DEM já está abandonando Alckmin e a maioria deve dar apoio a Bolsonaro

Resultado de imagem para rodrigo maia

Maia previu a derrota e não queria apoiar Alckmin

Daniela Lima
Folha/Painel

Dirigentes do PSDB ainda mantêm um fiapo de esperança, mas admitem que uma recuperação do presidenciável Geraldo Alckmin, que está estagnado nas pesquisas, seria praticamente um milagre a essa altura. O candidato do PSDB esboçou reação na região Sul, onde passou de 5% para 9% no Datafolha em uma semana. Ainda assim, Alckmin está bem abaixo da média histórica do partido ali.

O DEM, integrante da coligação que dá sustentação a Alckmin, já faz contas. Um cacique estima que 90% de seus quadros apoiarão Jair Bolsonaro (PSL) contra o PT no segundo turno da eleição se Alckmin ficar pelo caminho. Os demais deverão optar pela neutralidade.

DESAFIO DO GOOGLE - A equipe responsável pela campanha digital de Bolsonaro preparou conteúdo para desgastar Fernando Haddad (PT) nos últimos dias antes da votação. A peça propõe aos internautas o que chama de “desafio do Google” e sugere que pesquisem a frase “o pior prefeito do Brasil” no site de buscas.

O primeiro resultado da busca leva a um texto sobre Haddad no site Folha Política —que não tem nenhuma vinculação com o Grupo Folha e é associado frequentemente a redes de disseminação de fake news.

Outro link sugerido com destaque pelo Google leva a um portal desconhecido que publicou na noite de sexta (28) a notícia sobre Haddad, que deixou a prefeitura em 2016.

VENTO SUDESTE -O PT planeja realizar o ato final da campanha de Haddad na periferia de São Paulo. Na sexta-feira (dia 5), antevéspera da eleição, há grandes atos programados em Minas Gerais e na capital paulista. Haddad investe assim na região em que registrou menor crescimento no Datafolha.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Geraldo Alckmin foi mais um equívoco do PSDB, um partido em franca decadência. Jamais teve chance na disputa. Rodrigo Maia jamais quis apoiar Alckmin, mas foi voto vencido no DEM. O resultado foi o fortalecimento da dupla Bolsonaro/Haddad, sem que houvesse uma terceira via. (C.N.)

7 thoughts on “DEM já está abandonando Alckmin e a maioria deve dar apoio a Bolsonaro

  1. DEMOCRACIA – um castelo de areia cuja Pedra Angular é a liberdade – tem o seu equilíbrio vertical garantido por Quintas-Colunas.
    De essência liberal, é o único regime que se apresenta com a fragilidade de uma árvore hospedeira: admite criar ervas parasitas, o que pode custar a sua própria destruição insidiosa.

  2. Essa de se houver segundo turno Bolsonaro perder para Hadad é mais uma fake da esquerdinha. Se houver o tal segundo turno, a tendência é a maioria do eleitorado apoiar Bolsonaro como mostra os dirigentes de partidos como o PFL e o MDB e outros.

  3. Essa sinalização de preferência antecipada do DEM – Delegacia Especial da Mulher, nada mais é do que um ensaio para arrancar o máximo de dinheiro e cargos do PT; se este se interessar por uma aliança.
    Nesta fase de afunilamento, a tendência é os partidos formarem coalizão com o lado que tiver maior vocação a tolerar safadezas. Desse modo, por ter um discurso”moralista”, averso ao toma lá dá cá, Bolsonaro acaba funcionando como um repelente dos pactos espúrios.

  4. Os meliantes se reagrupando para formar uma nova associação criminosa , com intuito perpetuar o assalto aos cofres públicos . E depois falam em renovação . Esta associação , não mudara em nada o resultado da eleição , só confirmara a derrota de Bolsonaro e de seus comparsas na urnas , aceitando ou não , as pesquisas provam isto .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *