Delegado Claudio Guerra está delirando em suas recordações

Antonio Santos Aquino

O tal delegado Claudio Guerra, baseado no que aparece sobre o que foi dito em seu livro, está misturando muita coisa. Só para lembrar: ele fala em um delegado ex componente da Scuderie Le Coc, que teria sido assassinado com uma metralhadora especial mandada pelos americanos. Seria uma queima de arquivo.

O tal delegado não era delegado, era um policial. A metralhadora era própria para assassinatos e descartável. Queima de arquivo não bate. Na verdade o crime foi um acerto de contas da máfia do jogo dos bichos. A vítima foi Mariel Mariscot.

Claudio Guerra tinha ligações com o tristemente famoso “capítão Guimarães”. Esteve envolvido em inúmeros assassinatos de bicheiros em Vitória do Espírito Santo. Depois da limpeza Guimarães entrou como banqueiro e ele tornou-se dono de pontos. Aqui no Rio este bandido andava nos clubes extorquindo.

Estou dizendo, quem quiser que acredite.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *