Delcídio festeja absolvição e diz que estuda voltar à política em outro partido

Resultado de imagem para delcidio

Delcídio é um réu confesso que acabou sendo absolvido

Deu na Folha

O ex-senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) comemorou sua absolvição pela Justiça Federal em Brasília e disse nesta sexta-feira (13) que agora terá outro desafio: reaver seus direitos políticos, cassados quando ele perdeu o mandato em maio de 2016, pois estuda voltar à política. Delcídio foi absolvido nesta quinta-feira (12) pela Justiça Federal em Brasília em uma ação penal em que era acusado de ter participado de um esquema para comprar o silêncio de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras que virou delator na Lava Jato.

O ex-presidente Lula e outros cinco réus também foram absolvidos no mesmo processo pelo juiz federal Ricardo Leite, que entendeu que não havia provas contra eles.

DELAÇÃO – A reportagem falou com o ex-senador nesta tarde, após ele participar de uma audiência para fiscalização do cumprimento das medidas acordadas com a Justiça no seu acordo de delação premiada.

A partir de agora, Delcídio não precisará mais se apresentar bimestralmente à Justiça em Brasília e deverá começar a prestar serviços comunitários em Campo Grande (MS), onde vive com a família. Em setembro, o ex-senador deverá pagar a segunda parcela anual da multa imposta em seu acordo de delação, que totaliza R$ 1,5 milhão.

Delcídio disse que soube da absolvição nesta quinta-feira, por telefone, enquanto estava na fazenda de gado nelore de propriedade de sua família na região de Corumbá (MS). Ao juiz Ricardo Leite ele contou que tem se dedicado à sua nova atividade de fazendeiro, e tem gostado da vida no campo.

‘BOI DE PIRANHA’ – O ex-senador, que era líder do governo Dilma Rousseff quando foi preso, em novembro de 2015, após ter sido gravado pelo filho de Cerveró, Bernardo Cerveró, disse que se o episódio fosse hoje, com os novos rumos dados à Lava Jato, não teria ido para a cadeia.

Para Delcídio, sua prisão ajudou a deflagrar a crise política que culminou no impeachment de Dilma, no ano seguinte. Ele comparou sua situação à do senador Aécio Neves (PSDB-MG), gravado por Joesley Batista, da JBS.

“Aquilo [sua prisão] foi o estopim, ali caiu o mundo. Ali, eles [investigadores] entraram no Congresso. No meu caso foi o seguinte: ‘Vai o Delcídio de boi de piranha para salvar todo mundo’. Quando veio o Aécio foi: ‘Segura o Aécio senão vamos nós'”, disse.

CRÍTICAS – O ex-senador criticou o processo em que foi denunciado. “Você fala em obstrução de Justiça. Aí você pega o depoimento do Nestor [Cerveró] e ele fala que a delação dele não alterou em nada. Então, era a tese do crime impossível”, afirmou.

Delcídio ainda é réu em outra ação em penal, sob responsabilidade do juiz Sergio Moro, sob acusação de corrupção e lavagem de dinheiro na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, pela Petrobras. “Ali foi caixa dois”, disse ele.

Questionado sobre voltar à política, Delcídio fez um paralelo entre seu caso e o do ex-senador Demóstenes Torres (PTB-GO).

Demóstenes também foi cassado por seus pares, na esteira de um escândalo envolvendo ligações com o empresário Carlos Cachoeira, e conseguiu no STF (Supremo Tribunal Federal), em abril deste ano, o direito de se candidatar. Delcídio disse que a investigação sobre Demóstenes foi arquivada. “Eu fui absolvido. É muito mais forte”, afirmou.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A bagunça aumenta cada vez mais. O processo de Demóstenes foi arquivado. Havia provas abundantes, mas foram consideradas ilegais, embora tenham sido conseguidas de boa fé, circunstância que nos Estados Unidos mantém a validade das provas. Delcídio foi ainda pior, porque era réu confesso. E, se foi absolvido, por que terá de cumprir serviços comunitários. É um quadro muito confuso, tipo Brasil. (C.N.)

10 thoughts on “Delcídio festeja absolvição e diz que estuda voltar à política em outro partido

  1. “Nossas instituições estão funcionando perfeitamente bem” (Gen. Villas Boas)

    E tem trouxa que acredita……

    kkkkkkkkkkk xD

  2. Em muitas cidades pequenas e de porte médio, ainda é assim: para eleger um candidato X, basta o “voto” do juiz eleitoral da comarca local, ou daquela à qual a cidade está jurisdicionada.
    Um vício recorrente sob influência dos magistrados é o Nepotismo Cruzado, no âmbito das administrações executiva e legislativa. Neste caso, não há vice-versa em forma de empreguismo também no Judiciário, porque a contrapartida se faz pela cobertura jurídica aos chefes dos poderes concedentes. Tenho um colega de infância, prefeito de um município com cerca 83.000 habitantes, ele inseriu 17 advogados na folha de pagamento (laranjas), dessa malta de sinecuras, 11 são filhos de juízes e desembargadores (ativos e inativos).
    Aqui, alguns colegas fazem críticas veementes ao Quinto Constitucional, não lembram eles que a maioria dos “aprovados”, nos concursos são via lambanças. Basta verificar a tendência eletiva de filhos, netos e sobrinhos de famílias, cujos membros têm presenças marcantes na Justiça, a nascerem já “togados”. Aliás, nas corporações fechadas e corporativistas, concurso público, quase sempre, representa apenas uma fórmula inteligente de legitimar e consolidar o ingresso dalguém que poderia ser por fraude escancarada mesmo! Depois da publicidade, no diário oficial, cumprido o estágio probatório; tchau, bacalhau, o cara vira um bloco monolítico com estabilidade, proteção do espírito corpóreo, vitaliciedade (no caso da magistratura). Nas instituições policiais e/ou fardadas são regidas pelas mesmas safadezas.
    Vamos-nos reportar a Brasília, ano 2006, o servidor do TJDFT, Hélio Garcia Ortiz, denunciado pela sua amante, depois de muitos anos como comparsa dele, na venda de provas a quem fosse prestar concursos para órgãos federais. Que fim deu esse senhor? À época, essa notícia ocupou a mídia nacional por mais de duas semanas. As pessoas que acompanharam a bronca manifestavam preocupação com a integridade vital do Hélio Ortiz, principalmente, após ele fazer ameaças: “Se me prenderem, vou tirar os empregos de delegados, juízes, promotores, procuradores; federais e estaduais”. Todos seriam clientes das provas fraudulentas. Depois dessas, se Helio, sobreviveu, por onde ele anda, alguém sabe?

    https://www.google.com/amp/s/www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2017/08/22/interna_cidadesdf,619595/amp.html

    • ora, ora,
      esse tal de ”’quinto constitucional”’ É uma deslavada safadeza da safadíssima
      constituição(sic)-88,
      esta, elaborada por sabida MAIORIA safada, de meliantes; não duvidem !
      .
      … “Se me prenderem, vou tirar os empregos de delegados, juízes, promotores, procuradores; federais e estaduais”. …
      puricíssima verdade !!! é mole ?

  3. e eu MORRO DE MEDO
    da justilssa tupiniquim.
    eu MI-SI-URINO
    e SI-MI-OBRO todim !
    .
    ainda mais, agora, que está quase totalmente
    A V A C A L H A D A !!!

  4. Se estivéssemos em um país que a imprensa possuísse liberdade.
    Gostaria de observar uma entrevista do titular do blogue com o Lula.
    Por certo ganharíamos muito, independente do posicionamento ideológico. No meu entendimento, é assim que brincamos de política.
    Por certo, a Jararaca não negaria o encontro.
    Ela é abusada, inteligente e sedutora..
    A democracia agradeceria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *