Decotelli se reúne com Bolsonaro, nega plágio e informações falsas em currículo e diz que continua no cargo

Sobre possível plágio, Decotelli diz que “é possível haver distração”

Filipe Matoso
G1

O ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, afirmou nesta segunda-feira, dia 29, que se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro e que, no encontro, Bolsonaro fez questionamentos sobre o currículo dele. Em entrevista na porta do ministério após o encontro com o presidente, Decotelli negou que tenha cometido plágio na dissertação do mestrado. Questionado se continuará no cargo, respondeu que sim.

Carlos Alberto Decotelli foi anunciado na semana passada e, desde então, surgiram três polêmicas: denúncia de plágio na dissertação de mestrado da Fundação Getúlio Vargas (FGV); declaração de um título de doutorado na Argentina, que não teria obtido; e pós-doutorado na Alemanha, não realizado.

POSSE ADIADA – Em meio a esse cenário, a posse dele no cargo, prevista para esta terça-feira, dia 30, foi adiada pelo governo. “Ele [Bolsonaro] queria saber detalhes sobre a minha vida de 50 anos como professor em todas as entidades do Brasil. Então, ele pegou a estrutura de detalhes, a estrutura de trabalhos no Brasil, Norte, Sul, Leste, Oeste, 40 anos de trabalho na Fundação Getúlio Vargas, Fundação Dom Cabral, Ibmec”, declarou.

De acordo com o ministro, o presidente quis saber o “lastro de vida” dele como professor. “Ele [Bolsonaro] perguntou: ‘Como é essa questão de detalhe acadêmico e doutorado, pós-doutorado, pesquisa de mestrado? Como é essa estrutura de inconsistência?’. Ele queria saber o que é isso, então, eu expliquei a ele”, acrescentou.

“RESOLVIDO” – Segundo o ministro da Educação, Bolsonaro disse que o assunto do doutorado está “resolvido”. Sobre a denúncia de plágio no mestrado, o ministro respondeu: “É possível haver distração? Sim, senhora. Hoje, a senhora tem mecanismos para verificar, softwares, se a senhora teve ou não inconsistência. Mas naquela época, pela distração…”.

Nesse instante, o ministro foi questionado: “Não houve plágio, então, ministro?”, e Decotelli respondeu: “Não houve plágio porque o plágio é considerado quando o senhor faz ‘control C, control V’. E não foi isso.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A fraude curricular causou um grande constrangimento na ala militar que chancelou o convite para Decotelli integrar o governo. E também deixou Bolsonaro na defensiva, em mais uma sinuca de bico. Tanto que já contava com uma lista de possíveis opções para substituir o nomeado. Ao mesmo tempo, a saída de Decotelli, sem nem mesmo esquentar lugar, abriria brecha para que olavistas também tentassem ocupar o cargo, com a intermediação de Eduardo. Ao afirmar que o assunto está “resolvido”, Bolsonaro aposta que a vergonha seja apenas passageira e que até a próxima gafe, essa caia no esquecimento. É muita fake news para um governo só. (Marcelo Copelli)

5 thoughts on “Decotelli se reúne com Bolsonaro, nega plágio e informações falsas em currículo e diz que continua no cargo

    • Leão da Montanha, meu caro comentarista, bom dia!

      O ilustre Jurista é quem pediu kkk KKK kkk 🙂

      Para não ser fake, o Governo Bolsonaro deve reativar a Comissão da Verdade! Como já são mais de 4 anos pós-Dona Dilma … passou da Hora, né???

      Toda Revolução tem seu caráter permanente, como se justificou Castelo Branco (e como a França mantem em sua Constituição o ser o Terceiro Estado que continua no Poder, confere???)

      O Legislativo corrigiu o ter declarado que Jango tinha saído do Brasil sem autorização … quando o legítimo Presidente ainda se encontrava em Pindorama kkk KKK kkk

      Bolsonaro pode começar a Pacificação … corrigindo o intramuros … com o Coronel Boaventura Cavalcanti, grande paraquedista, General Albuquerque Lima, que não teve sua indicação respeitada por falta de estrela … Carlos Lacerda, impedido de disputar a Presidência … Ademar de Barros e JK, que foram importantes para a Vitória!

      Desculpas … se está doendo!

      Abraços do Lionço.

  1. Reafirmo o escrito do dia 27 as 12:34,aqui TI,sobre sr. Decotelli.
    Os erros não são pontuais, é sistêmico fica caracterizado “mas tensões”.Entendo com Sr. Decotelli, já entrou contaminado com o vírus da indecência,FNDE.
    falhou os “Arapongas” do Sr. Bolsonaro,e o GSI.
    Ki.goverlixo…

    PS:Vivo fosse,Carlos Lacerda,diria GSI não funciona as segundas feiras..
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. O ministro Decotelli, até agora, carrega em sua bagagem:

    – denúncia de plágio na dissertação de mestrado da Fundação Getúlio Vargas (FGV);
    – declaração de um título de doutorado na Argentina, que não teria obtido, segundo declaração do reitor da instituição; e,
    – pós-doutorado na Alemanha, não realizado.

    Cacilda ! Parece até “colega de turma” da Dilma … tem tudo para ser presidente da República, basta Lula apoiar.

  3. O eterno trapalhão Renato Aragão foi comunicado pela emissora sobre a não renovação do seu vínculo,
    que se encerra hoje, 30 de abril.

    Tudo indica que é um forte candidato a ser ministro da Educação da República Tabajara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *