Demissão de Segovia foi mais um golpe de mestre da campanha de Temer

Resultado de imagem para demissao de segovia charges

Charge do Kacio (kacio.art.br)

Carlos Newton

Vivemos novos tempos na política, em que quase tudo é virtual e as aparências são realmente feitas para enganar. A substituição de Fernando Segovia na direção-geral da Polícia Federal é mais um desses roteiros pré-fabricados, que mostram o profissionalismo com que está sendo conduzida a campanha do presidente Michel Temer à reeleição. Quando se pensava que Segovia fosse mais “imexível” do que o ex-ministro Rogério Magri, ele foi defenestrado com a maior tranquilidade, num sensacional golpe de marketing político-eleitoral que nesta terça-feira ofuscou até a entrevista coletiva do general Braga Netto, interventor federal no Rio de Janeiro.  

É importante notar a forma como a notícia apareceu. Não houve comunicação oficial. A informação foi “vazada” pelos assessores do Planalto a vários jornalistas, simultaneamente, de uma forma seca, sem maiores detalhes, apenas anunciando que o neoministro Raul Jungmann demitira Segovia e o substituíra por Rogério Galloro. Nem perceberam que isto não poderia ter acontecido, porque Raul Jungmann não está, nunca esteve e jamais estará com esta bola toda, como se diz hoje em dia. O cargo de diretor-geral da PF é tão importante que seu ocupante é escolhido e nomeado pelo presidente da República, conforme aconteceu com Segovia.

NINGUÉM NOTOU – Os jornalistas não perceberam este detalhe e saíram anunciando entusiasticamente o troca-troca na PF, sem maliciar o objetivo do marketing do Planalto. Quem demitiu Segovia não foi Jungmann, seria a Piada do Ano. A decisão foi tomada pelo chamado o núcleo duro do Planalto, que decidiu substituir Segovia com os seguintes propósitos (não necessariamente nesta ordem):

1) Mostrar que Temer não é um político corrupto, está disposto a ser investigado e não tenta se blindar na PF, no Supremo e no foro privilegiado;

2) Simular que Jungmann opera com carta-branca e plenos poderes, um absurdo tão flagrante que o padre Óscar Quevedo logo diria que “non ecziste”;

3) Reforçar a imagem de governo independente e pró-ativo, que se antecipa aos fatos em defesa dos interesses nacionais;

4) Melhorar a popularidade de Temer e elevar o índice de aprovação de sua gestão, para que o presidente se veja “forçado” a aceitar a candidatura à reeleição, por falta de outros candidatos no MDB.

SEIS POR MEIA DÚZIA – Ao substituir Segovia por Galloro, o núcleo duro do Planalto na verdade está trocando seis por meia dúzia. E vai sair levando vantagem, porque o novo (futuro) diretor-geral da PF vai prestar os mesmos serviços de Segovia, com a diferença de ser mais discreto e competente.

A mídia está repleta de matérias elogiando a independência de Galloro, mas é tudo conversa fiada. Há três meses, ele era o nome preferido pelo ministro Torquato Jardim, da Justiça, para substituir Leandro Daiello e colocar um freio na Lava Jato.

Temer desautorizou Jardim e preferiu Segovia, que se mostrou disposto a se arriscar nesta tenebrosa missão de blindar corruptos. Mas deu tudo errado. Segovia é um trapalhão, cujas asneiras inflamaram a PF contra Temer, e agora Galloro vai tentar apagar o incêndio.

###
P.S.
A jogada de marketing político-eleitoral foi magnífica, realmente um golpe espetacular. Mas acontece que o neodiretor Galloro está diante de uma missão impossível. Na PF, o dossiê sobre Temer é cada vez mais substancial e será divulgado em capítulos, nos próximos meses, para destruir seu sonho de permanecer no poder “per saecula saeculorum”, como se dizia antigamente. (C.N.)

11 thoughts on “Demissão de Segovia foi mais um golpe de mestre da campanha de Temer

  1. Perguntinha simples para ser respondida sem muitos meandros

    O segovia será realocado aonde e com que cargo?

    Ele mostrou fidelidade apesar da burrice e ainda deve ser útil aos planos de blindagem de temer e quadrilha…

    sanconiaton

    • Raquel Dodge está prevaricando e essa atuação da PGR de Temer é inaceitável !

      Raquel Dodge é a Prevaricadora Geral da República !!!

      Já era pra PGR ter feito a 3ª denúncia contra Temer no caso da MP do porto de Santos faz meses !!!

      Mas Raquel Dodge, a Prevaricadora Geral da República, foi escolhida por Temer justamente pra isso: continuar engavetando essa denúncia !

  2. Engraçado. Quando se toma decisões acertadas, é jogada de marketing. Quando não se toma decisões, é incompetência. Esses esquerdopatas estão cada vez mais se superando.

    • Gedeão Barros

      É o nome do primeiro meandro…

      Quando se toma decisões, APARENTEMENTE, acertadas, é jogada de marketing. Quando não se toma decisões, é incompetência PROPOSITAL.

    • Guilherme, eu vivo dizendo isso aqui.
      Quando se trata de canalhas como os políticos brasileiros, a “loucura” (ou “bipolaridade” como se queira chamar) de algumas figuras é feita com muito método. É preciso ser muito ingênuo demais para acreditar que alguma coisa acontece por acaso ou por instabilidade de humor. Essa corja imunda não joga pra perder.

  3. Eu era Bolsonaro, mas agora diante das ações do governo, mudei meu voto para temer. Assinado: Ninguém.

    Só a fake news pode acreditar que as pessoas vão mudar seu voto para temer, apenas porque ele esta adotando o discurso de Bolsonaro; falta um pequeno detalhe: o “me chama de corrupto, p*&*a!!

  4. Caro CN,
    Deodoro traz a República … O Marechal de Ferro a consolida.
    Vargas I provisório … Vargas II Novo.
    1964 … 1968.

    Há um só é único Exército … Tem começado seguido Deodoro, como nos mostrou o Dr. Alverga … Porém, as dificuldades aparecem … E aparece o Floriano KKK

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *