Deputada representa à Procuradoria para anular o protocolo da cloroquina

Deputada criticou o protocolo instituído pelo governo federal

Deu no O Tempo

Horas depois de a Organização Mundial da Saúde (OMS) determinar a paralisação de um estudo sobre o uso da hidroxicloroquina em pacientes com coronavírus, a Procuradoria-Geral da República (PGR) recebeu nesta segunda-feira, dia 25, um pedido da deputada Sâmia Bomfim (PSOL) para proibir o novo protocolo do medicamento aprovado pela Ministério da Saúde.

Em suas redes sociais, a deputada criticou o protocolo instituído pelo governo federal e citou as ponderações de entidades internacionais sobre a falta de comprovação da eficácia do remédio no combate à Covid-19.

URGÊNCIA – “Contra todos os indícios, na última quarta-feira, o Ministério da Saúde liberou o uso em massa da cloroquina. Esse protocolo pode custar milhares de vidas e nos impede de atuar de maneira eficaz contra a doença. É urgente parar esse governo anti-ciência e anti-povo”, escreveu Sâmia Bomfim.


Na semana passada, após determinação do presidente Jair Bolsonaro, o Ministério da Saúde implementou um protocolo que prevê o uso do medicamento em estágios iniciais de pacientes com o novo coronavírus. Procurada pela reportagem, a PGR ainda não informou se tem algum prazo para analisar o pedido da parlamentar ou se pode anular o protocolo do Ministério da Saúde.

4 thoughts on “Deputada representa à Procuradoria para anular o protocolo da cloroquina

  1. Se a fonte é o PSOL já traz em si o vício de origem.
    Me pergunto se essa donzela socialista e libertária assinaria um termo com validade jurídica em recusar caso contaminada pelo vírus corona o hidroxicloroquina em dosagem compatível com a prescrição médica no princípio dos sintomas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *