Depois do massacre, Parlamento tenta tirar Ucrânia da guerra civil

Ukraine Protest

Deu em O Tempo

Depois do massacre nas ruas, o Parlamento da Ucrânia aprovou quinta-feira uma resolução que prevê a retirada de policiais das ruas, a soltura dos manifestantes presos, o fim do uso de armas contra civis, a indenização das famílias de opositores mortos, além de reafirmar que só o próprio Parlamento pode decretar estado de emergência e desautorizar as medidas antiterror.

A medida de forte simbolismo joga um imenso peso político sobre o presidente Viktor Yanokovich, que pode endossar ou não a resolução. Ainda nesta quinta, o primeiro-ministro polonês afirmou que Yanokovich havia concordado em antecipar as eleições, o que ainda não foi confirmado. Além de criar expectativa sobre o que fará Yanukovich, a resolução também joga dúvida sobre qual será a reação dos opositores. Se eles vão, por exemplo, deixar as ruas.

MASSACRE

Mais cedo, centenas de homens armados romperam o cordão policial na Praça da Independência de Kiev, após uma trégua fracassada anunciada na noite de quarta-feira, num confronto que deixou dezenas de mortos no centro da capital ucraniana, cenário de novos confrontos com as forças de segurança. O massacre foi tamanho que as partes não concordam sobre o número de mortos.

4 thoughts on “Depois do massacre, Parlamento tenta tirar Ucrânia da guerra civil

  1. Como o Brasil é bom. Amanhã é sábado, vou para Cabo Frio. Na praia, todos juntos. Carnaval chegando o povo feliz sambando. Que legal, de norte a sul do Brasil a paz.
    Brasil um país de todos !

    Muito melhor que o separatismo e a gurerra.

  2. É isso aí, Renato, também vou curtir o carnaval em Cabo Frio e lançar-me nas águas geladas para curar a ressaca. Levarei comigo aquele adereço vermelho para colocar no meu nariz e outro para você. Vai ser uma festa!

  3. E olha que tem muitos aqui a tecer elogios a países estrangeiros e a querer imitá-los como papagaios. Não sabem nem o que é ralar sob zero com sotaque e experimentar no couro um “layoff” sem fundinho de garantia numa segunda feira de neve, faltando poucos dias para poder se habilitar a um auxílio desemprego, porque a firma faliu. E se chiar, receber na melhor das hipóteses um “give me a break, man!” e na pior um “go back to your country!”.

  4. “ Trocando em miúdos, o Brasil está condenado a ser um bolo compartilhado eterna e preferencialmente entre os mesmos, partidarismo-eleitoral e o golpismo-ditatorial, conforme os ditames do poder-maior que é o econômico, com a doença de levar o máximo de vantagem em tudo o tempo todo e o velho caixa dois do velho mar de lama sempre na crista da onda, surfando à beça, lépido e fagueiro. “Blocão”, “Centrão”, R.C.A., quantas vezes já assistimos esse filme de terror, em trajes civis, à paisana ou fardado ? O quê de fato mudou nessa seara, neste país, não obstante os 514 anos de Brasil ? Quem acredita em mudanças sérias, estruturais, radicais e profundas, vindas desse tipo de gente, dos quais a Presidente é apenas mais uma refém, mais uma passageira da agonia…, como reféns dos mesmos foi tb até mesmo a própria ditadura militar armada até os dentes, chupada por elles até o bagaço e depois descartada no lixo da história ? Até quando ? RPL, saudações.
    O fato é que ao retirar das ruas a RPL e a sociedade brasileira sadia, face à violência e ao oportunismo dos tais “blacks blocs”, dos partidaristas-eleitorais, golpista-ditatoriais e CIA, o HoMeM desfez a confusão armada por estes, separou o joio do trigo, salvou e adiou sine die A Revolução Pacífica do Leão (PNBC-ME). Deu o drible da vaca nos oportunistas e na violência, e deixou-os no ar, sem escada e com a broxa na mão. Somos missionários chamados e escolhidos da Revolução mais bela que a humanidade já conseguiu projetar, sob inspiração pedida a Deus, a ser feita, e não podemos sequer pensar em correr riscos de frustrá-la por culpa de mequetrefes, oportunistas, patidaristas-eleitorais ou golpistas-ditatoriais, irresponsáveis, secos, rasos e inconseqüentes. Não podemos permitir que A Primavera Brasileira, que está por vir, seja transformada no inverno-inferno em que transformaram o Egito, Síria, Ucrânia e CIA, disse o HoMeM do Mapa da Mina do bem comum do povo brasileiro, que nos propõe a Paz, o amor, o perdão, a conciliação, a união e a mobilização pela Mega-Solução (RPL-PNBC-ME), porque evoluir é preciso. Esta é a nossa LUTA ( Legião Unida de Trabalhadores Amigos).
    Lamentavelmente, o PSOL parece mais perdido do que cego em tiroteio. Até o Reinaldo Azevedo tem razão em relação às táticas eleitorais do PSOL, burras, superadas, démodé… Os tais “blacks blocs”, “anonymous” e CIA, na verdade, baseados na violência, na demência e na estupidez, afugentaram a “sociedade brasileira” pacífica das ruas, para onde havia afluído em busca da Dona Esperança, que é Pacífica, e que, ao ver o quiprocó armado pelos violentos, pulou fora, sumariamente, dizendo a todos que violência é burrice, é estupidez, é loucura, e com ella não compactua. O PSOL não consegue entender que até a Polícia está necessitada de uma Boa Revolução, completa, com começo, meio e fim, porém mansa, pacífica e, sobretudo, limpa e inteligente. “Não basta à mulher de César ser honesta, Ela tem tb que parecer honesta.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *