Democracia é respeito ao voto sem veto, para enfim buscar o desenvolvimento

Resultado de imagem para democracia charges

Charge do Laerte ( laerte.com)

Sebastião Nery

No jogo democrático ganha a eleição quem faz mais votos. Na democracia, a manifestação popular deve ser respeitada e acatada mesmo pelos que não gostem do resultado. Nas sociedades civilizadas os descontentes têm a responsabilidade de aguardar as próximas eleições. Os brasileiros se manifestaram contra a corrupção e pela renovação política. Muitos detentores de mandatos no executivo e no legislativo achavam-se ungidos e herdeiros hereditários. Muitos foram aposentados compulsoriamente pelas urnas. Outros, em menor número, sobreviveram nas províncias menos desenvolvidas.

O clima de crispação, azedando as relações sociais, em muitos casos, teve no discurso do ódio e da intolerância seu núcleo alimentador. É dever do presidente eleito reconhecer que o Estado Democrático de Direito é o principal balizador no impedimento de aventuras autoritárias.

TODOS IGUAIS – Na democracia todos são iguais e têm o mesmo direito de manifestação nos limites que impõe o Estado de Direito. Na ordem democrática a divergência não pode e não deve ser catalogada como ação de adversários da ordem estabelecida. É necessário ter a consciência de que um Presidente da República pode fazer muita coisa, mas não pode tudo. A harmonia dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário é fundamental na garantia do Estado de Direito.

O resultado eleitoral de 28 de outubro traduziu em números essa realidade. O candidato Jair Bolsonaro teve 57,5% milhões de voto. O opositor Fernando Haddad obteve 46,5 milhões de votos. Destacadamente a soma das abstenções, mais votos brancos e nulos, atingiu 42,4 milhões.

O vitorioso Bolsonaro teve 39,2 da totalidade dos eleitores registrados no Tribunal Superior Eleitoral. Numa clara demonstração de vontade da sociedade de ver o clima beligerante e ódio irracional banida do cotidiano dos brasileiros. O mandato conferido ao novo presidente, pelo voto, não admite contestação, reconhecido pelo próprio candidato opositor.

OS DESAFIOS – Infelizmente os grandes problemas econômicos e sociais que atingem diretamente a vida de milhões de brasileiros estiveram ausentea na disputa eleitoral. O grande desafio agora é enxergar um Brasil que precisa retomar a razão e implantar o caminho do reencontro consigo mesmo, buscando o desenvolvimento, após viver a maior recessão econômica da sua história.

Fruto de governos irresponsáveis e incompetentes que dividiram a nação entre “nós” e “eles”. Nesses governos a corrupção se implantou como política de Estado e alargou-se em todas as áreas da administração pública. Nas unidades federativas, o exemplo do governador Sergio Cabral não é fato isolado. A corrupção sistêmica e organizada marcou um tempo que precisa ser sepultado.

O novo governo da República, ao assumir em 1º de janeiro de 2019, encontrará um Brasil que superou, graças a uma equipe econômica competente, a brutal recessão que determinou uma década perdida no desenvolvimento nacional.

AGENDA POSITIVA – A realidade que o espera permitirá que amplie uma agenda positiva. E prestigie nomes como de Ilan Goldfajn, no Banco Central e economistas competentes como Mansueto Almeida, Ana Paula Vescovi, Marcelo Caetano, Jorge Rachid e outros notáveis administradores da máquina pública comprometidos unicamente a servir ao Estado brasileiro.

O futuro governo dará um tiro de largada muito bem servido na estrutura pública. Enxergando o futuro e propondo soluções para a crise estrutural da economia brasileira deve ser o caminho adotado. Enfrentando a corrupção, a violência nos centros urbanos, a falência da saúde pública, a deplorável qualidade da educação e o corporativismo nos três poderes da República.

Uma agenda reformista, confrontando o rombo das contas públicas, privatização de empresas ineficientes, reforma da previdência, são medidas iniciais impopulares, mas fundamentais para recolocar o Brasil na rota segura do desenvolvimento.

5 thoughts on “Democracia é respeito ao voto sem veto, para enfim buscar o desenvolvimento

  1. ” Democracia é respeito ao voto..” Bonito isso, né ? Que tal então os golpistas devolverem o mandato outorgado a Dilma por 54 milhões de eleitores, cassados pela quadrilha do Cunha, com o aval de Bolsonaro e cia, que não fez outra coisa nos últimos 20 anos senão jogar merda no ventilador dos petistas, principalmente no congresso e nas redes sociais ?

    • -Ué?
      -Quem deu o golpe foi o vice do próprio PT!
      -O Bolsonaro até hoje ainda é oposição, meu caro!
      -Na época do golpe ele não tinha apoio nem do partido dele. Aliás, ele não tinha nem partido, tanto é que teve que fazer mendicância partidária para conseguir se candidatar a presidente.

      Abraços.

  2. Sr. Nery
    Apraz-me ler o que produz.
    Sempre exato em suas considerações, equilibrado, apesar das posições esquerdistas.
    “A corrupção sistêmica e organizada marcou um tempo que precisa ser sepultado”.
    Oxalá consigamos pelo menos iniciar o processo.
    A população não elegeu a pessoa Bolsonaro, simplesmente projetou sua revolta, sua impotência e seus anseios em sair do atoleiro. Pergunto-me o que um deputado do dito “baixo clero”, inexpressivo, tonitruante apenas para conseguir ser ouvido, poderia representar de perigo, a ponto de ser esfaqueado brutalmente num comício banal? E este inexplicável crime é tão misterioso que precisará do Mossad para ser esclarecido…
    As respostas estão vindo . A caixa de Pandora abrir-se-á espontaneamente, sem esforço.
    Vejamos se os céus nos ajudarão nesta guinada de rumo que deixou a tantos perplexos.
    Sou muito burra pois o tal do conservadorismo não me parece uma hidra que nos devore assim celeremente.
    Afinal, foram 14 anos de “progresso” que nos lançaram onde estamos.
    Os doutos no poder esqueceram de escutar a população horrorizada com o que a mídia comprada propagava a torto e direito. Valores arraigados em nossa cultura judaico cristã estavam espezinhados, assim, de repente, sem explicação plausível. A Vênus platinada está perdendo audiência, como se noticia, “celebridades” mais baratas estão sendo produzidas a toque de caixa etc.
    Eu cancelei assinaturas de veículos que antes noticiavam e educavam. Depois de velha emburrecer? Jamais. Prefiro pão com leite moça a caviar estragado.
    A pesquisa avança no mundo desenvolvido, é preciso aprimorar mentes jovens com o estudo, para o que se avizinha, e nós aqui a discutir firulas inúteis e atacar valores estabelecidos.
    Recordo-me de um filme do mestre Kurosawa onde a devastação após uma guerra nuclear deixara apenas cinzas no solo crestado, imprestável, nada ali brotaria jamais. O verde fora banido da terra. A esperança se esvaíra.
    E é isto que agora vai brotando timidamente nos corações e mentes dos” atrasados” que elegeram o senhor Bolsonaro.
    E se ele não corresponder, pela democracia, o tiraremos do poder. E um dia acertaremos.
    Brasil sempre e acima de tudo, com sua riquezas abundantes e cobiçadas e com seu povinho mestiço e liiiiindo.
    Saudações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *