Delegado que fez buscas de drogas na casa de um filho de Lula já foi afastado

Resultado de imagem para delegado Rodrigo Galazzo

Galazzo, o delegado trapalhão, fez uma lambança

Deu no Estadão

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo determinou nesta quarta-feira, dia 11, o afastamento do delegado Rodrigo Galazzo, da Polícia Civil, que fez buscas na residência do filho adotivo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Marcos Cláudio, para verificar denúncias de suposto uso de drogas no local. Por ordem do secretário Mágino Alves Barbosa, foi aberto procedimento administrativo “para apurar em que condições ocorreu a diligência de buscas”.

Segundo o comando da Polícia, “para preservação das investigações” o delegado Rodrigo Galazzo, responsável pela operação, vai ficar fora das funções até conclusão da apuração.

MANDADO JUDICIAL – As buscas foram realizadas na terça-feira, 10, com autorização judicial – em cumprimento ao mandado expedido pela juíza Marta Brandão Pistelli. A polícia alegou ter recebido denúncias de suposto uso de drogas na casa. Os agentes não encontraram entorpecente no local, mas apreenderam computador e mídias na residência de Marcos Cláudio. Uma juíza de Paulínia mandou devolver o material.

Marcos Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente, foi diretor do Departamento de Turismo e Eventos da prefeitura de São Bernardo do Campo (SP), com salário de R$ 5,7 mil. Ele foi nomeado pelo ex-prefeito Luiz Marinho (PT).

Marcos já tentou se eleger vereador na cidade pelo PT, em 2008, mas teve a candidatura indeferida pelo Tribunal Superior Eleitoral. Ele é filho do primeiro casamento da primeira-dama Marisa Letícia, e depois foi adotado por Lula.

OUTRO LADO – Em nota, o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende a família Lula, afirmou: “A busca e apreensão, feita a partir de denúncia anônima e sem base, não encontrou no local o porte de qualquer bem ou substância ilícita, o que é suficiente para revelar o caráter abusivo da medida.”

Nota da polícia: “O secretário da Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, determinou instauração de procedimento administrativo para apurar em que condições ocorreu a diligência de busca e apreensão realizada ontem (10), em uma residência no município de Paulínia. Para preservação das investigações, o delegado responsável pela diligência também será afastado do caso.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O delegado Rodrigo Galazzo é uma besta quadrada, e a juíza Marta Brandão Pistelli é uma besta ao cubo. Juntando os dois, temos uma simbiose sesquipedal, que contribui expressivamente para a desmoralização do aparato policial e judicial. Os dois (delegado e juíza) deveriam estar à caça de criminosos de verdade, que abundam neste país, mas preferiram agir partidária ou ideologicamente (na cabeça deles), o que é algo inimaginável no exercício da autoridade policial e judicial. (C.N.)

4 thoughts on “Delegado que fez buscas de drogas na casa de um filho de Lula já foi afastado

  1. Esse tipo de serviçal vagabundo, no nordeste brasileiro, compõe o staff dos cabos eleitorais armados. Geralmente, um jagunço estatal, travestido de delegado, o qual se submete a um papel nojento assim, é porque ele está querendo arrancar alguma coisa do governador: o arquivamento de processos contra esse ” bandicial”, por exemplo. Mas, no fundo, esse pau mandado agiu a serviço de algum oponente que queria disparar o tiro de misericórdia contra o já moribundo Lula; uma troca de serviços sujos.
    Nas oligarquias reinantes na região nordestinas: usar a justiça para destruir opositores, mandar as polícias forjar criminalização ou até mesmo assassiná- los. Funcionários públicos das três esferas perseguidos, demitidos, transferidos (quando goza de estabilidade) para os confins isolados onde não possam estudar ou ascenderam funcionalmente. Tudo isso é senso comum, trivial, no feudo dos cabeças chatas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *