Oposio vai pedir que Ministrio Pblico denuncie a explorao dos mdicos cubanos

Mrcio Falco
Estado

A liderana do DEM na Cmara anuncia que o partido vai fazer uma representao no Ministrio Pblico do Trabalho sugerindo uma ao coletiva contra o governo brasileiro para ressarcir todos os cubanos envolvidos no programa Mais Mdicos.

Ao todo, 7.400 cubanos foram selecionados e atuam no programa, que considerado a principal vitrine eleitoral da presidente Dilma Rousseff e tem como objetivo aumentar a presena desses profissionais no interior do pas, permitindo a atuao sem diploma revalidado no Brasil.

“A legislao brasileira estabelece que nenhum trabalhador pode ser tratado de forma desigual. Tem mdicos que so contratados por R$ 10 mil e os cubanos recebem R$ 900. Isso por si s j uma agresso”, disse o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO).

E a oposio reagiu s crticas de que a cubana teria pedido visto na Embaixada dos Estados Unidos porque tem um namorado em Miami. Desde 2006, os EUA oferecem um visto especfico para mdicos ofertado aos cubanos que estejam estudando ou trabalhando em misso num terceiro pas e que no tenham “quaisquer inelegibilidades” para a admisso. A embaixada pode levar at trs meses para dar uma resposta.

DEPORTAO

Caiado afirmou que essa insinuao deplorvel e que a mdica teme voltar a Cuba e por isso fez o que era possvel para evitar a deportao. O lder do DEM, Mendona Filho (PE), tambm reagiu. “Acho uma aberrao, uma agresso que fiquem explorando, mencionando o fato de um suposto namorado. O que estamos discutindo muito mais grave”.

A Folha mostrou hoje que a mdica cubana ficou na casa de Cristina Roberto, 59, dona de um buffet em Braslia, entre a noite de sbado e tera-feira, quando procurou o DEM.

Ramona teria pedido ento abrigo por um ms. A empresria recusou, e a cubana deixou a casa na tera. Segundo Cristina, ela diz ter um marido cubano em Miami e no querer voltar a Cuba.

A empresria, que apoia o Mais Mdicos, afirma se sentir “usada” e “indignada” com o fato de Ramona dizer que no sabia das condies do programa.

j o novo ministro da Sade, Arthur Chioro, fez um duro ataque oposio diante do pedido de refgio de uma mdica cubana inscrita no programa Mais mdicos. Para ele, a oposio est fazendo uma “explorao poltica” do episdio e tentou “boicotar o quanto pode” a realizao do programa.

11 thoughts on “Oposio vai pedir que Ministrio Pblico denuncie a explorao dos mdicos cubanos

  1. Como sempre, em vez de tentar rebater um fato com outro, os petistas usam a velha e boa tcnica, nazista, fascista e comunista para desqualificar as pessoas que contrariam seus projetos de poder absoluto.

  2. Para descontrair:
    O paciente est deitado na cama, em sua volta est o seu mdico,
    advogado, esposa e filhos.
    Todos eles esperam pelo ltimo suspiro, quando de repente, o paciente
    senta, olha em volta e diz:
    “Assassinos, ladres, ingratos, canalhas.
    Volta a deitar-se na cama e ento o mdico, confuso diz:
    Eu acho que ele est melhorando.
    – Por que voc diz isso doutor? Pergunta a esposa.
    “Porque ele nos reconheceu a todos

    ____________ _________ _________ _________ _________ _________ _________

    O mdico diz ao paciente de uma forma muito forte:
    – Nos prximos meses, no pode fumar, no pode beber, sem encontros com
    mulheres, nada de comer em restaurantes caros, e nada de viagens ou frias.
    – At que eu me recupere, doutor?
    – No. At pagar o que me deve!

    ____________ _________ _________ _________ _________ _________ _________

    Eles estavam operando um paciente. Quando de repente entra um mdico na
    sala de operao e grita:
    – Parem tudo! Parem o transplante. H uma rejeio!
    – Uma rejeio? Do rim doutor? pergunta um dos mdicos.
    NO! Do cheque! O cheque no tem fundos!

    ____________ _________ _________ _________ _________ _________ _________
    – Doutor, voc acha que, aps esta operao eu vou andar de novo?
    – Claro que sim … Porque voc vai ter que vender o carro para pagar a minha
    conta.

    Um homem espera o resultado da cirurgia de sua esposa.

    Depois de um tempo, o mdico saiu da sala de operao e disse que o caso
    era muito a srio..
    Disse que o homem ia ter que dar de comer a ela na boca porque ela no podia
    mover mais as mos, deveria levar ao banheiro, tinha que trocar de roupa, banh-la, etc
    porque ela no podia mais se mexer.
    O marido comeou a chorar e o mdico disse:
    – No chore. Eu tava de sacanagem homem! Ela j morreu!

    ____________ _________ _________ _________ _________ _________ _________

  3. E acham que iria procurar partido que apoia o governo. Com certeza ela seria degolada moralmente, por isso procurou o DEM (partido sem expresso). Imagine se ela procurasse o PSDB, coisa iria ferver no mundo politico e como comentou o Mauro Julio Vieira.

    • Alvim, o fato que a oposio agora deu-se conta do erro HISTRICO e estratgico que cometeu ao se opor ao programa MAIS MDICOS e tenta minimizar o estrago explorando este fato. Penso que no vai surtir o efeito desejado. Agora tarde, a populao j sabe quem verdadeiramente sinalizou com ao concreta com vistas a minorar o dficit de mdicos nas regies mais carentes destes profissionais.

  4. no temos nada haver com a poltica de cuba,eles que se entendam se no aceitam o regime imposto l peam asilo poltico ou ento aguente e essa oposio s tem mesmo que ficar chorando pois parece que vai d pt por mais quatro anos.

    • DEUSDEDITH, voc sintetizou o que tambm penso em torno deste episdio. Na verdade a oposio est cada dia mais desesperada pois no tm projeto alternativo melhor para a imensa maioria dos brasileiros. Agora chega ao ridculo de dizer “defender” os mdicos cubanos, quando sabemos que desde o incio foram contra MAIS MDICOS a disposio da Populao.

  5. Aproveitando o ensejo do comentrio do Sr Darcy, as charges do Henfil continuam to atuais…Li muito as tirinhas com o Zeferino a Grana e o Bode Orelana na minha infncia, publicadas em O Globo
    Crtica inteligente e mordaz, sem cair na vulgaridade dos dias de hoje…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.