilícitas e não constantes dos autos, decidiu pela parcialidade do Juiz Sergio Moro?
          A utilização de provas ilicitas vedada pela constituição e o uso de provas não constantes dos autos
          O resto é tergiversação!

      • Por mais que exista uma legislação farta e específica, para enquadrar determinadas condutas criminosas, isso não exclui o personalismo ou subjetividade do judicante. Convicção + veementes indícios oriundos de fontes diversas, de tão axiomáticos, acabam sendo acatados como Provas Indiretas, no bojo do Conjunto Probatório.
        Se dependesse de Provas Diretas, Mizael Bispo e Bruno Goleiro jamais seriam condenados.
        Embora tenham sido obtidas de forma não-autorizada, as interceptações trazidas à tona pelo The Intercept vieram consubstanciar um “relata refero” preexistente, na memória coletiva, acerca das reiteradas ações do Moro que apontavam para guinadas suspeitas, em desfavor do Luís Inácio da Silva.
        PS: nunca fui spatizante desse cidadão!

  4. É necessário haver o Fato Determinado? Concordo. Se para instaurar-se uma CPI tal fato precisa existir, o que dirá a condenação de alguém por um crime.

    Só fico na dúvida se a falha/omissão no combate à Covid não sejam Fatos Determinados.

    • Prezado José Vidal,

      è exatamente aí que está o problema:

      Qual foi a falha ou a omissão?

      Responda o que os senadores não apontaram.

      • Bem, digamos que a falha na compra das vacinas antecipadamente, a propaganda de remédios ineficazes, a falha na proposição de medidas sanitárias conta a covid (ao contrário, alguns integrantes do governo incentivaram as aglomerações, o não uso de máscaras, etc……Há muitos fatos.

  5. Quem não vê fato determinado (e determinante!)

    … omissão/indução de mais de 340 mil mortes

    … cá pra mim, ignaro que sou, desde há muito esqueceu sua própria Humanidade.

    PS. Há mais de dois mil anos Alguém disse: “a Lei foi feita para o homem e não o inverso” – quando questionado por restituir a saúde a um humano em pleno sábado.
    No caso específico, além de se lutar por salvar vidas – AINDA EXISTE O FATO DETERMINADO!

    • Se receitar, comprar e distribuir kit precoce com medicação que ataca.rim, fígado e provoca outros danos colaterais, promover aglomeração, o não uso de máscara. Minimizar os danos e efeitos do coronavirus. Não comprar vacinas qdo foram ofertadas no ano passado para o mundo inteiro.
      O desleixo na logística de oxigênio e muitas outras coisas relacionadas não forem “fato determinante”, o que vai ser? Qdo vai se tomar providências?
      Qdo vamos corrigir o rumo?
      Fato determinante, pois é benja…

  6. Bom dia, Dr. Béja!
    Bom dia, Newton!
    Sobre essa decisão de Barroso, não me manifestei até o momento, por reconhecer minha pouca noção justo dessas normas sabiamente explanadas pelo nosso querido Béja, cujos termos e com quem concordo. Devemos exigir tudo dentro da lei. Posso não concordar em nada com o governo, mas não justifica que possamos ignorar as normas quanto aos requisitos para acolhimento, ou não, de um pedido, em ação contra ou proposta pelo governo.

    • Não sei se tem ainda. Antes de intimar o governo. Que intimar o autor da ação, afim de apontar fato determinado se não apontado, ou no juízo de prelibação fosse não conhecida e rejeitada a ação. Essa parte de cpc me perdoe a ignorância.

  7. Negacionismo também pode atender por “abstrações”, segundo o douto articulista.

    PS. No reino de Maya tudo é o que aparenta ser: ilusão, tergiversação…

  8. “… não é decisão que seja primorosa sob o aspecto jurídico-constitucional.”

    Uma pergunta que se pode fazer é essa: quando esse STF tomou uma decisão que pudéssemos afirmar ser primorosa de qualquer ponto de vista?

  9. O texto do Béja é um primor de argumento. Mas, como diz o mestre Millor Fernandes, “calma, sempre se pode provar o contrário”. Simples, querem ver?

    “Decisão de Barroso levou em conta a obrigatoriedade de haver “fato determinado”.

    • Duvideodó que, entre nós mortais, haja alguém imparcial ou com isenção de ânimo. Isso se dá, no plano individual, nos minis, mesos e macrossistemas.
      Eu já integrei a Conselho de Sentença por mais de uma década, no meu critério de julgamento, ponderava a conterraneidade. Meu conterrâneo matou, um, dois, três…….. Sinta-se previamente absolvido. Ele foi assassinado? O homicida podia sentir-se condenado de antemão.

  10. Prezado Paulo III
    minha pergunta continua sem resposta.
    A tua postagem não responde à minha pergunta!
    baseado em interceptações ilícitas e não constantes dos autos, decidiu pela parcialidade do Juiz Sergio Moro?
    A utilização de provas ilicitas vedada pela constituição e o uso de provas não constantes dos autos
    O resto é tergiversação!

    • Por mais que exista uma legislação farta e específica, para enquadrar determinadas condutas criminosas, isso não exclui o personalismo ou subjetividade do judicante. Convicção + veementes indícios oriundos de fontes diversas, de tão axiomáticos, acabam sendo acatados como Provas Indiretas, no bojo do Conjunto Probatório.
      Se dependesse de Provas Diretas, Mizael Bispo e Bruno Goleiro jamais seriam condenados.
      Embora tenham sido obtidas de forma não-autorizada, as interceptações trazidas à tona pelo The Intercept vieram consubstanciar um “relata refero” preexistente, na memória coletiva, acerca das reiteradas ações do Moro que apontavam para guinadas suspeitas, em desfavor do Luís Inácio da Silva.
      PS: nunca fui spatizante desse cidadão!

  11. Morrem em média TRÊS MIL BRASILEIROS POR DIA!
    ESTE É O FATO DETERMINANTE!!

    Temos um presidente psicopata que joga contra a saúde do povo brasileiro.
    Isso é fato determinante!!

    É público e notório que o presidente é um genocida que quer empilhar corpos, quer superar a torre de Babel em altura!
    Isso é fato determinante!!

    Temos um presidente que faz chacotas das pessoas que estão morrendo afogadas…
    “ESTOU COM COVID, ESTOU COM COVID”… está gravado em vídeooo!!!
    ISSO É FATO DETERMINANTE!!

    Em nenhum outro país do mundo se viu tal animalidade de um mandatário!
    Isso é fato determinante!!

    Recusou compra de SETENTA MILHÕES DE VACINAS!!
    ISSO É FATO DETERMINANTE!!

    Senhores, vamos deixar de filigranas jurídicas e vamos agir!
    O NOSSO POVO ESTÁ MORRENDO AFOGADO E O PRESIDENTE TÁ CAGANDO E ANDANDO!!
    ISSO É FATO DETERMINANTE!!!

    O que tem que ser determinante é o direito à vida, deixem o juridiques de lado, nossos irmãos estão sendo assassinados, afogados como se tivessem um saco plástico amarrado na cabeça. Não há pior tortura de morte do que essa.
    ISSO É FATO DETERMINANTE!!!

    A monstruosidade permanente e patente do presidente, É UM FATO DETERMINANTE!!

    Pra que se ater a filigranas jurídicas se a justiça interpreta as leis a bel-prazer!

    Então vamos investigar, há documentação robusta que indicam que querem nos matar!!

    Isso não é um fato determinante pros Sres?

    SOMOS UM ZERO À ESQUERDA!!!
    ISSO NÃO É FATO DETERMINANTE?

    JL

  12. Eu acho que é tudo guerra política(lha). Não é nada pela vida ou o bem do povo. É só ódio para um derrotar ao outro. Não vale a pena se estressar com isso.

  13. O artigo do dr.Béja é indiscutível, pelo fato de ter sido escrito por um advogado de renome e conhecido de todos nós.

    Mas, o excelso profissional sabe que a Justiça tem sempre o outro lado que, mesmo aparentemente, deixando de lado alguns pressupostos pode vencer a causa.

    Não entendo, entretanto, a polêmica a respeito desta CPI, até certo ponto surpreendente.
    Maior fato determinante que 351 mil mortos será difícil encontrar, a menos que a morte de cidadãos brasileiros e nada seja a mesma coisa para o congresso nacional;

    Outro fator determinante seria a falta de oxigênio em Manaus, ocasionando várias mortes em estado de agonia, vítimas que sofreram em demasia pela falta de ar até perderem suas vidas;

    Igualmente outro fator preponderante foi a demora na compra de vacinas. Apesar dos esforços das equipes de saúde em aplicar o imunizante com rapidez e eficiência, temos apenas 15% da população vacinada.

    Em outras palavras:
    Causa espécie as alegações de certos parlamentares queixando-se da interferência do Judiciário. Ora, se o presidente da Câmara Alta sentou-se em cima do pedido devidamente preenchido e contemplado nos seus detalhes técnicos, a solicitação fora feita em janeiro e até abril não havia a decisão de Pacheco, Barroso usou de suas prerrogativas para determinar a sua instalação.

    Sobre detalhes técnicos, se um poder passou por cima do outro, se o ministro do STF precisaria antes de deferir a Liminar pedir para o senado explicações ou coisa que o valha, a meu ver, o fator determinante, específico, indiscutível e gravíssimo, residiria na quantidade de mortes de janeiro até abril!

    No dia 31 de janeiro havia registros de 224 mil mortos.
    Agora, temos 351 mil óbitos.
    O Brasil perdeu 127 mil cidadãos em menos de 4 meses!
    Se tal fato não for determinante para esta abertura de CPI, que se encontrava no colo do presidente do senado desde 5 de janeiro, o que seria, então, fator determinante?!

    Um milhão de mortos?
    Dez milhões?!
    Ou dois senadores mortos e três deputados federais, todos da situação??!!

    Sinceramente, mas me preocupam as filigranas jurídicas em se tratando de vidas … humanas!
    Muitos requisitos, exigências, pressupostos, detalhes técnicos, ritos ridículos e uma liturgia abominável em se tratando do povo brasileiro!

    Barroso agiu corretamente.
    Pensou nas mortes diárias e no total que já atingimos após o pedido da CPI, em janeiro, repito.

    O lamentável é que constatamos a completa desvalorização da vida do brasileiro por parte deste governo!
    Se, para dificultar mais ainda que tenhamos acesso a esclarecimentos sobre esta quantidade inexplicável e injustificável de mortos, existam brechas nas leis, regras de um poder sobre o outro não poder interferir, mesmo que este não esteja cumprindo com a sua obrigação, diga-se de passagem, então é balela, papo furado, conversa mole para boi dormir a tal independência dos poderes, porém atuando em perfeita “harmonia”.

    Deboche, escárnio sobre o direito à vida do cidadão?
    Mais valem requisitos de somenos importância que a vida de um ser humano?

    Que raio de independência é esta que vociferam ou arrotam, entre os poderes?
    Quem decide sobre o aumento salarial do Judiciário?
    O parlamento.
    Quem julga os crimes praticados pelos parlamentares (EM TESE) não é o Judiciário?
    Quem decide quando o parlamento discute se uma lei é válida ou mal aplicada não é o STF?
    Quem legisla, de modo que depois a Justiça possa se basear para julgar, condenar ou inocentar o réu?
    O parlamento.

    Logo, inexiste essa independência propalada.
    Um depende do outro e, o poder Executivo, simplesmente age mediante aprovação do congresso e liberação do Judiciário, se está agindo corretamente.

    O grande problema, o nosso nó górdio, a bifurcação que nos leva para caminhos mal escolhidos, se direita ou esquerda, reside na exclusão do ser humano!!!

    Nesse caso, como podemos observar e concluir, a questão está em níveis técnicos e exagerados de usurpação de poderes.
    Aonde se encontra o povo?
    Aonde que as 351 mil almas que partiram, encontram-se inseridas??!!

    Vida do brasileiro e nada é a mesma coisa.
    O importante é seguir as leis, as regras, os códigos, a jurisprudência, os salamaleques ridículos de um poder para o outro, como se existissem alheios à população, à vida do cidadão, ao povo desta republiqueta!

    Tudo é importante e sagrado, menos a vida de cada um de nós!!!

    Dá-lhe Barroso!
    Tens o meu aplauso, reconhecimento e agradecimento.

    Agora, realisticamente, a instalação desta CPI NÃO VAI DAR EM NADA!
    Correrá à solta dinheiro como nunca se viu, comprando votos, impedindo investigações, depoimentos, e que se consiga apurar a verdade dos fatos.

    O que me leva a concluir que, os poderes constituídos, exercem muito bem o teatro pelo qual foram criados.
    A realidade absoluta, a verdade apodítica, estocástica, encontra-se na definição que essas instituições fazem do povo:
    somos meros contrapesos, e mais nada.

    Lembram-se da definição do general sobre a democracia?
    Que era o uso de pesos e contrapesos, então a sua “manutenção”.

    • Assino!

      Caro Chicão, o que você escreveu lavou a minha alma!
      Obrigado, muito obrigado!!

      Quanto às filigranas da lei, ÀS FAVAS COM A LEI!!

      Estão nos sacaneando isto sim, é a pura verdade!!

      Parabenizo o Dr. Béja pelo seu enorme saber jurídico, sempre aprendemos muito com ele.
      Mas eu sou povo e estou vendo os nossos irmãos morrendo afogados.
      Então, neste momento, como um homem que preza pela justiça, penso que agora necessitamos de velocidade.

      Chicão, a morte vem pisando nossos calcanhares!
      É assustador!!

      Talvez a CPI não dê em nada, concordo com você, mas vai desmascarar muita gente que terá que se esconder debaixo da cama nas próximas eleições.
      Pelo menos, que sirva pra isso Chicão; pra desmascarar os embusteiros.
      Isso já será um grande avanço.

      Um forte abraço e muita paciência pra aturar toda esta loucura.
      JL

      • Espectro,

        Reconhecer as qualidades profissionais do dr.Béja é redundância.

        Como bem escreveu Werneck, abaixo, trata-se de um “texto primoroso e irretocável”.

        Agora, será que a discussão que interessa ao povo, que morre como moscas diariamente vítima da pandemia, é se o Judiciário passou por cima do Senado?

        Temos de obedecer cegamente o rito e a liturgia jurídicas mesmo em se tratando de vidas humanas?

        Pois eu me bato nessa questão, de não aceitar que regras, normas, leis, códigos, preponderem sobre essa tragédia que ora assola o Brasil, e que ceifou a vida de mais de 351 mil pessoas!

        O pedido de CPI estava na mesa do presidente do Senado desde 5 de janeiro!
        Passaram-se três meses, e 127 mil mortos nesse período, sem que se desse curso à CPI?

        HAVERIA UM FATO DETERMINADO MAIS IMPORTANTE QUE ESSE??!!

        O Direito não deixa de ser vital e, ao mesmo tempo, curioso:
        Há tantos cuidados com detalhes, pressupostos, prerrogativas … mas quando se trata da vida do povo é justamente nessa ocasião que a Justiça deveria ser severa nos deferimentos solicitados?

        Não interessa quantos morreram, pois se deve obedecer à risca os procedimentos determinados.
        Convenhamos, mas estamos diante de uma inversão de valores absoluta, patética, inaceitável.

        E ainda tive de ler agora pela manhã, na TI, que Barroso deferiu o pedido de CPI porque é “comunista”!!!

        Olha, Espectro, que parte do povo se mate defendendo seus candidatos maravilhosos e ideais, azar, problemas desses fanáticos mas, a população brigar entre si sobre as vítimas fatais, alegando disparates, imbecilidades, idiotices, o povo tem mais é que sofrer por ser tão cordeiro, ir tão resignado para a morte, e sem qualquer protesto ou reclamação!

        Abraço.
        Saúde e paz.

  14. Texto primoroso e irretocável.
    Embasado em sólidos conhecimentos do Direito
    Para ler,aprender e guardar.
    Parabéns,ao jurista Jorge Béja.

  15. Primeiramente deixo os meus aplausos e reconhecimento positivo pela manifestação do Jurista Jorge Béja, estribada nos fatos e no Ordenamento Jurídico pátrio. Aos demais, “apenas relembro”, que o Governo Federal não é o responsável pela produção e distribuição do oxigênio medicinal ou industrial, sendo isso objeto de relação comercial entre os produtores, transportadores/distribuidores e as Organizações e Unidades de consumo, públicas e privadas. Quanto aos lamentáveis mais de 351 mil mortos, vitimados pela Covid-19 e atuais vírus mutantes, mais de 80%(280,8 mil) dessas pessoas poderiam ter sido salvas, caso houvessem recebido, precocemente, em doses adequadas, e sob supervisão médica, os antiparasitários, que conhecidos há mais de 40 ou 70 anos, também apresentam efeitos que impedem as replicações
    virais, inclusive dos atuais Corona Vírus mutantes. Vidas que não foram salvas, “Graças à insistente oposição dos partidos de esquerda/comunistas”!

  16. O artigo do Dr. Beja, publicado em primeira mão no Jornal da Cidade Online, está impecável. Parabéns pela imparcialidade, imparcialidade inexistente na P$TF e impren$a.

    Sem a indicação precisa do “Fato Determinado” a CPI no Senado não pode ser aberta e contra a liminar de Barroso cabe recurso
    https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/28585/sem-a-indicacao-precisa-do-fato-determinado-a-cpi-no-senado-nao-pode-ser-aberta-e-contra-a-liminar-de-barroso-cabe-recurso

  17. Impressionante a lavagem cerebral que uns e outros se permitem tamanha afronta contra si mesmos!

    O comentarista Manuel Santos Ferraz é o exemplo que me refiro:

    O mal do mundo é o comunismo;
    a pandemia é comunista;
    Barroso é comunista;
    os comunistas opositores ao governo de Bolsonaro são os culpados pelas mortes ocasionadas pelo Covid;
    Não há culpados pela falta de oxigênio em Manaus. Trata-se de apenas uma relação comercial;
    as vacinas são comunistas;
    a imprensa é comunista.

    Então, o anticomunista convicto postou algumas frases absurdas, desconectadas da realidade, pois como bom bolsonarista, o atual governo fez tudo que estava em suas mãos, inclusive criou um tratamento precoce que, se bem usado, teria salvo a vida de 280 mil pessoas!

    Frase 1:
    “Vidas que não foram salvas, “Graças à insistente oposição dos partidos de esquerda/comunistas”!

    Frase 2:
    “Barroso foi o advogado do terrorista Cesare Batisti. Sempre preocupado com a segurança dos “comunistas”!”

    Na ótica completamente deturpada da verdade, Ferraz tem o desplante de culpar o comunismo pela morte de 280 mil cidadãos brasileiros que não tomaram o elixir da vida indicado pelo presidente, logo, não há motivos para lamentar as suas perdas, pois atenderam aos comunistas, deixando então de sobreviver, mesmo tendo à disposição remédios que os teriam curados da pandemia.

    Até então, a pessoa publica o que quiser, mas não parar para pensar nas tolices escritas, e postá-las desse jeito, das duas uma:
    ou Ferraz é corajoso ou insano!

    Fico imaginando o conflito que essa gente seguidora de Bolsonaro está ocasionando na mente do povo.
    Um crime, sem dúvida alguma, esse procedimento de divulgação de mentiras, de invencionices, de se usar a morte de centenas de milhares de pessoas para objetivos políticos alegando, irresponsavelmente, que o ministro que determinou a abertura da CPI da pandemia é comunista!

    Em outras palavras:
    Que deixasse morrer mais outro tanto de brasileiros porque um poder “não pode passar por cima do outro”, principalmente se relacionado à vida de seres humanos!

    Inacreditável o que está acontecendo nesta republiqueta!

  18. Cada bolsonarista que aparece neste blog comprova de maneira clara, escancarada, o desprezo que o governo federal tem pela vida do povo!

    E, sem qualquer pudor, publicam alegações as mais esdrúxulas, imbecis, tolas, estúpidas, idiotas, todas no sentido de isentar o presidente e seus teleguiados de suas responsabilidades constitucionais.

    A desculpa do comunismo, então, um primor para a ideologia de Bolsonaro.
    Porém, o ex-capitão deveria questionar o “seu” exército, e perguntar os porquês de ter perdido a “guerra” contra o comunismo no Brasil!

    Se a queda de Jango teve esse condão, de impedir o avanço comunista, o enigma a ser decifrado está na razão do crescimento do comunismo depois que os militares devolveram o poder aos civis!

    Ora, de nada adiantaram as mortes, prisões, perseguições, atentados, terrorismo, condenações, torturas, assassinatos, trocas de presos por autoridades sequestradas … nada!

    Uma simples aventura, que mergulhou o país em conflitos ideológicos que até hoje se fazem sentir.

    Portanto, muito antes de acusarem o comunismo como causador de nossas mazelas e mortes pela pandemia, o dedo deve voltar para o próprio acusador, que deverá questionar os militares pelo “serviço” incompleto.

    Conclusão:
    acusar o comunismo é ridículo, pois se esta ideologia tem tanto poder de até “construir” um vírus para matar capitalistas e democratas, as FFAA vacilaram em demasia nos combates travados com os “vermelhos”.

    Aliás, se houve um momento que os militares tiveram de hastear a bandeira de rendição para o COMUNISMO, FOI QUANDO Dilma, terrorista, foi eleita presidente do Brasil democraticamente.
    Ela esteve presa, alegou ter sido torturada, roubava para conseguir dinheiro à causa que defendia, consequentemente, inimiga do país e do povo e, mesmo assim, as FFAA permitiram a sua posse.

    E, por favor, observem a contradição:
    Se na década de sessenta, tivemos a deposição de um presidente que nunca tinha sido comunista, certamente os militares atualmente justificarão a posse de Dilma como obedientes à democracia!!!???

    Antes, que razões impediram que a democracia seguisse o seu curso, e agora o comunismo tem o caminho livre??!!

    “Não precisa explicar; eu só queria entender!”. (Fez parte do programa humorístico Planeta dos Homens, exibido pela Globo nos anos 70).

    Ah, diga-se de passagem, a emissora que apoiou os militares do início ao fim, e que atualmente é a inimiga nº 1 de Bolsonaro, ou seja, mais uma das contradições deste governo!

Deixe um comentário para Adalberto Nunes Neto Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *