Delao de Constantino, scio da Gol, mais uma ameaa a Temer e ao PMDB

Imagem relacionada

Henrique Constantino, flagrado no Planalto

Thiago Herdy
O Globo

O empresrio Henrique Constantino, um dos donos da Gol Linhas Areas, relatou a procuradores da Repblica em Braslia que o presidente Michel Temer avalizou uma contribuio ilegal de R$ 10 milhes de suas empresas a polticos do PMDB e a campanhas em 2012, na poca em que era vice-presidente. Em seu relato, confirmado ao Globo por duas pessoas com acesso s negociaes, Constantino conta que fez o acerto com o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que ento o teria levado a Temer para validar o acordo. No entanto, disse o empresrio, Cunha no falou sobre propina na presena de Temer, mas sobre o compromisso do seu grupo de empresas de apoiar o partido e o grupo poltico do vice-presidente o que, segundo Constantino, foi entendido como uma forma de avalizar os pagamentos.

Alm de Cunha e Temer, o ex-deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) tambm teria participado do encontro, que no consta da agenda oficial da Vice-Presidncia da Repblica. Constantino tenta h meses celebrar um acordo de colaborao premiada.

SEM RESPOSTA – O Globo perguntou assessoria de Temer por que o encontro citado por Henrique Constantino no consta de sua agenda oficial, mas ele no respondeu. Tambm no disse se, de fato, encontrou-se com o empresrio, como ele alega. Por meio de sua assessoria, Temer disse jamais saber que Eduardo Cunha tenha feito qualquer tipo de acordo com Henrique Constantino.

Os R$ 10 milhes referidos na delao teriam sido pagos depois do encontro, como contrapartida a uma srie de solicitaes do Grupo Comporte que pertence famlia Constantino no governo federal e do Distrito Federal, que poca tinha como vice-governador Tadeu Filippelli (PMDB), tambm beneficiado pelos pagamentos, segundo o empresrio.

DESONERAES – No pacote estariam a incluso de empresas do setor de transportes na poltica de desonerao de folha de pagamento de funcionrios implantada a partir de 2011 e objeto de leis relacionadas a ela nos meses seguintes , e tambm a desonerao do ICMS do querosene de avio no Distrito Federal, aprovada em abril de 2013.

O pacote considerava, ainda, pagamentos destinados campanha de Gabriel Chalita prefeitura de So Paulo em 2012, conforme publicado pela Folha de S.Paulo, e facilitao no acesso a dinheiro do Fundo de Investimentos do FGTS (FI-FGTS), controlado por diretorias da Caixa Econmica e sob a tutela do PMDB. Temer era o principal cabo eleitoral de Chalita, mas nega ter pedido apoio financeiro campanha.

Segundo Constantino, o pagamento de propina ocorreu por meio de contas e empresas indicadas por Eduardo Cunha, Henrique Alves, o operador Lcio Funaro e Filippelli. Outros polticos do PMDB tambm foram citados pelo empresrio. Pelo menos R$ 1 milho destinados a Filippelli teriam sido pagos ao escritrio Alcoforado Advogados Associados, de Braslia.

DELAO PREMIADA – A negociao da colaborao premiada de Henrique Constantino comeou no fim do ano passado com os procuradores da Lava-Jato em Curitiba, onde ele era investigado por pagamentos de suas empresas a Cunha. Depois de citar pessoas com foro privilegiado nas negociaes, o caso subiu para a Procuradoria-Geral da Repblica (PGR).

O ex-vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa, Fbio Cleto, assumiu em acordo de colaborao ter recebido propina para liberar um aporte de R$ 300 milhes do FI-FGTS para a Via Rondon, uma das empresas da famlia Constantino.

Em dezembro do ano passado, a Gol Linhas Areas assinou um acordo de lenincia com o Ministrio Pblico Federal (MPF) no valor de R$ 12 milhes e assumiu crimes praticados pela empresa. Agora, o empresrio busca se livrar de novas investigaes na condio de pessoa fsica. Um dos pontos de entrave na negociao a definio da multa a ser paga por ele como forma de compensao pelos crimes.

PERGUNTAS DE CUNHA – No incio deste ms, Eduardo Cunha protocolou na 10 Vara Federal de Braslia novas perguntas endereadas a Temer, no mbito do processo em que investigado por corrupo no FI-FGTS. Entre elas, esto questes citando o relacionamento do presidente com Constantino, recebimentos de vantagens por empresas do grupo liderado pelo empresrio e supostos pagamentos a campanhas do PMDB.

Vossa Excelncia conhece Henrique Constantino? Esteve alguma vez com ele? Qual foi o tema? Tinha a ver com algum assunto ligado ao financiamento do FI-FGTS?, pergunta Cunha a Temer.

O ex-deputado questiona se o presidente tinha conhecimento sobre doaes das empresas do fundador da Gol a campanhas do PMDB. Alguma delas fez doao para a campanha de Gabriel Chalita em 2012?, perguntou. Se positiva a resposta, houve a sua participao? Estava vinculada liberao desses recursos da Caixa no FI-FGTS?, completou.

SEM COMENTRIOS – Os advogados de Eduardo Cunha, Henrique Eduardo Alves e Lcio Funaro no quiseram comentar as acusaes. O escritrio Alcoforado Advogados Associados informou no haver registro de pagamentos de empresas ligadas a Constantino.

Gabriel Chalita confirmou que recursos da eleio municipal de So Paulo vieram do PMDB nacional, que se responsabilizou pela arrecadao.

E a assessoria de Henrique Constantino informou que ele est disposio das autoridades para o total esclarecimento dos fatos.

###
NOTA DA REDAO DO BLOG
As provas vo se amontoando e desta vez no sero analisadas pelo TSE do ministro Gilmar Pilatos Mendes . Estaro nas mos de ministro Edson Fachin, cuja credibilidade o Planalto tenta destruir com todo empenho. A delao do herdeiro do grupo Gol est prestes a decolar, digamos assim. (C.N.)

5 thoughts on “Delao de Constantino, scio da Gol, mais uma ameaa a Temer e ao PMDB

  1. Jeferson Miola
    Integrante do Instituto de Debates, Estudos e Alternativas de Porto Alegre (Idea), foi coordenador-executivo do 5 Frum Social Mundial

    Todo poder Assemblia de Bandidos

    Com a deciso favorvel do TSE, Michel Temer eliminou a nica via para seu afastamento, alm da prpria renncia, que no dependia da intervenincia do Congresso.

    A partir de agora, e caso Temer relute em renunciar, a despeito da avalanche de denncias de crimes cometidos por ele e sua turba, as duas possibilidades remanescentes para afast-lo do cargo seriam ou [1] atravs de processo de impeachment no Congresso pelos crimes de responsabilidade, ou [2] em julgamento no STF pelos crimes de [a] corrupo, [b] obstruo de justia, [c] organizao criminosa, [d] prevaricao e [e] outros, que ainda devero ser revelados.

    No caso do impeachment, Rodrigo Maia, o presidente da Cmara dos Deputados acusado de corrupo e lavagem de dinheiro, teria de admitir para tramitao um dos 14 pedidos de impeachment protocolados e que ele engavetou. Rodrigo Maia, porm, como operador da tropa de choque da base parlamentar do governo de ladres, dificilmente instalar o processo.

    http://www.brasil247.com/pt/colunistas/jefersonmiola/300586/Todo-poder-%C3%A0-Assembl%C3%A9ia-de-Bandidos.htm

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.