Depoimento de Cardozo na CPI foi uma perda de tempoO

Como se esperava, Cardozo não disse nada de útil

Deu no Estadão

Em depoimento à CPI da Petrobras, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que nenhum fato relacionado a desvio de dinheiro público, corrupção ou improbidade administrativa chegará à presidente Dilma Rousseff. “Conheço a presidente há muitos anos. Toda pessoa tem defeitos. Não está entre os defeitos da presidenta Dilma Rousseff a desonestidade”, declarou.

Cardozo disse ainda que são “fantasiosos” os xingamentos da presidente em relação à sua atuação diante da Operação Lava-Jato. Para o ministro, os fatos foram inventados por participantes da reunião com Dilma.

Questionado sobre a Operação Politeia, deflagrada ontem contra políticos, Cardozo destacou que a ordem de busca e apreensão partiu da Procuradoria-Geral da República (PGR) e do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello. “A operação de ontem não é dirigida pela PF”, enfatizou.

ESCUTAS ILEGAIS

À CPI da Petrobras, o ministro afirmou que sindicância sobre o episódio das escutas está sob sigilo e que nem ele tem acesso às investigações do caso. Ele foi questionado sobre a polêmica envolvendo escutas na cela do doleiro Alberto Youssef, personagem central da Operação Lava-Jato e preso na carceragem da Polícia Federal em Curitiba.

“Se ficar comprovado que existem escutas ilegais serão estudadas medidas. É ato gravíssimo escuta ilegal, jamais podem ser feitas. Podem ter absoluta certeza que se ficar comprovado, pouco importando a razão, se a razão era investigar ou outra razão, se estudará medida criminal e instalação de processos administrativos disciplinares. Mas, para isso é necessário que se apure. Caso se comprove (escutas ilegais), havendo comprovação material, seguramente serão tomadas medidas”, afirmou Cardozo.

Cardozo afirmou, durante o depoimento, que teve conhecimento do episódio e leu o relato da Polícia Federal sobre o ocorrido. Segundo o ministro, ele estudará medida criminal e disciplinares. “Mas para isso necessário que se apure.”

ACORDOS DE LENIÊNCIA

Cardozo disse ainda ser favorável a acordos de leniência e delações premiadas, enquanto “instituto”. “Têm de ser bem utilizadas”, afirmou.

O ministro negou que tenha participado de encontros sigilosos com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, e com o procurador-geral Rodrigo Janot. “Às vezes a imaginação vai além dos fatos”, afirmou.

Cardozo é o primeiro ministro convocado pela CPI da Petrobras para falar sobre o esquema de corrupção. Ele começou seu depoimento nesta quarta-feira explicando que não cabe ao ministro determinar quem será investigado pela Polícia Federal.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGFoi um festival de bajulações à presidente Dilma, explicações óbvias e genéricas, o ministro não disse nada que prestasse. Mas o que esperavam? (C.N.)

7 thoughts on “Depoimento de Cardozo na CPI foi uma perda de tempoO

  1. Carlos, o ministro disse uma coisa que presta Segundo notícias em
    outros jornais, ele afirmou que pode ser crime uma doação legal, desde que o dinheiro seja ilegal e o beneficiado tenha consciência disso.
    Isto desmonta a principal defesa do PT, de que todas as doações foram legais e registradas.

    • Desculpe, amigo Wilson, pela teoria de Cardozo, basta o candidato dizer que não sabia de nada, colocar a culpa no tesoureiro, e está absolvido. Isso depõe contra o ministro da Justiça. Devia se demitir e abrir uma padaria.

      Abs.

      CN

      • Sr. Newton, desculpe minha “pedestrante” análise, mas será uma grande ofensa contra a padaria e os padeiros.
        Conheço várias padarias, elas não merecem um traste deste nos seus quadros.
        Esse cidadão não serve nem para ser Síndico de Predio de Dois Andares.

  2. Quanto desperdício de dinheiro público! Um circo de quinta…Políticos fingindo que se importavam com alguma coisa falada ali e o ministro no palco – põe óculos, tira óculos – tentando preencher o vazio das cenas. Patético.

  3. Estou na espectativa de saber para “glorificar” aquele que entrará para história por ter apunhalado Dilma como se fora um redivivo “Brutos” que matou Cesar. Que me perdoem todos: Quanta bobagem!. Querer que Cardozo se conduzisse fora dos padrões da verdade para agradar a “alcateia”. Pelos padrões exigidos pelo mundo jurídico, Cardozo portou-se muito bem. Esperem e sofram até 2018. Aí os senhores se livrarão de Dilma, pois ela passará direitinho o governo a um candidato que não será do PMDB e nem do PSDB. Tomem nota dessa data: 16/07/2015.

Deixe uma resposta para Wilson Baptista Junior Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *