Democracia não é só ter eleição a cada quatro anos, democracia é viver sem medo

Imagem relacionada

Em muitas ocasiões. era preciso enfrentar o medo

Sebastião Nery

Velho, muito velho, terno sempre azul e cabeça toda branca, seu Manuel era uma figura querida e conhecida sobretudo em Teresópolis mas também em Petrópolis: revendedor há muitos anos da Loteria Federal. A sorte só chegava a Teresópolis e às vezes a Petrópolis pelas mãos já mirradas do seu Manuel.

Depois que o presidente Geisel deixou o governo, seu Manuel arranjou mais um freguês permanente para seus bilhetes: Geisel. Toda extração, ele levava um bilhete inteiro para o sítio dos Cinamomos, do ex-presidente. Era venda segura e a comissão certa.

GEISEL – De repente, Geisel passou a receber no Rio, toda semana, diretamente da Loteria, cinco bilhetes inteiros. Como essa era a cota mínima de um revendedor, o ex- presidente ganhava o desconto de revendedor e seu Manuel perdia sua comissão. Mas não se queixava:

– Quem pode, pode. E ele tem sorte. Uma vez ganhou.

Um cliente de Petrópolis lhe perguntou:

– Seu Manuel, por que o senhor não se queixa lá na Caixa?

– Porque tenho medo.

– Mas o homem já não é mais presidente.

– Eu sei. Ele saiu do governo, mas meu medo do governo ficou.

PAULO ANTONIO – Na saudosa e histórica “Adega dos Frades”, um grupo de políticos, jornalistas, empresários, relembrava os tempos de medo da ditadura. Paulo Antonio Carneiro, diretor do “Diário de Petrópolis”, então jovem dirigente do MDB municipal, revendo seus papeis, encontrou umas laudas escritas à mão.

Candidato em 1974 a deputado federal pelo MDB do antigo Estado do Rio, em dobradinha com o vereador Carlos Portella, candidato a estadual, os dois então bem jovens, com menos de 30 anos, Paulo Antonio pediu sugestões para sua primeira aparição no horário do TRE na TV.

O SNI fazia uma pressão brutal, no Tribunal Regional Eleitoral, contra os candidatos do MDB, censurando-lhes os pronunciamentos, sobretudo dos mais jovens e aguerridos. Era preciso ser rápido no gatilho e aproveitar bem aqueles rápidos instantes, com declarações curtas e fortes.

ILHA DO MEDO – Paulo Antonio foi para a TV com uma pequena lista delas no bolso. Na sua vez de falar, reviu,memorizou e começou exatamente pela primeira:

– “Democracia não é só ter eleição de quatro em quatro anos. Democracia é viver sem medo”.

Na mesma hora, saíram os três do ar: o programa, Paulo Antonio e a frase. Dias depois, também eram vetadas e saíram da lista eleitoral do MDB fluminense as candidaturas dele e de seu fiel companheiro Portella.

22 thoughts on “Democracia não é só ter eleição a cada quatro anos, democracia é viver sem medo

  1. Vai dizer isso para aqueles condenados por crimes que não praticaram. e estão em porões de delegacias sendo torturados mesmo numa democracia.

    Não existe viver sem medo neste planeta, em qualquer situação.

  2. Lamentável o foco de tentar desconstruir um período que chamam de ditadura, mas que o país era mais democrático do que hoje quando vivemos uma ditadura na mão de bandidos. Realmente, o comunismo dá muito certo, os exemplos de democracia do comunismo são inúmeros. Tem que rir.

  3. Quero ver daqui a alguns anos os jornalistas dizendo da ditadura civil canhota, onde raríssimos jornalistas tinha peito de dizer a verdade pois os outros já estavam no bolso da redação e se calavam com bolso cheio, e posso citar aqui alguns exemplos vivos, RA,AN,bateram de frente com os governos canhotos e foram perseguidos e pior pelos próprios colegas e seus representantes de classe o sindicato.
    Seria interessante um jornalista contar essas historias, tais como em minas que corre a boca pequena os desmandos na mídia na época do aecio, e que nenhum jornalista fala, e a ditadura militar é que ainda está na moda, fala serio, falaram tanto da ditadura militar que não viram a dura canhota entrando e ainda tão enxugando gelo até hoje, sejam menos estupido, a tal ditadura o golpe foi mesmo a farsa canhota mais bem construída, foi mesmo o gov civil que não deu conta das merdas que fez e empurrou para os militares a obrigação de consertar a merda e nos dias de hoje estão tentando fazer de novo só que não, os militares não querem pegar a merda, os civilecos mesmos é que vão ter de consertar, ao invés de ficar com saudosismo de memorias chulas de vendedor de loteria ( não ia ao rio de janeiro entregar o bilhete por que deveria receber pelo que não fez), conte o medo dos jornalistas de fazerem reportagens serias a respeito de politicas desastrosas, sejam honestos e digam a verdade das ditaduras o post é fraco conta um ladinho da historia que pode sim ser verdadeiro, mas foi a muito o que nos interessa é o que ocorre agora, tipo os cursos dos professores canhotos sobre o golpe na anta, um exemplo micho. comentem isso, façam uma matéria sobre esse assunto, quem ganha com esses cursos quem paga façam jornalismo serio.
    Realmente o JMB vai ser uma merda para mídia, já avisou que não vai ter verba pra propaganda, vai desvia-la para saudê e educação.
    E é verdade que quando o governo militar entrou em vigor os militares fizeram leis tirando as mordomias dos jornalistas, que tinham inúmeros benefícios as custas do povo. é vero?

  4. Pegando carona nesta frase, “Democracia é viver sem medo”, então vivemos atualmente uma das mais pavorosas ditaduras da história!

    Medo da violência, da falta de saúde pública, de futuro para o Brasil, dos preços elevados, dos salários baixos, dos roubos que praticam, da impunidade para os ladrões do erário, de um STF que liberta criminosos, dos juros extorsivos, do desemprego, da inadimplência … vivemos com medo!

    E, o pior deles:
    Quem será o presidente do Brasil ano que vem?
    Continuará esta crise ou ela se agravará?

    Tá feia, a coisa!

    • Assino em baixo. Não precisa nem muitas pesquisas para saber que hoje o medo é maior que no período militar, basta olhar as grades nas casas.

  5. Grite bem alto, Mr Cariocagema, mas não se convença de que a altura do seu grito lhe dê credibilidade. A realidade é outra.
    Meu pai vivia no Rio antes na época da ditadura e sempre me falava da bagunça generalizada que havia no país por causa dos comunistinhas de merda como o Dirceu, Lamarca, etc. Veja esse lado da moeda, meu caro. Hoje, como naquela época, temos corrupção desenfreada, juizes sem vergonha que soltam bandidos e se lixam para os interesses do país. Lula teve seus assessores de volta por causa de um desembargador irresponsável e Dilma bundeja pela aí com chauffeur e assessores pagos por nós. Temos que acabar com essa sem vergonhice e não será com o voto em canalhas que se revezam no poder.
    Só uma intervenção breve e efetiva pode desratizar o país.
    Tenha um bom dia!

  6. Só para lembrar o tal MDB é o mesmo PMDB de hoje e que tá mudando de nome pra ver se decola do carma, e vai passar a chamar MDB.
    Que tal uma matéria sobre esse assombroso partido que tem tentáculos enraizados por todo o pais, como um câncer, os seguidores da anta falam que o temer não tem nada a ver com a anta mas o que garantiu a vitoria da anta foi o PMDB com sua capilaridade, maior que todos os partidos juntos.

  7. A turma que pede a volta dos militares alem de sem noção são um numero muito pequeno sem força , desarticulado e dispersados em vários grupos.
    Ao contrario dos canhotos que tem noção do que querem como querem e quando querem são fortes internacionais muitos barulhentos, truculentos, articulados apesar dos vários grupos e são mais destrutivos.
    Não quero nem uma nem outra opção, os dois são ruins.
    os que ficam propagandeando as atrocidades da ditadura militar pra ganhar a simpatia, plantam dificuldade para colher facilidades, são mais podres que os outros não contam as próprias barbaridades.

    • Ele tá certo: preço é preço. Errado é o estado brasileiro que por ser socialista cobra impostos absurdos para a manter a farra de seus ocupantes e não faz como nos países capitalistas que dão liberdade para instalação de empresas que podem concorrer com as estatais, se é que as têm.

  8. O Brasil já chegou numa fase crítica e que parece irreversível em que vivemos sob uma ditadura de um estado criminoso por excelência (socialista) e que até nos tirou o direito de defender a própria vida e sob uma ditadura dos criminosos comuns, que matam 60 mil por ano.

    É mole?

  9. Ditadura nenhuma – de esquerda, de direito ou militar – é bom negócio!

    Esse fenômeno “pró-militares” tem explicação. Vendo o caos, que vários anos de desgoverno nos fizeram mergulhar, além da crise moral na política, é até compreensível o crescente número de pessoas que anseiam por um governo militar, já que estes nos remetem à ideia de ordem, disciplina e eficiência.

    Ressalte-se que ninguém pode negar as graves violações aos direitos humanos ocorridas na ditadura militar, especialmente em 1968.

    No entanto, é impossível precisar como se comportaria a cúpula atual das nossas Forças Armadas, se assumisse o poder. É fato que militares não são treinados para a vida política. O mundo militar, por força das atividades e de normatização própria, difere muito da vida civil. Não me surpreenderia se, assumindo o poder, os militares tivessem novamente dificuldades em lidar com as pressões da imprensa e até da própria sociedade.

    Precisamos parar de buscar o “salvador da pátria”, porque ele não existe. Precisamos passar a assistir aos debates; a analisar as plataformas de governo; a discutir política civilizadamente – quantos fazem isso? Não tem receita mágica – é tentativa e erro mesmo, com as instituições (MP, Judiciário, Polícia Federal etc.) fortalecidas, para expurgarmos os políticos criminosos. Quanto aos incompetentes, a gente elimina pelo voto.

    E só para lembrar àqueles que acham que é impossível uma mudança substancial sem violência: Mahatma Gandhi libertou a Índia do jugo inglês sem erguer uma arma sequer, sem nenhum gesto de violência. “De uma forma suave, você pode sacudir o mundo” – dizia ele.

    • Ressalte-se que ninguém pode negar as graves violações aos direitos humanos ocorridas na ditadura militar, especialmente em 1968.

      Também podemos dizer que é inegável as graves violações aos direitos humanos que vivemos hoje em dia, originados dessas politicas socialistas populistas para obter o pode a todo custo, e quem paga o povo.

  10. Dentro do processo democrático – onde a eleição pelo sufrágio popular é pré-condição para que o constituído exerça o pder – os eleitos refletem um arco-íris do eleitorado, em suas diversas matizes. Desse modo, a Lei da Ficha Limpa, foi o primeiro instrumento destinado a punir os maus votantes: pois ela restringe a liberdade de escolha daqueles constituintes, os quais ficam impedidos de projetar suas autoimagens, no candidato-espelho, temporariamente, indisponível.

  11. Não ofenda os animais,Virgilio!
    Isso aí é gente mesmo e da pior espécie,exatamente como os que defendem a intervenção militar!

  12. Os eleitos refletem a ignorância do povo que inclui 12 milhôes de analfabetos. Democracia é um sistema de governo importante para povo que sabe votar. O nosso ainda não está preparado. Um modo de filtrar os mal informados na escolha de nossas representantes é retirar a obrigaçao de votar – só os mais informados e interessados naturalmente participariam. Mas o que se vê é justamente o oposto – o voto é obrigatório. Embora a penalidade pela abstenção seja pequena financeiramente, há um rosário de impecilhos para obrigar o povo ir ás urnas.
    Recentemente as igrejas, através de fiéis normalmente ingênuos, está aumentando a sua influència na nossa vida política. E o estado é dito ser laico (ha, ha, ha).

  13. Fique com o seu ditador de “merda”, um tal de Ciro Gomes que deveria estar em um hospício em vez de uma eleição presidencial. O merda é porque ele adora esta palavra.

  14. Da maior democracia do Mundo, da boca de seu Presidente assassinado:

    “Porque somos confrontados em todo o Mundo por uma conspiração monolítica e cruel que se apoia principalmente em ações encobertas para expandir a sua esfera de influência, em infiltração em vez de invasão, em subversão em vez de eleições, em intimidação em vez da livre escolha, em guerrilhas durante a noite em vez de exércitos à luz do dia…
    É um sistema que recrutou vastos recursos humanos e materiais para a construção de uma máquina bem engrenada e altamente eficiente que combina operações militares, diplomáticas, de inteligência, econômicas, científicas e políticas.”
    “Os seus planos são ocultos, não anunciados. Os seus erros são encobertos e não tornados públicos. Os seus dissidentes são silenciados e não elogiados. Nenhum gasto é questionado, nenhum rumor é publicado, nenhum segredo é revelado.”

    – JFK

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *