Delao da Odebrecht traz novas provas de corrupo da famlia Picciani

Resultado de imagem para Picciani e filhos

Uma famlia que rouba unida e permanece unida

Ana Clara Costa
poca

Morta em 2002, a vaca premiada Bilara, da raa nelore, deixou um rebanho de descendentes que multiplicou o patrimnio da Agrobilara. A empresa pertence famlia do ministro do Esporte, Leonardo Picciani, do PMDB do Rio de Janeiro. Nos ltimos anos, os negcios da firma fizeram a soma do patrimnio dos scios alm do ministro, seu pai, o deputado estadual Jorge Picciani, presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, e seu irmo Rafael Picciani, secretrio municipal na prefeitura do Rio duplicar para R$ 27 milhes entre as eleies de 2010 e 2014, de acordo com suas declaraes Justia Eleitoral.

EM NOME DA VACA – A exuberncia dos nmeros chamou a ateno do Conselho de Controle de Atividades Financeiras, o Coaf, rgo do Ministrio da Fazenda. Ao olhar os nmeros, o Coaf detectou movimentaes consideradas atpicas e suspeitas. Teria uma vaca tanto poder assim?

O relatrio do rgo de inteligncia, obtido por poca, mostra uma triangulao financeira em torno de um depsito de R$ 5,5 milhes para os scios de Picciani em 2012.

NOVOS SCIOS – Em setembro de 2012, a Agrobilara expandiu seus negcios da criao de gado para a construo civil, com a compra da mineradora Tamoio, em parceria com o empresrio Carlos Cesar da Costa Pereira, que j atuava no ramo de minerao. Um ms depois surgiu um terceiro scio. O empresrio Walter Faria, dono da cervejaria Petrpolis, comprou 20% de participao na Tamoio. No mesmo ms de outubro em que Faria concluiu a aquisio, o documento do Coaf revelou que tanto a Agrobilara quanto Pereira receberam R$ 5,5 milhes cada um da GP Participaes, empresa de Walter Faria.

Mas, antes de chegar aos Piccianis e a Pereira, o dinheiro saiu de uma empresa chamada Turcon Engenharia e passou pela GP Participaes. Em 16 de outubro, a Turcon fez uma transferncia de R$ 36,5 milhes para a GP. No dia seguinte, a parte que cabia aos Piccianis e a Pereira foi despachada para suas respectivas contas no Banco do Brasil. O resto ficou com a GP Participaes. Ocorre que a Turcon, na prtica, no existe. Nada tem de empresa de engenharia, pois no possui registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) e no tem nenhuma obra catalogada.

EMPRESA FANTASMA A empresa Turcon fora criada apenas dois meses antes de fazer o repasse milionrio, em agosto daquele mesmo ano, com capital social exatamente equivalente aos R$ 36,5 milhes transferidos GP de Walter Faria. Seu endereo registrado na Junta Comercial, no bairro da Barra Funda, em So Paulo, remete a uma numerao inexistente. Seu principal acionista uma empresa offshore aberta na Holanda chamada Turcon Consulting and Engineering.

A Turcon rene, assim, as caractersticas de uma empresa-fantasma. O criador da triangulao financeira, que assina como acionista da Turcon no Brasil, Jos Amrico Vieira Spinola. Por mais de 15 anos, ele trabalhou na rea jurdica da Odebrecht no Brasil e em Angola e depois se tornou prestador de servios jurdicos da empreiteira. Spinola tinha relao estreita com a famlia Odebrecht, especialmente o patriarca Emlio Odebrecht.

VIROU CONSULTOR – Na dcada de 1990, disputas internas quase culminaram em sua demisso. A famlia Odebrecht, porm, decidiu por mandar Spinola para Angola uma espcie de degredo dos executivos que conheciam os meandros da empresa e no podiam ser simplesmente descartados.

De volta da frica, Spinola abriu a prpria consultoria, especializada em intermediar negcios com governos locais. Seu escritrio parada certa para empresas interessadas em vender para a Odebrecht em operaes no continente.

A Odebrecht um ponto comum da histria da Tamoio, da Agrobilara e de Walter Faria. A aquisio total da mineradora pelo grupo liderado pelos Piccianis ocorreu em sincronia com a concluso das licitaes para a construo do Parque Olmpico do Rio e da Transolmpica, em 2012, vencidas por consrcios liderados pela empreiteira baiana. A Tamoio se transformou em uma das principais fornecedoras de brita dos dois consrcios.

DOAES ELEITORAIS – Walter Faria citado por delatores da Operao Lava Jato, inclusive o lobista Fernando Baiano, como um dos responsveis por repassar dinheiro da Odebrecht a polticos. Segundo Baiano, quando no queria aparecer, a Odebrecht se servia de empresas do grupo GP para fazer doaes eleitorais conforme sugerem planilhas apreendidas pela Polcia Federal com executivos da empreiteira na Lava Jato. As dezenas de delaes de executivos da Odebrecht, no entanto, esto prestes a revelar os detalhes privados dos negcios da empreiteira com polticos.

Alm da Odebrecht, outra empreiteira mencionada na Lava Jato tem boas relaes com a Agrobilara. Em acordo de lenincia fechado com o Ministrio Pblico Federal, a funcionria da Carioca Engenharia Tnia Fontenelle disse aos procuradores que a construtora comprou gado superfaturado da Agrobilara, com a inteno de abastecer caixa dois de partidos polticos.

DELAES DA ODEBRECHT – At agora, no caso dos Piccianis, as relaes com a Odebrecht tm se limitado, na esfera pblica, aos leiles de nelore pelo pas. Tanto a Agrobilara quanto o conglomerado baiano integram o grupo restrito de castas criadoras desse tipo de gado. As dezenas de delaes de executivos da Odebrecht, no entanto, esto prestes a revelar os detalhes privados dos negcios da empreiteira com polticos.

A Agrobilara afirmou, por meio de sua assessoria, que desconhece a existncia da Turcon e que jamais teve contato com seu controlador. Disse ainda que o grupo GP um dos maiores grupos empresariais do Brasil e no faria nenhum sentido questionar a origem dos recursos de uma transao que levou meses para ser concluda. Walter Faria afirmou que as operaes financeiras fazem parte de venda e compra de participaes societrias realizadas de acordo com a legislao vigente e devidamente registradas nos rgos competentes. Tanto a Odebrecht quanto Spinola no responderam ao pedido de informao at o fechamento da reportagem.

###
NOTA DA REDAO DO BLOGO ministro Leonardo Picciani pode ficar tranquilo, porque no perder o cargo. O presidente Temer coleciona ministros corruptos. Se no pedir demisso, como fez Romero Juc, s sai quando a ao transitar em julgado. O exemplo de Itamar Franco j caiu no esquecimento, lgico. (C.N.)

12 thoughts on “Delao da Odebrecht traz novas provas de corrupo da famlia Picciani

  1. “O ministro Leonardo Picciani pode ficar tranquilo, porque no perder o cargo. O presidente Temer coleciona ministros corruptos.”

    Como diz o Sr. Paulo. (com problemas do Horrio de Vero)., o blog est infestado de petistas..
    Seria o Sr. Newton um petista.??

    Al, Cabral, prepare as Caravelas, j estou indo elas……….

    Cames puro….

    eh!eh!eh!eh

  2. Meu DEUS PAI CELESTIAL MISERICORDIOSO, quanta ESCULHAMBAO!
    A nao est ARRASADA.
    Tudo est podre.
    muita MARACUTAIA.
    muita BANDALHEIRA.
    H trabalho para o MFP, Polcia Federal e o Judicirio brasileiro para dcadas, razo pela qual so necessrios mais investigadores para tantas quadrilhas organizadas que se apoderaram de nossa amada ptria.
    O Brasil foi roubado e ainda continua sendo roubado: de norte a sul, leste a oeste, vilarejos e grandes cidades, a nossa amada ptria de fato me gentil.
    Estreme de dvida que com essa CORJA DESCLASSIFICADA DE POLTICOS que temos o Estado brasileiro no ser depurado.
    SOCORRO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  3. Manh, t com a minha panelinha de INOX prontinha pra protestar, mas a rua t vazia e as redes sociais esto mudas..Por que ningum fala mais em ir pras ruas hein, mame???

  4. Vo fazer uma sesso descarrego contra fantasmas ?

    O prdio das empresas-fantasmas
    Em Saquarema, fornecedora da campanha de Marcelo Crivella a prefeito funciona na mesma sala de firmas investigadas pela Lava Jato por repassar dinheiro sujo
    NONATO VIEGAS E HUDSON CORRA
    28/10/2016 – 19h01 – Atualizado 28/10/2016 20h05

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.