Depois de Cunha, Janot vai destruir Dilma, Lula e o PT?

Carlos Newton

O Brasil é um país que nos surpreende a cada momento. Todos vivem reclamando do gigantismo e da incompetência da máquina estatal, mas a generalização é uma enorme injustiça. Existem setores do funcionalismo brasileiro que alcançam eficiência exemplar, de causar inveja aos países mais desenvolvidos e ricos do mundo.

Entre essas corporações brasileiras de ponta que podem ser citadas como referência mundial está a Procuradoria-Geral da República em Brasília. Esta semana ficou demonstrado que a produtividade não tem similar no mundo inteiro, e a eficácia de sua operação surpreendeu até o Ministério Público Federal de Curitiba, que vinha sendo apontado como um exemplo consagrador, devido à Operação Lava Jato.

Em comparação à equipe que está prestando serviços ao procurador-geral Rodrigo Janot em Brasília, porém, a já famosa força-tarefa federal de Curitiba é coisa de principiante e trabalha em passo de tartaruga, vejam como a gente se engana facilmente.

O EXEMPLO DE CUNHA E COLLOR

A maior comprovação do talento e da dedicação da equipe de Janot foi a preparação simultânea da denúncias contra o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Fernando Collor (PTB-AL). A velocidade da investigação foi mesmo absurda.

Como se sabe, a denúncia contra Cunha foi feita no dia 16 de julho, quando o empresário Júlio Camargo disse ter sido pressionado a pagar U$ 10 milhões a Cunha, que ficaria com a metade do dinheiro. Pois apenas 35 dias depois, a Procuradoria já tinha colhido novas informações que aumentaram a chantagem para US$ 15 milhões, já estava tudo investigado e consolidado em 85 páginas, a denúncia estava pronta, vejam como esses auxiliares de Janot  são eficientes, conseguiram saber mais do que a testemunha Camargo, que fez o pagamento.

O FENÔMENO JANOT

Na verdade, Janot é um fenômeno muito maior do que Fabinho Lula da Silva. Nesses 35 dias, ele não só desmentiu o delator Camargo (que deve ter embolsado os US$ 5 restantes), com também descobriu o dia em que Cunha, o lobista Fernando Baiano e Camargo se encontraram, deu o endereço exato, informou o modelo e a placa do carro que conduziu Cunha e Baiano ao local, constatou que o veículo ficou estacionado das 19h14 às 20h03, vejam que precisão, só faltou registrar os centésimos de segundo, como na F-1.

O mais espetacular foi que Janot conseguiu uma gravação da importante e sigilosa reunião. Na denúncia, transcreveu, entre aspas, os diálogos ocorridos: “Júlio, em primeiro lugar eu quero dizer que não é nenhum problema pessoal em relação a você. O problema que eu tenho é com o Fernando e não com você. Acontece que o Fernando não me paga porque diz que você não o paga. Como o Fernando não tem capacidade de me pagar, eu preciso que você me pague”, disse Eduardo Cunha, conforme consta da denúncia assinada por Janot, da qual não se pode duvidar, mas não se sabe quem gravou a reunião, se é que houve gravação.

CONTRADIÇÃO

Nessa denúncia de Janot, uma obra praticamente perfeita, há mais duas contradições, além do valor cobrado, que, segundo Camargo foi de US$ 10 milhões, mas, segundo Janot, de repente subiu para US$ 15 milhões.

Uma dessas imperfeições é que constam da denúncia pagamentos feitos por Camargo a Cunha, com depósitos numa conta do doleiro Alberto Youssef em Nova Iorque, no banco Merrill Lynch. Mas acontece que Youssef já deu depoimentos dizendo que nunca fez ou ordenou pagamentos de propinas a Eduardo Cunha. E agora?

A terceira imperfeição é quanto à perícia nos computadores da Câmara. Janot concluiu que o autor dos requerimentos da chantagem foi Cunha, porque seu computador estava ligado no mesmo momento em que a então deputada Solange Almeida (PMDB-RJ) enviou os requerimentos à Mesa da Câmara. É claro que isso não configura prova material.

Mas é claro que se trata de detalhes bobos. Quem se interessa pelo valor real da propina? Quem se interessa pela maneira de fazer os pagamentos? E quem se interessa em saber se foi Cunha ou Solange que enviou os requerimentos?

O IMPEACHMENT VEM AÍ

A atuação sensacional do procurador Rodrigo Janot, em apenas 35 dias, animou os setores oposicionistas, que passaram a achar que agora o impeachment da presidente Dilma Rousseff vai sair.

O raciocínio deles é cartesiano. Se Janot empregar o mesmo rigor para investigar as doações ilegais à campanha do PT, a partir das denúncias do empresário Ricardo Pessoa e de outros depoentes, a presidente Dilma estará rapidamente liquidada, seu impeachment passa a ser a coisa mais certa de todas as coisas, como diz Caetano Veloso.

Portanto, de uma forma ou de outra, Janot está destinado a entrar na História. 

11 thoughts on “Depois de Cunha, Janot vai destruir Dilma, Lula e o PT?

    • Duvido e faço pouco! Jamais Janot destruirá o Planalto. Tanto que atingiu Cunha por causa do impeachment que ele tem como bandeira! E os outros? E o Renan?

  1. Prezado Carlos Newton,
    Onde consigo uma foto sua. Não consegui achar aqui na NET.
    É que estou pretendendo colocar fotos das pessoas (jornalistas ou não) que no meu entender está fazendo um “bem danado ao Brasil” para postar no Facebook.
    E claro, queria te incluir. Sei que é um homem de esquerda, mas ao menos não faz parte da plateia alienada do PT e consegue enxergar os erros deste maldito partido.
    Além do mais mantém um Blog independente onde todos têm liberdade de expressão.

  2. Newton isso que você fala já vi em diversas entrevistas e reportagens na TV. Só não ouvi falar em 15 milhões. Seria o absurdo dos absurdos que Janot e a equipe que lhe presta serviços estivessem inventando coisas como por exemplo: Os 277 milhões que Cunha tem depositado no exterior. É uma incoerência dizer que Janot atua em benefício do governo e depois dizer que Janot vai destruir Dilma. A “bala de prata” que você espera não é só uma. Gilmar já apresentou uma, o TSE tem outra o TCU outra, Janot segundo você tem outra. Então para “destruir o Vampiro Dilma” será preciso uma “saraivada” de balas de prata? Este enrêdo vai merecer um filme.

  3. A pressa é inimiga da perfeição. O petista Janot, querendo mudar o rumo das forças que atuam contra o governo, trabalhou rapidamente para apresentar denúncia contra o reconhecido verdugo do pt. Porém, se houver alguma inconsistência, por pequena que seja, a denúncia será refutada, com pena leve etc. Mas o fogo já foi ateado e ninguém vai segurar. Eduardo Cunha, além de ser um peixe ensaboado, é osso duro de roer e vai revidar com cabeça fria, mas violentamente. Aguardem o desfecho. Basta um sinal de simpatia de Temer, e o pt submergirá na sua própria lama. Eduardo Cunha é o rato que vai colocar guizo no gato. As outras ratazanas da política agradecerão e depois colocarão panos quentes para salvar o heroico rato.

  4. Prezado Newton
    Concordando com grande parte do artigo, No entanto, quero discordar da generalização sobre os serviços prestados pelo setor público.
    Existem, realmente, setores de excelência. Mas são raros. A maioria, a grande maioria presta serviços deficientes, sem profissionalismo e de qualidade abaixo do que pagamos.
    E apenas para exemplificar, menciono algumas área: ensino público, saúde pública, segurança, INSS e outros. Até os correios estão decadentes.
    Assim, acho mais justo dizer-se que uns poucos setores, como os por ti mencionados, funcionam melhor e podem até servir de exemplo.
    Abraço e muita saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *