Democracia no Brasil está ruindo, em decomposição, diz a “Le Point”

Resultado de imagem para revista le point

Le Point bate pesado, NYT pede fim dos golpes

Nelson de Sá
Folha

Na revista francesa Le Point, citando fatos como “Lula aprisionado e o candidato de extrema direita esfaqueado”, a campanha reflete “a erosão da democracia brasileira”, mais até, “o estado de decomposição política, em que o edifício está ruindo sob seu próprio peso”. Isso foi antes de Bolsonaro divulgar o vídeo em que alerta para “fraude”, dizendo não “pensar em outra coisa a não ser o plano B desse presidiário se materializar numa fraude”, com o avanço nas pesquisas e a eventual eleição de Haddad.

Ao fundo, após o vice de Bolsonaro, general Hamilton Mourão, defender uma constituição feita por “notáveis”, sem eleição, Alexandre Garcia, um dos mais antigos e principais comentaristas políticos de Globo e GloboNews, deu duas vezes apoio à proposta —e depois apagou.

GOLPES, NÃO – Nas últimas semanas, publicaram editoriais ou artigos contrários à intervenção militar na Venezuela o New York Times e as revistas The Economist e Foreign Affairs. Abrindo o editorial do NYT, “A América não deveria estar no negócio de golpes. Ponto”. Cita inúmeros casos históricos, por exemplo, “a CIA orquestrou o golpe de 1964 no Brasil”.

Mas não demorou e o secretário-geral da OEA (Organização dos Estados Americanos), Luis Almagro, em entrevista ao colombiano El Tiempo, foi questionado e respondeu: “Quanto à intervenção militar para derrubar Maduro, não devemos descartar nenhuma opção”.

SEMINÁRIO – Veículos de esquerda como Rede Brasil Atual, Carta Capital e Brasil 247 dedicaram extensa cobertura a seminário organizado pelo ex-chanceler Celso Amorim, que reuniu em São Paulo os ex-primeiros-ministros Dominique de Villepin (França), Massimo D’Alema (Itália) e José Luis Zapatero (Espanha) e o linguista americano Noam Chomsky (MIT), entre outros. Num dos enunciados, “Mundo precisa do Brasil com democracia”.

‘DISCLAIMER’ – De sexta a domingo, no alto do site e aplicativo de notícias financeiras Infomoney (imagem acima), da corretora XP Investimentos, declarações de voto em Alckmin e Bolsonaro. No final do texto, o que chama de “disclaimer”, uma ressalva ou aviso legal de que é “opinião pessoal”.

VIÉS – Escrevendo na revista Época, da Editora Globo, sob o título “Uma relação incestuosa”, a economista Monica de Bolle, diretora do Programa de Estudos Latino-Americanos da Universidade Johns Hopkins, em Washington, afirmou, sobre “a crescente simbiose” observada na campanha presidencial: “É muito difícil imaginar que as pesquisas encomendadas por grandes instituições financeiras não contenham algum grau de viés que favoreça o candidato preferido.”

‘NEW BLOOD’ – Os relatórios das instituições financeiras também vêm ganhando protagonismo, com enunciados retumbantes como “The rise of the left”, a ascensão da esquerda. Outro: “Bolsonaro’s stabbing injects new blood in the campaign”, ou seja, o esfaqueamento de Bolsonaro injeta sangue novo na campanha.

MARIELLE, POR SUA MÃE – A revista americana Time publicou artigo de Marinete da Silva, mãe da vereadora Marielle Franco. Lembrou que ela foi morta “lutando contra uma política fracassada de segurança pública que mata milhares de jovens negros todo ano” e cobrou “Justiça”.

‘WHERE?’ – Na revista americana Bloomberg Businessweek, “Onde está Larry Page?”, fundador e maior executivo do Google, que falha com a democracia como o Facebook, “tão mal quanto”.

42 thoughts on “Democracia no Brasil está ruindo, em decomposição, diz a “Le Point”

  1. Isso é que dá deixar o PT continuar existindo, e deixar essa eleição sem nexo rolar…

    Isso é que dá aceitar peruca cheia de laquê na cabeça comandando a PGR…
    Isso é que dá aceitar um bando de lunáticos compondo o Superior Tribunal Federal, em sua maioria colocados lá por indicação de um BANDIDO e sua comparsa….
    (diz aí levandrolhavski)

    Isso é que dá ser povo inerte, que nao brecou essa balburdia em tempo, esfolando a cara do Mantega no asfalto, antes que tudo fosse pelos ares…

    Povo senil, que deu meses e mais meses pra cachorra abandonar o Alvorada que transformou num canil.

    Vai que o povo elege o RABAD do PT, o Brasil esfacela-se de vez…

    Vai que o povo elege o guardinha Pinochetzuca, será esfacelado pela tirania do mesmo…
    PSL – Partido Sem Lei – Totalitarismo. Tirania. Guerra.

    Vai que o povo elege os VIGARISTAS DO MURO – PSDB

    Vai que o povo reelege os da atual QUADRILHA de LADRÕES – MDB

    O resto, e só o resto, todos UM RESTO….

    PIOR DE TUDO são os candidatos a Deputado Federal e Senador que se apresentaram para concorrer….
    Sem palavras…

    Não deu em nada, amanhã continua.
    ESTAMOS FERRADOS…
    O Brasil não sai da crise com essa casta de candidatos INÚTEIS…

    Dos que têm a competência, QUEM deles ousaria submeter-se a trabalhar junto a essa ‘GENTALHA’ na hora de tomar as decisões certas que a Nação precisa para ter um futuro??

    O remédio:

    Militares brasileiros, guardem nossas fronteiras, deixem Brasília queimar!…
    Das cinzas, algo novo surgirá…
    Da anexação das terras brasileiras pelo invasor, que se aproxima, nada sobrará…

    A União faz a Força.
    A Política atual desune e traz a força que ira desmantelar este pais…

    Vai lá, crente, vote nessa gente…
    Depois aguente….

  2. Le Point tem razão: não existe democracia no Brasil. Mas nem democracia nem justiça. Se houvesse justiça o ladrão barato sem vergonha, que roubou do país e corrompeu todo o sistema de governo, não estaria guiando a eleição por peido-remoto (não me consta que ele pense).
    Os franceses já foram um povo valoroso. A eles devemos muito da nossa cultura e educação, mas o tempo da grande nação já passou. Como sempre a crítica é importante, mas pelo momento não li e nem lerei nada da terra de Voltaire – só Voltaire. À tout à l’heure.

  3. Pronto, agora Haddad vai respirar fundo e partir para Curitiba para falar com o macho que guia seus. Haddad é PT e PT é um grupo organizado de ladrões (que inclui até juiz de barbichinha).

  4. Não confio mais em imprensa nacional ou estrangeira.

    Não entendi direito que o autor do artigo quis dizer, parece mais um delírio de um esquerdista que está perdendo o discurso.

    Celso Amorim, Noam Chomski, Zapatero… a mesma velharia de sempre. Quando esse pessoal morrer quem vai ficar no lugar deles? Os atuais maconheiros de grêmio estudantil?

    O certo é o seguinte: essa gritaria internacional toda é só porque o PT e o comunismo “bolivariano” estão indo para o brejo.

    Aliás a máscara do esquerdismo está caindo em todo lugar, mesmo com a grande imprensa sustentando as mentiras de sempre e tentando arruinar a reputação de seus oponentes.

  5. -PIADA!

    “Na revista francesa Le Point, citando fatos como “Lula aprisionado e o candidato de extrema direita esfaqueado”, a campanha reflete “a erosão da democracia brasileira”, mais até, “o estado de decomposição política, em que o edifício está ruindo sob seu próprio peso”.”

    -Quer dizer que quando o Lula e o Fernando estavam roubando e sobornando, a democracia estava bem, mas foi só colocar um dos pilantras na cadeia (o outro não foi preso porque tem o Poder Judiciário no bolso) que o país ameaça ruir?

  6. Perdi a conta da quantidade de vezes que escrevi afirmando que no Brasil não há democracia!

    Não precisava a imprensa estrangeira chegar a esta conclusão, pois tardia.

    Na verdade, o país vive um sistema ensandecido, onde a falta de moral e ética de nossas autoridades é gritante e permanente;

    Nossos tribunais superiores existem para proteger criminosos, além de serem partidários, tendenciosos e parciais;

    Os partidos políticos na sua grande maioria são compostos por bandidos, aproveitadores, corruptos e irresponsáveis;

    O congresso Nacional é um antro de venais;

    O povo tem sido roubado e explorado há mais de três décadas;

    A violência ceifa a vida de mais de sessenta mil pessoas a cada ano;

    A saúde pública, o dobro desse genocídio;

    A educação – notícia da semana passada – está nos mesmos patamares de anos atrás, estagnada, de baixíssima qualidade, e não existe governo para melhorar tais índices e condições;

    Bancos praticam as taxas de juros que quiserem, tornando-se usurários, agiotas, porém amigos do rei e dos tribunais superiores;

    A impunidade jamais esteve no patamar de hoje, até porque jamais imaginávamos que atingisse esse nível;

    Haddad sendo eleito, o Brasil se tornará um caldeirão, que explodirá em qualquer momento porque não suportará a pressão de quem não quer mais o PT no governo.

    Logo, volto a repetir:
    Se Haddad vencer não assume!

    E podem me cobrar!!

    • Concordo. Se Haddad ganhar, os eternos tutores da nossa República mostram o poder da ponta das baionetas para os pavões do Supremo e eles, para manter as togas e com aquela “coragem” peculiar, logo descobrem alguma saída constitucional para garantir a coisa toda.

      Só os mortadelas de sempre vão reclamar..

      • Se Haddad vencer, o Brasil será base do comunismo na América do Sul.

        Não o comunismo de Carlos Newton, mas o de Lula, que deixará esta nação em frangalhos para poder comandar “ad eternum”.

        Impedir a eleição da marionete petista é uma missão de todo o brasileiro que tiver vergonha na cara!!!

        • Acho que Bolsonaro ganha. E não ficaria surpreso se fosse no primeiro turno. Mas se o fantoche do presidiário ganhar, não vai ter mais aquele “apoio”, porque está tudo muito manjado e ninguém vai aguentar aquela roubalheira toda. O Congresso e os Pavões togados vão ser forçados a chutar o pau da barraca e expulsar a quadrilha.

          Sempre tem um Mourão (não esse, o outro) pra perder a paciência e botar os tanques na rua…

        • Antônio,

          O comunismo de Newton é diferente do que estamos acostumados a ver.
          Ele até acredita em Deus!

          E, a sua preocupação maior, é que não devia haver os contrastes sociais tão acentuados como os que existem no país, entre a opulência e a miséria.

          Abraço.

  7. Pesquisas indicam vitória de Haddad sobre Bolsonaro

    A rigor, a rigor, todas as pesquisas são iguais.

    Haddad ganha de Bolsonaro de 45% a 33% entre as mulheres, de 41% a 35% no ensino fundamental, de 45% a 33% entre até 2 SM e de 50% a 30% no Nordeste

    Alberto Carlos Almeida autor do livro a Cabeça do Brasileiro

  8. J.R. Guzzo
    15 de setembro às 18:25 ·
    (Publicado na edição impressa de VEJA e no Blog Fatos)

    Pela desordem

    Está sendo executado já há algum tempo no Brasil, de forma cada vez mais agressiva, um conjunto de ações que têm tido um efeito prático muito claro: tumultuar, desmoralizar e, no fim das contas, sabotar as eleições para escolher o novo presidente da República. O cidadão é alarmado, de cinco em cinco minutos, por bulas de advertência que afirmam que a eleição, a democracia e a Constituição estão sendo ameaçadas. Mas, por trás das notas oficiais e das outras mentiras prontas que são normalmente utilizadas para enganar o brasileiro comum, quem está realmente querendo destruir as eleições de outubro? Uma coisa é certa, segundo se pode verificar pelos fatos à vista do público: não são os generais do Exército, sejam eles da reserva ou da ativa, ou os oficiais de quaisquer das três Armas. A turma que quer virar a mesa, hoje, está exatamente do outro lado. Eles gritam “cuidado com o golpe”, com a “pregação do ódio”, com o “discurso totalitário” etc. etc. Mas parecem cada vez mais com o batedor de carteira que, para disfarçar o que fez, sai gritando “pega ladrão”.

    É impossível cometer uma violência tão espetacular numa campanha eleitoral quanto a tentativa de assassinato praticada contra o candidato Jair Bolsonaro — mais que isso, só matando. O homem perdeu quase metade do sangue do próprio corpo. A faca do criminoso rasgou seus intestinos, o cólon, artérias vitais. Bolsonaro sofreu cirurgia extensa, demorada e altamente arriscada, e passará por outras. Só está vivo por um capricho da fortuna. Foi posto para fora da campanha eleitoral justo no momento mais decisivo. Poderia haver alguma agressão maior ou pior do que essa contra um candidato? É claro que não. O fato é que a tentativa de homicídio, cometida por um cidadão que foi militante durante sete anos da extrema esquerda, como membro do PSOL, desarrumou todo o programa contra a boa ordem da eleição presidencial. O roteiro, desde sempre, prevê que a esquerda fique no papel de vítima e Lula no de mártir, “proibido” de se candidatar e “perseguido” pela Justiça. Deu o contrário: a vítima acabou sendo justamente quem estava escalado para o papel de carrasco.

    A opção da esquerda para enfrentar a nova realidade parece estar sendo “dobrar a meta”. Nada representa com tanta clareza essa radicalização quanto o esforço para fazer com que as pessoas acreditem que a tentativa de matar Bolsonaro foi apenas um incidente de campanha, “um atentado a mais”, coisa de um doidão que podia fazer o mesmo com “qualquer um” — na verdade uma coisa até natural, diante da “pregação da violência” na campanha. Ninguém foi tão longe nessa trilha quanto a responsável por uma “Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão”, repartição pública que você sustenta na Procuradoria-Geral da República. Depois de demorar quatro dias inteiros para abrir a boca sobre o crime, a procuradora Deborah Duprat soltou uma nota encampando a história de que houve “mais um ataque”. E quais foram os outros? Segundo a procuradora, o “tiro” que teria sido disparado meses atrás na lataria inferior de um ônibus no qual Lula circulava tentando fazer campanha no Paraná, escorraçado de um lado para outro pelos paranaenses.

    Que tiro foi esse? Tudo o que se tem até agora a respeito, em termos de provas materiais, é um buraco na carroceria do ônibus — não há arma, não há autor, não há testemunha, não há nada. Mas a procuradora acha que isso é a mesma coisa que a agressão que quase matou Jair Bolsonaro. Acha também que a história se “conecta” com o assassinato da ve­readora carioca Marielle Franco — vítima, possivelmente, de um acerto de contas entre criminosos. Enfim, joga a culpa da facada no próprio Bolsonaro, por elogiar “o passado ditatorial” do Bra­sil e ser contra as “políticas de direitos humanos”. Não chega nem a ser uma boa mentira — é apenas má-­fé, como a “ordem da ONU” para o Brasil deixar Lula ser candidato, ressuscitada mais uma vez. Se há um país que está em dia com as suas obrigações junto à ONU, esse país é o Brasil. Acaba de cumprir, entre 2004 e 2017, treze anos de missão de paz no Haiti, em que participaram 38 000 militares brasileiros — dos quais 25 morreram. Seu desempenho foi aplaudido como exemplar; não houve um único caso de violência ou desrespeito aos direitos humanos de ninguém, do começo ao fim da operação. Mas o Complexo Lula-PT-esquerda prega que o Brasil é um país “fora da lei” internacional, por não obedecer a dois consultores de um comitê da ONU que decidiram anular a Lei da Ficha Limpa. Estão, realmente, apostando tudo na desordem.

  9. A matéria é uma verdadeira salada russa, mais confunde que esclarece.

    O único tópico aproveitável é a breve citação da economista Mônica De Bolle, uma abordagem que deveria ser melhor desenvolvida.

    De fato, há uma simbiose dos discursos extremistas, cozida no caldeirão das pesquisas, nas quais a conceituada pesquisadora reconhece um viés dirigista e indutor.

  10. Não vou mais alertar o povo para acordar o juízo, o pt e os demais partidos que são organizações criminosas sabem que a maioria do povo do Brasil não usa o juízo, por isso é muito fácil de ser dominado o povo, de transformar o povo de bobo, o povo sofre devido a roubalheira dos políticos, mas ainda acha pouco, como diz o provérbio: Cada povo tem o governante que merece; vou fazer a minha parte para mudar a situação que vive o país, votarei em Bolsonaro porque ajudo a mudar a situação de roubalheira dos políticos que roubam sem pensar que vão pagar pelo roubo, porém acredito na justiça do nosso criador que todos nós vamos pagar pelos erros que fazemos. O nosso criador não dorme como o povo dorme com seu juízo.

  11. O povo está sofrendo muito por muito tempo porque os políticos estão roubando em todo estado do Brasil e o povo sofrendo por causa desse roubo, o povo está gritando de tanto sofrer, agora os que são a favor dessa situação que vive o país não venha com melindre e deboche dando razão aos políticos ladrões, mas para estes não adianta esclarecimento da razão porque estão decididos a continuar no sofrimento voluntário, eu quero ajudar para mudar a situação do país, Bolsonaro neles.

  12. Em vez das autoridades está dando atenção as tolices ditas pelas pessoas era atenção com as roubalheiras que os políticos fazem em todo estado do Brasil e o prejuízo desse roubo causando sofrimento ao povo do Brasil e os bandidos sequestrando, estuprando e matando as crianças e moças, e com os criminosos do Rio de Janeiro dançando com fuzil desafiando e debochando as autoridades e os habitantes do Brasil, Bolsonaro neles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *