Depois de crise, o Senado indica que manterá o afastamento de Aécio Neves

Resultado de imagem para cassio cunha lima

“Não se deve ‘fulanizar’ o assunto”, diz Cunha Lima

Gerson Camarotti
G1 Brasília

Depois da crise institucional, o Senado já sinaliza que deverá cumprir a decisão do Supremo Tribunal Federal de que o Judiciário pode afastar parlamentares do cargo, mas que depende do aval do Congresso. A tendência entre os senadores é de colocar um ponto final no impasse com o STF, depois da decisão da Primeira Turma de afastar o tucano Aécio Neves do cargo e determinar o seu recolhimento noturno.

A posição do Senado era pela inconstitucionalidade do afastamento de um parlamentar ou de qualquer outra medida cautelar. Mas logo depois do julgamento que evidenciou o racha no STF, a posição de senadores foi de também buscar um consenso. Até mesmo aliados de Aécio Neves adotaram um novo discurso pelo entendimento.

SEM FULANIZAR – “Foi uma decisão dividida que captou o sentimento médio do STF e creio do próprio Senado. Avançou-se na possibilidade de adoção de medidas cautelares e preservou-se a prerrogativa da soberania do voto popular. Não se deve fulanizar esse debate. A divisão interpretativa abre espaço para consolidação do diálogo institucional, visando o aprimoramento da constituição e o fortalecimento da democracia”, disse ao Blog o vice-presidente do Senado, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB).

Questionado se o tema ficou pacificado no Senado com o julgamento pelo STF, o senador paraibano sugeriu o próprio Congresso aprove uma emenda constitucional reforçando os termos definidos pelo plenário do Supremo na quarta-feira. “Acho que podemos apresentar uma PEC, nos termos da decisão, para reformar a Constituição”, acrescentou.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Na terça-feira o Senado julgará (a expressão é esta) se Aécio Neves deve continuar afastado das funções e submetido a recolhimento noturno. Se a decisão do Supremo for confirmada (ainda há dúvidas a respeito), será como da vez anterior – o suplente não assumirá e a vaga ficará aberta por 120 dias. E Aécio ficará aguardando a decisão sobre o recurso já apresentado ao Supremo, confiante em que sairá vitorioso mais uma vez. O assunto é importantíssimo e vamos voltar a abordá-lo daqui a pouco. (C.N.)

6 thoughts on “Depois de crise, o Senado indica que manterá o afastamento de Aécio Neves

  1. Esse pós é resultante de um conchavo previamente costurado entre o Senado e o STF. Assim, para que a Suprema Corte saísse com sua imagem maquiada, depois de uma interpretação da Carta Magna, para muitos juristas, vexatória!
    Se são os eleitores que lapidam os eleitos, e como os magistrados procedem da mesma maneira, já que não são escolhidos pelo voto popular? Seria um mal endêmico e exclusivo dos brasileiros,

  2. O contador Leite declarou sobre a polêmica dos recibos:

    “não corresponde à verdade que naquela oportunidade eu tenha colhido do sr. Glaucos as assinaturas referentes a todos os recibos relativos á locação para a sra. Marisa Letícia Lula da Silva, mas apenas de alguns meses, que embora tivéssemos os recibos eles estavam sem a assinatura (de Glaucos)”

    Ele diz ainda que de 2011 a 2015 “recebia periodicamente” os recibos de aluguel relativos ao pagamento efetuado por Marisa Letícia

    A Festa publicou um erramos e disse que não foram 25 impressoras mas “pelo menos 5”

    https://goo.gl/MGZVjh

    Pelo visto os recibos de tornaram uma dor de cabeça para o MPF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *